domingo, 8 de março de 2015

Busca


 

O fardo é proporcional às forças, como a recompensa será proporcional à resignação e à coragem. (Allan Kardec)

 

Ao longo do desenvolvimento da sociedade tem-se criado uma enigma quanto a verdadeira face de Deus perante nós e em todo o universo que nos cercam neste grande mistério.

 

Quando consultamos e estudamos as passagens sagradas da humanidade, vemos a atuação de Deus sob os povos e também o que desde a época se é herdado com o renascer das gerações.

 

Nenhuma criatura pode-se considerar desprivilegiado, afinal é do Criador de tudo e do universo que nos faz existir. Acompanhamos na historia inúmeros enviados que tem propagado e pregado a vontade de Deus sob a linguagem pátria de cada coração.

 

Diversos pontos podem parecer indecifráveis no meio de uma nevoa de conceitos subversivos a ordem divina e com o intuito de atrair noviços a uma ordem egoística e preconceituosa quanto às possibilidades de Deus que nos é favorável ao conhecimento. Entre todas estas características há a lei da reencarnação, onde podemos compreendê-la nos estudos mais profundos e sinceros do livro sagrado e codificado nos estudos de Allan Kardec que nos norteia ao entendimento e ao esclarecimento de pontos obscuros que em diversos momentos não encontramos as devidas respostas.

 

Compreendendo e entendendo os motivos de tudo ocorrer a nossa volta e mesmo conosco se faz primordial o conhecimento para o avançar da evolução mais célere, e quanto mais aprofundar nos estudos maior poderá ser o esclarecimento e favorável auxiliar em nossa fundamental mudança em determinadas posturas a merecer o tal sonhado tesouro no céu que Jesus já nos esclareceu a oportunidade de recebê-lo.

 

O instituto da reencarnação na humanidade levanta uma serie de discussões quanto ao seu aceite, para uns é impossível retornar e refazer a sua caminhada, outros aceitam com certo descrédito e tem os que plenamente estão convictos e buscam a cada dia melhorar sua postura frente à vida e a Deus. Analisemos a seguinte reflexão: se um irmão comete uma serie de erros conscientes, e outro irmão segue com obediência a vontade de Deus no planeta que o acolhe, seria justo este primeiro ter os mesmos privilégios que o segundo apenas com o cessar de sua jornada e nenhuma conseqüência atribuída a ele? E aquele outro não receber a recompensa merecidas dos céus pelo eximo trabalho desprendido e realizado independente da natureza?

 

A encarnação planetária do espírito vem esclarecer o teor e o entendimento de haver extrema diferenças no planeta, onde determinadas situações confrontam o nosso equilíbrio e mesmo entender a justiça divina diante de fortes impactos sociais. Quando nos colocamos aos estudos verdadeiros, esclarecemos que nada acontece por acaso, e a cada ciclo que findamos prestamos contas de todos os atos e sentimentos, dos pros e contras, e recebendo assim a sentença conforme a proporcionalidade de nossa própria consciência. Nenhum de nós será condenado às penalidades sem tê-la motivado, e nenhum de nós  receberá as recompensas sem tê-la merecida.

 

O Criador conhece muito bem a cada um de nós e sempre nos proporcionará as oportunidades do recomeço e impondo a cada um de nós a sua merecida conseqüência, por isto amado comece desde já a organizar o seu próprio céu.

 

Dr. Bezerra de Menezes, escrito pelo médium Marcelo Passos.

 

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário