segunda-feira, 20 de abril de 2015

Praticar o bem



 

A moral dos Espíritos superiores se resume como a de Cristo, nesta máxima evangélica: fazer aos outros o que queríamos que os outros nos fizessem, isto é, fazer o bem e não o mal. Neste princípio encontra o homem uma regra universal de proceder, mesmo para as suas menores ações. (Allan Kardec)
 

O homem vai à vida semeando boas e más ações, pois não há que não pratique de uma ou de outra, até o mais desenvolvido espírito tem suas fraquezas. Ao buscar no cotidiano retirar os maus instintos e substituí-los pela bondade, que é nosso dever, poderemos, quem sabe, sermos merecedores dos bônus de possibilidades da vida eterna. 

Trazemos na concepção desde a criação provida por Deus ate os dias atuais da nossa vontade, um histórico de todos os atos praticados na existência se refletindo no presente. Não há um espírito que não traga uma vasta lembrança de situações do passado constantemente viva no presente, assim como: os entes amados, as pessoas, as situações, os lugares, e enfim, a nossa memória é capaz de nos remeter ao doce pretérito de tudo que vivenciamos como o reflexo do presente sob o impacto das dificuldades pela lei de causa e efeitos. Guardamos um histórico que regerão nossa caminhada por terras distintas, mas única para salvação ao reino eterno, e o discernimento é nossa principal escrita das possibilidades. 

A consciência do passado traz o momento de oportunidades e ou mesmo desafios do presente, as lembranças vem no hoje para que possamos corrigir os erros e elevarmos os acertos, buscando a todo o momento viver sob o ponto de partida do amor ao próximo como a si mesmo. 

Deus nos envia porta-vozes da sua vontade para fazermos a nossa parte para a salvação e assim continuar a nossa caminhada com a família, os amigos e todos que nos cercam. A oportunidade de fazer o bem na sua acústica nos faz presentes a todo o instante, e nos traz a matéria do merecimento vivendo com os desafetos para aprendermos a máxima do perdão, da tolerância, da humildade e da resignação em busca da promoção da paz e da harmonia.  

O homem não é uma ilha inexplorada que não possa ser habitado, todos necessitam um do outro para elevar a sua existência. Os  erros vêm para compreendermos que não somos detentores de uma soberana verdade e que havemos de ter a humildade para reconhecer as fraquezas alheias como rogamos sermos compreendidos e aprender todos os dias com as oportunidades divinas ao nosso redor. 

Dê a vida o que deseja dela de repto. 

Dr. Bezerra de Menezes, escrito pelo médium Marcelo Passos.

20/04/2015

Nenhum comentário:

Postar um comentário