segunda-feira, 1 de junho de 2015

Compreendendo o Espiritismo



Quando dizemos que a Arte Espírita será um dia uma arte nova, queremos dizer que as ideias e as crenças espíritas darão às produções do gênio um cunho particular, como ocorreu com as ideias e crenças cristãs. (Allan Kardec).

As manifestações artísticas de uma nação proporciona aos seus assistentes toda a tradução do que há de melhor no seu povo e na sua terra, assim como aqueles visitantes que se admiram com importantes produções de seu vizinho e honra também de fazer parte de uma arte admirada por outros mais.

Quando vamos às galerias arqueológicas e das manifestações históricas de uma gente, logo admiramos todo o contexto das obras artísticas do passado. São obras que desperta em nosso consciente a emoção da grandeza e da habilidade de seus artistas a eternizar-se naquele monumento.

Nesta vertente acompanhamos a todo o momento a obra de Deus nos fazendo testemunhas da sua perfeição neste universo, e ao vislumbrarmos toda a sua essência, vemos a perfeição até mesmo onde podemos crer alguma anomalia, principalmente genética, mas que também faz parte desta obra eterna.

A história planetária é marcada por importantes conquistas em seu contexto, grandes homens e enviados de Deus trouxeram nada mais que a vontade do Criador a tornar possíveis as facilidades do instante. Notório saber e compreensão que nem todos os filhos de Deus tomaram o caminho da vontade divina, destoram o caminho pelos atalhos sugestionados pelo perversos a tornar-se agentes da mentira e da corrupção famigerada da sociedade. Muitos destes homens tornaram a obra de Deus em instrumento de sua riqueza, tanto o ornamento físico quanto espiritual, onde homens de importante influência e garbo conhecimento tomaram a vontade de Deus ao seu egoísmo, transformando-o em um comercio perigoso e preconceituoso.

A existência traz ao nosso conhecimento quanto a historia planetária um reflexo repleto de disputas entre o bem e o mal, tendo a significante marca desta guerra impressa em muitos irmãos. Há uma triste realidade na busca do contingente de soldados ao exército da conveniência do egoísmo humano, atos que tornam inimigos irmãos concebidos do amor, nação que se levanta contra nação e que se armam dos mais mortíferos recursos da ganância e da perversidade do mal.

Mesmo após a história da vida se dividir com a vinda de Jesus, em que trouxe a boa nova e o evangelho da salvação, as guerras não cessaram, e os soldados do mal acentuaram o seu ataque como a história pode nos traduzir. Com a passagem do Cristo vivo entre nós e a tradução do seu evangelho, muitos irmãos de reuniram em religiões para falar sobre os rumos da sociedade sob a ótica de Cristo, e conforme já ocorrerá a outrora, a marca e a ferocidade do maligno se fizeram e fazem presente em muitos estudiosos de Deus, diante dos exageros que já foram e ainda são cometidos pela discordância da palavra em benefício pessoal.

Não temos a autoridade para sentenciar e muito menos de jogar pedras uns nos outros crendo que a interpretação do outro é diferente do que a nossa e que em nós encontra-se a única porta para a salvação. Todo aquele se reúne em nome de Deus e de Cristo para discutir o verdadeiro evangelho, lá estará à corte celestial auxiliando. Ninguém traz a verdade única em sua ideia, afinal sabemos que a verdade esta somente no bem traduzido no amor e na caridade.

Enganos cometidos na história humana foram destoados pelas interpretações literárias, muitos de posse de um dito e exclusivo poder, e diante da temeridade de um povo, construíram um império de supostas verdades a atender os desejos mais escusos da mentira. Atitudes essas que trouxeram a morte de inocentes e a condenação de muitos ao purgatório da própria consciência quanto as disputas de um miserável poder egoístico.

Espíritos de importante tradução da vontade de Deus se reuniram para trazer, pelo Espirito da Verdade, o caminho de fato descrito na palavra evangélica e ao qual deve ser a nossa posição frente à vida e a humanidade. Mostra-nos também qual deve ser a nossa tarefa e a nossa postura para merecer os bônus da vida eterna. A interpretação da vida pela visão espirita mostra um caminho, mas em nenhum momento encontra-se no sumário destas obras de que fora do espiritismo não há salvação. Aos que se propõe estudar a codificação da doutrina por Allan Kardec, pode comprovar que as palavras traduzidas são possíveis a quaisquer doutrinas, afinal, em todas as obras mostra-nos o sentido e a interpretação de tudo existir e acontecer.

Para se estudar e entender de fato a obra dos espíritos é preciso ter o coração ecumênico, ou seja, analisar as obras livres dos preconceitos terrenos e do vicio da verdade egoística por uma interpretação doutrinaria passional. E todos aqueles que se propõem a fazer parte da seara espírita deve-se desarmar destes instrumentos da perdição, compreende-se que nenhuma doutrina é melhor do que a outra, todas tem a sua importância sagrada, como há integrantes em todas elas que são vulneráveis a corrupção e aos piores sentimentos da conduta humana, ou seja, entende-se de que em nenhuma doutrina esta a salvação, mas sim o que somos perante o outro. E dentro do paradigma da vida eterna e como principal caminho da vida para o bem, encontramos na caridade e em todo o seu conteúdo as chaves de toda a grandeza de Deus exposta a nosso favor no amor, na compreensão, no perdão, na humildade, na fraternidade, no trabalho, nas oportunidades, e enfim, na caridade esta a salvação que buscamos.

Pode-se o homem ter duas túnicas, e se um irmão chegar até você, nu, e pedir-lhe para se cobrir fique com uma e dê a outra, se tens duas sandálias e encontrar um irmão descalço, fique com uma dê a outra, se há a sua mesa dois pães e alguém bater-lhe a porta faminto, fique com um e divida o outro.

Deus oferece sempre algo a mais a nós para podermos exercer o desprendimento e a caridade, assim como o nosso conhecimento. Quem pedir-lhe um auxílio busque prestar com o melhor de sua capacidade, como desejaria o mesmo subsídio se quando numa situação de dificuldade, tudo isto faz parte da vontade de Deus e é o sentido para a nossa salvação.

É nesta vertente que se propõe o objetivo do espiritismo ao nosso comportamento e a nossa conduta, a lição dos espíritos traz a interpretação e as respostas de muitas questões até então não interpretáveis. Ao longo do tempo vemos a contribuição de inúmeros outros irmãos nos clareando o sentido de tudo acontecer. Notoriamente que a mensagens proposta pelos espíritos não há nada de espantoso, mas sim um caminho melhor para todos nós, como também podemos encontrar nas palavras de todos aqueles que de fato vive a religião de Deus no coração, ou seja, a doutrina no amor e da caridade independente do sue credo.

Dr. Bezerra de Menezes, escrito pelo médium Marcelo Passos.

01/06/2015.

Nenhum comentário:

Postar um comentário