quarta-feira, 4 de fevereiro de 2015

Controle das Emoções




Fico triste quando alguém me ofende, mas me sentiria ainda pior se fosse eu o ofensor, magoar alguém é terrível. (Chico Xavier)


A existência humana colocam os espíritos eternos em constantes transformações e capacitação em face do progresso natural de cada estação que nos é permitido desembarcar para poder continuar o processo de purificação e salvação, mas antes haveremos de vencer diversas situações para poder merecer um degrau significativo nesta infinita caminhada em que todos nós, na engrenagem universal do existir, deveremos vivenciar para justiçar e valorizar todas as conquistas e sabendo identificar cada sinal de Deus nas mais variadas formas e condições ao nosso testemunho.

Em cada etapa haverá suas distintas dificuldades e facilidades, aos quais todos irão deparar ao longo da sua infinita caminhada o resultado desta realidade que nos acompanhará por toda jornada, entendendo que a realidade presente serão as consequências das escolhas se refletindo no momento em que cada um haverá de arcar com suas peculiares opções, onde se o caminho escolhido for o do bem, mesmo enfrentando diversas dificuldades, haverá sempre consequências afins, mas se a escolha for por estradas tortuosas não há como ser diferente a referida colheita e por mais que haja uma aparente riqueza material que possa impressionar, mas haverá sempre um vazio significativo e determinante na existência deste autor que causará transtornos múltiplos em sua realidade.

E nesta direção nasce à simpatia e ou mesmo a antipatia que causamos ao meio em que estamos inseridos, o impacto da nossa presença quanto aos nossos atos que causamos a sociedade diante das ações praticadas e mediante ao sentimento que há em nosso intimo se refletirá nas situações reais da existência presente, não há como desejar ser uma unanimidade entre os homens, mas o que ofertamos ao nosso meio ambiente causará o impacto e o momento de confraternização ou mesmo isolamento dependendo apenas do caminho a se percorrer. Essa proposição não visa inibir a manifestação dos sentimentos quanto há vários momentos de nossa caminhada, afinal, a acidez de determinadas palavras em muitos instantes serão necessárias para refletir no outro que há sempre um limite quanto aos seus atos e exageros que devam ser respeitado e buscando o incentivo para as suas melhorias, bem como afagar com elogios o seu semelhante quando se fizer necessário. E se o mau humor ofender de forma gratuita e desacerbadas o seu próximo ou ti ser o injusto ofendido, saibam que cada um deverá arcar com as consequências dos seus atos, afinal é de nossa responsabilidade do que ofertamos ao próximo e a sociedade quanto às situações que se é praticada e tendo-nos o repto como causa. E buscando compreender na razão da consciência de que quando se é magoado o tamanho que é a verdadeira magnitude da sua tristeza que se é sentida no seu intimo e no que podemos causar no outro quanto ao magoa-lo, sendo que cada um receberá de forma diferenciada a ofensa deferida e de que forma responderá a si.

Diante uma palavra ou um ato mal praticado poderá custar uma seria divida para com o seu próximo e trazer um grande dano a consciência e as situações diversas diante das consequências e ao qual poderá atrasar por um longo período a evolução para mundos mais felizes, em que estes deverão renascer quantas vezes forem necessárias para se equilibrarem e atingirem o ponto de ideal de equilíbrio para seguir na prosperidade.

Embora ninguém possa voltar atrás e fazer um novo começo, mas qualquer um pode voltar e refazer um novo fim, e são nestas palavras que encontramos a essência do verdadeiro perdão para com as nossas dividas aos quais poderemos a qualquer instante e pela grandeza da humildade pedir ao nosso ofensor e ao ofendido essa máxima e buscando sempre nas oportunidades ofertadas corrigir os nossos erros cometidos e mesmo que a confiança seja perdida e que fiquem os vestígios de magoas como as cicatrizes quanto às feridas causadas, mas o verdadeiro pedido do perdão já é o cumprimento da sua parte ao que é determinado pelo nosso Pai para com a nossa salvação, o arrependimento.

Quando o arrependimento é verdadeiro e mesmo que não traga a mesma harmonia de antes com pessoas e situações, a sua importância ao proposito de qualquer mudança voltadas exclusivamente para o bem é uma significativa e importante evolução que o espirito adquire para sua eternidade, e sabendo aproveitar a oportunidade de fato e praticar essa nova fase e viver a nova situação, saibam que os novos horizontes que percorrerão não permitirão o cometimento dos mesmos erros e também inibirá outros, mas para que isto aconteça na sua grandeza será fundamental ser honesto consigo mesmo nos seus atos e sentimentos buscando sempre o controle das suas emoções.


Dr. Bezerra de Menezes, escrito pelo médium Marcelo Passos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário