sexta-feira, 24 de julho de 2015

Força que vem no amor





Com o egoísmo e o orgulho, que andam de mãos dadas, haverá sempre um caminho para o mais sagaz, uma luta de interesses, onde são pisoteadas as mais santas afeições. (Allan Kardec)

O domínio do mais forte sobre o mais fraco movido pela força de um poder é característica do espirito primitivo que ainda necessita utilizar-se do medo para conseguir os seus objetivos. Os bárbaros acreditavam que derrotando fisicamente e dominando um grupo os colocam em uma condição favorecida.  Em primeiro impacto podia acreditar nesta vereda, mas a verdadeira força é a que nasce das obras que são imortalizadas no homem pelos seus feitos e como é lembrado por gerações.

Descendências são lembradas na historia por inúmeros feitos. Ao compreender o Genesis, entendemos a saga de Moises na libertação do seu povo das garras da escravidão que por anos sofreram na mão da tirania egípcia. Mas o povo foi liberto pela fé que tinham no Deus de Abraão, Isaac e Jacó, o mesmo Deus que nos rege desde então e que nos oferece a libertação da nossa própria escravidão que impomos a nós pela força esmagadora de pecado.

A mais característica da escravidão é a que nasce no egoísmo e no orgulho que alimentamos na alma e manifestamos para a sociedade e levamo-la como ferramenta das conquistas pela nossa jornada. Já nos faz conhecimento que os homens terrenos veem de um tempo primitivo, aonde ainda mantem-se viva a essência de um tempo e aonde o instinto era mais acirrado, sendo que o sentimento era anulado pela luta da sobrevivência da vida selvagem.  Com a evolução passamos a adquirir o sentimento como a principal forma de dosar e do respeitar o próximo.  O Senhor por meio dos profetas e com seus exemplos foi-nos ensinando o verdadeiro caminho da prosperidade e da salvação. Assim como nos enviou o unigênito para a nossa libertação diária e a certeza do caminho para a salvação.

Quando comportamentos ruinosos como estes apontados e outros que se unem em cadeia e tomam o nosso arbítrio, nos tornamos algozes da sociedade em diversas situações ao qual deixamos de evoluir e atrasamos a nossa caminhada.

O humor, assim como a sinceridade e a rispidez das palavras, mesmo sendo duras de escutar em diversos instantes, deve ser filtrado quanto ao seu proposito. Quando somos alertados de um perigo e instruídos ao acerto, assim como a criança que necessita do ensinamento, devemos agradecer e tomar a severidade como instrumento de melhoria. Agora, se o desrespeito movido pelo vicio do poder, ao desejo de manifestar uma superioridade e um poderio e este faz com que seus agentes ajam com desrespeito e maldade, é preciso calar-se sim e não retribuir a maldade com mesmo ardor, e sim rogar ao Senhor por este irmão doente, pois o mal é uma doença que deve ser medicada com o tempo e as orações para que este um dia aprenda o sentido do equilíbrio e do respeito, que serve para todos nós.

Assim como os hebreus, que sempre acreditaram na força e no poder Deus e na libertação da escravidão, continuemos a crer. Se ainda não se libertou das dificuldades, e se ainda não chegou a conquista da sua vontade, continue a lutar, pois o seu momento há de chegar. Então faça por merecer, e quando este momento chegar todos terá a certeza de que a força vem do amor e que Deus nos proporciona tudo aquilo o que desejamos, mas por mérito.

Bezerra de Menezes, escrito pelo médium Marcelo Passos.

24/07/2015.

Nenhum comentário:

Postar um comentário