quarta-feira, 1 de julho de 2015

Missionários



Pode-se considerar a paternidade uma missão?
É incontestavelmente uma missão (a paternidade): é ao mesmo tempo um dever muito grande, e que determina, mais do que o homem imagina, sua responsabilidade para o futuro. (Allan Kardec).


Compreendidos que somos elencamos a nossa caminhada a caridade e ao desprendimento de irmãos que disponibiliza a sua existência a amparar os demais outros irmãos na missão missionaria perante a vontade de Deus em favor do avanço pessoal em aliança à comunidade que são frutos da unidade do amor do Pai.

O espírito que recebe o próximo como filho do seu ventre passa a compreender a realeza do amor como responsável pela transformação para o bem e o desenvolvimento do progresso de toda uma sociedade. Ao receber a missão da paternidade, recepcionamos de Deus a missão de transformar e acompanhar os seres em seu desenvolvimento, assim como na própria graduação da vida eterna buscando compreender a virtude da doação.

Entende-se que a responsabilidade para com o Criador não se limita as fronteiras das gestações genéticas ou familiares consanguíneas, se perpétua por todo o ambiente em que somos incluídos a promover e fazer a vontade de Deus na tarefa missionária para com a paz e a progressividade do bem. A paternidade inclui receber em seu coração também irmãos de diversas espécies e nacionalidades para com a condução do seu desenvolvimento.

Há também pelo plano divino a missão que passa pelo acolhimento aos filhos considerados do coração, aqueles que vêm ao planeta a cumprir a sua jornada e por consequências diversas são entregues a outros irmãos ao cuidado do seu progresso.  Incumbência que novamente se comprova à força intrínseca do amor e da doação em provar que sim, vale a pena amar como Deus nos ama.

As dificuldades que os homens ainda vivenciam quanto ao entendimento do projeto do Criador passa pela libertação dos sentimentos e das condutas errôneas que persiste em estagnar o progresso incitando em muitos casos a zombaria para com aqueles que decidem caminhar com Deus. Para muitos irmãos a felicidade esta na depreciação ao outro se postando de uma força bruta a dominar fisicamente o outro, causando dores e fobias sem nenhuma resolutividade. A desqualificação ao outro de variados gêneros ocorre porque muitos ainda não aprenderam a amar de verdade. Ainda esta em tempo de afastar a mancha maldosa do coração e merecer a regeneração, mas para isto é preciso ação, persistência e fé. Saiba que a todos são oferecidos os mesmos direitos de correção aos erros como o renascimento a merecer o reino dos céus.

É tempo do arrependimento a se tornar mensageiros e exemplos de Deus. Se cometer algum erro, busque mudar de verdade. E por mais que a sociedade venha a ser perversa em apontar apenas os seus erros pretéritos e não crer na sua mudança saiba que Deus será sempre o seu maior aliado e saberá justamente recompensar o seu esforço proporcionando os merecidos bônus, inclusive oferecendo a você os pais de amor que o conduzirá a reformulação para o bem. Compreenda que não basta apenas querer é preciso conduta.

Dr. Bezerra de Menezes, escrito pelo médium Marcelo Passos.
01/07/2015.



Nenhum comentário:

Postar um comentário