terça-feira, 22 de março de 2016

Perdoar



Filhos e filhas,

A vida é a escola do aprendizado permanente do amor. Virtude consagrada de Deus que nos permite caminhar livres e serenos pela estrada existencial nos permitindo coroar o objetivo da felicidade e da paz ao lado daqueles que zelamos pela convivência por mais um instante.

Aqueles que não estão conosco momentaneamente e que partem antes, é traduzido pela saudade que emanamos de esperança ao reencontro. É o tempo de sentir o quanto amamos e muitas vezes não desfrutamos o suficiente para amenizar a grande dor da partida repentina pelos que voltam para o plano espiritual quanto os que retornam ao planeta pelo processo encarnatório em que todos viverão o processo evolutivo da morada eterna.

Quando não desfrutamos da máxima convivência daqueles que amamos diante a prática nefasta dos sentimentos odiosos pelos interesses primitivos da conduta, carregaremos um fardo muito pesado na consciência e em nossa alma diante as oportunidades perdidas pelo orgulho e pela vaidade em querer ter razão a sermos felizes de verdade, quantas vezes furtamo-nos das oportunidades sagradas do convívio pacifico e sereno por conta da individualidade inflamada e da magoa soberba que poderiam ser sanada com humildade e um simplificado perdão.

Compreendam todos que não somos anjos e muito menos demônios como muitos ainda queiram nos qualificar pelo comportamento e pelas atitudes diante a crença, tradição, costumes, etnias, nacionalidades e escolhas, somos sim espíritos em múltiplas experiências humanas em busca da felicidade plena de paz ao convívio do Criador com aqueles que amamos de verdade.

E importante evidenciar que não estamos limitados no amor à família e aqueles que estão na medula de nossa intimidade, este sentimento deve-se espalhar como as partículas de Deus a tocar a face de nos levitar nas virtudes sem olhar a quem. E se o anseio é fazer parte do banquete sagrado de Deus olhe para o outro como realmente irmãos que são essências para a base da eternidade, começando por perdoar setenta vezes setenta vezes quantas forem necessárias, pois que não perdoa estará sentenciando a própria solidão.

Perdoe o seu semelhante, perdoe os equívocos de seus familiares, afinal são crianças como você que evolui no tempo a mesma direção. Somos irmãos que amadurecem com coletividade, somos unidades de Deus em busca da dignidade humana em harmonia. Desfrute o melhor que a vida lhe proporciona amando e perdoando para também ser amado e perdoado.

Bezerra de Menezes, escrito pelo médium Marcelo Passos.

22/03/2016.

Nenhum comentário:

Postar um comentário