sexta-feira, 6 de março de 2015

Gratidão


"Honrar o pai e a mãe não é somente respeitá-los, mas também assisti-los nas suas necessidades; proporcionar-lhes o repouso na velhice; cercá-los de solicitude, como eles fizeram por nós na infância." (Allan Kardec)


Todos os mandamentos colocados ao nosso conhecimento por Moises através  da psicografia de Deus no primeiro livro sagrado escrito da humanidade nos trazem o sumário de nossa postura no universo independente se nos encontramos na condição encarnada ou livre da obsessão da carne com o objetivo da própria evolução. Nenhum dos regramentos poderá ser classificado como mais importante do que o outro, todos são listados no mesmo nível e nos traz a disposição e conseqüentemente o resultado advindo das escolhas.

Entre todos os mandamentos há aquele que nos diz que devemos honrar nossos pais e nossas mães. Sabemos o quanto a nossa existência é importante para Deus e também  para os nossos pais que são fundamentais para que possamos evoluir. Nascemos de uma só carne e de um só coração, somos recepcionados no amor que nos guiará para o caminho do bem e nos ensinando com toda a paciência o sentido do descobrimento e do renascimento diário para com as beneficias de Deus. 

A obra de Deus é sublime e principalmente ao nos conceder o direito e o poder de gerar uma nova vida e proporcionar ao irmão recém chegado a oportunidade de poder reviver e renascer com intensidade o nascer e o pôr do sol e de sentir a magia real concretizado em nosso espírito. Ter a confiança de poder ser um bom servo do Criador na humanidade e servindo-se cada vez mais do balsamo da purificação que nos fará reverenciar com louvor aqueles que nos são mais sagrados. 

A vida é fonte eterna que passa por diversas etapas e experiências (André Luiz).  

Em  determinadas ocasiões e por conseqüência de nossos resgates poderemos não ter a oportunidade de sermos pais ou mães de um irmão na atual encarnação, mas todos sem exceção somos filhos. Existimos pela razão de havermos um pai e uma mãe, e independente da nossa qualificação profissional, intelectual, cultural e evolutiva devemos ser eternamente gratos. Honrando-os não somente com respeito que nos é dever, mas proporcionando a eles a mesma devoção que sempre tiveram conosco e sermos obedientes aos seus alertas e cuidados, por isto amamo-los intensamente.                                                                                              

E é importante termos o seguinte entendimento em nosso coração e em nossa consciência, mesmo nossos pais sendo nossos principais pilares, nossa principal referência para a nossa caminhada terrena evolutiva, são pessoas capazes de errar também, ao qual haveremos de ter a mesma paciência e respeito ao qual eles sempre doam a nós. 

Ocorre no planeta de expiações e por exigências do destino de sermos amparados não por pais e mães concebidos no ventre, mas do amor, saibam que devemos honrá-los sem qualquer desequilíbrio de nossa balança da vida. 

Converse sempre com seus pais e escute-os sempre, se há alguma magoa, compreenda peça perdão e perdoe-os enquanto pode fazê-lo; se há matéria que discorde, dialogue; se há alguma dificuldade, confie e desabafe; se há dores, peça o remédio; se há tristeza, peça colo, se há alegria, compartilhe; se há amor, devote-o; se há a velhice da idade corporal, ampare-os; se as mãos e as pernas tremerem, segurem-nas; se não conseguirem manter a mesma firmeza para levar o alimento a boca e deixar que estes caiam sobre a mesa, paciência e amor. 

Busque não deixar para a saudade e para o remorso o que pode ser vivido e reparado neste mesmo instante, procure viver a paz no coração de saber que de fato honra-os. Não os abandone jamais.
 

Dr. Bezerra de Menezes, escrito pelo médium Marcelo Passos

Nenhum comentário:

Postar um comentário