segunda-feira, 18 de janeiro de 2016

Valiosos Valores





É mais fácil passar um camelo pelo fundo de uma agulha do que um rico entrar no Reino de Deus. (Jesus)

Irmãos,

Quando aquele jovem rico aproximou-se de Jesus com olhos e o coração repleto de esperança arguira ao Mestre o que precisara fazer para segui-lo, então o Messias sabiamente disse: “vá, vende tudo que tens, distribua aos pobres e siga-me e terás um tesouro no céu.” Então o jovem se entristecera e indagou a Jesus, “então tereis que vender tudo que tenho e que os meus ancestrais levaram tempo para construir e o denário dividir entre os pobres?” Então o jovem baixou a cabeça e voltara triste para casa. E vendo aquilo o Mestre virou-se a multidão que estava ao redor e pronunciou a sabia lição, “É mais fácil um camelo passar pelo fundo de uma agulha do que um rico entrar no Reino de Deus”.

Nesta curta estrofe destaca-se a lição do Mestre que nos reúne e que nos alerta quanto aos verdadeiros valores que havemos conservar, evidente que a prosperidade quanto aos bens materiais é o resultado meritório de todo esforço produzido pelo ser através do trabalho. Ao contrario que muitos creem, o conforto material e a posse de bens são abençoados pelo Criador, desde que a aquisição tenha como consequência os esforços pessoais e honestos e daquilo que adquirir utiliza-lo em beneficio pessoal e também do teu próximo, ou seja, os bens que são demais e que nos é confiado poderão subsidiar um pobre sem sequer faltar-lhe um bem.

Ao determinar que o jovem rico desapegasse de seus bens materiais o Cristo lhe dava à oportunidade a viver na felicidade eterna, aquela construída por si, e a partir daquele instante sentir e praticar a verdadeira obra divina, mas ao ser levado a reflexão de ter seus bens divididos e o seu bem estar passageiro ameaçado, este preferira ter a sua razão de que ser feliz.

Os valores pecuniários auxiliam os seres em suas ações cotidianas, mas pode-se tornar o ópio dos seres quanto a sua edificação eterna. Quando os homens adquirem uma considerável fortuna, alguns valores passam a ser supérflua, entre eles a perda da humildade e da simplicidade a poder cumprir para com a vontade divina, e alguns sentimentos e comportamentos desonrosos passam a pertencer o seu caráter, como a ganancia, a vaidade, o orgulho, a soberba e enfim, uma coletânea infeliz de praticas quanto à oportunidade de edificação. Compreendendo irmãos que esta preposição não deve ser interpretada na unanimidade, afinal encontramos muitos abastados que cumprem com a verdadeira caridade e fazem de seus bens um alento aos mais necessitados, como encontramos em meio às misérias as condutas mais miseráveis dos seres, por isto não podemos cometer a injustiça de afirmar que todos os ricos não entrarão no reino dos céus e que todos os pobres da matéria herdarão o reino de Deus, é preciso saber separar o joio do trigo.

Os sentimentos contrários à vontade de Deus são incidentes em todas as classes, e o que será determinante a nossa sorte serão as condutas pessoais e verdadeiras perante a sociedade, e este comportamento não se limita a condições sociais, vive no homem, e que deverá por sua vontade coloca-las em atividade genuína como determina o Criador.

O dinheiro muitas vezes tende a afastar os homens da pura e verdadeira religião, ou seja, a vontade de Deus que é a maior e a única igreja do amor e da caridade, e dentre os princípios divinos estão os preceitos que nos elevam as oportunidades e que dará a boa sorte merecida e que nos dará tudo aquilo que desejamos, mas para isto é preciso o desprendimento quanto às paixões terrenas, assim como a posses egoísticas que cegam os seres a real fortuna da vida eterna. Eis a razão de aquele jovem ter recusado a seguir com Cristo, pois na sua avaliação os seus bens que lhe permitia o conforto naquele momento era mais importante do que acumular os verdadeiros valores e desfrutar do tesouro eterno, pois incidia na sala da fortuna a alimentar os seus sentimentos limitados que o cegavam ao maior e mais importante tesouro.

Quanto os homens encarnados e também desencarnados compreenderem que o planeta é apenas um estágio para uma vida maior e feliz, e fizer desta oportunidade o esforço para cumprir a vontade divina, todos os seus indivíduos estarão aptos a crescer na eternidade e merecer os melhores lugares. E quando a humildade e a simplicidade forem à base do homem a sua edificação tornara-se mais solida. E quanto mais simples e humilde for o homem, mesmo os ricos, a visão se abre ao infinito horizonte de Deus, mas a possibilidade se faz verdadeira se for da própria vontade, pois a inteligência e a escolha nos é faculdade.

Bezerra de Menezes, escrito pelo médium Marcelo Passos.

18/01/2016.

Nenhum comentário:

Postar um comentário