sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

Nosso Caminho



Procure descobrir o seu caminho na vida. Ninguém é responsável por nosso destino, a não ser nós mesmos. (Chico Xavier)

Somos a unidade criada por Deus no amor e na vontade soberana de sua grandeza e que nos faz existir e sermos frutos desta semeadura, onde o nosso dever será sempre ofertar o que de melhor de nosso fruto podemos doar a todos que desejarem servir-se da nossa máxima condição.

Periodicamente o criador nos rega com todos os benefícios para a manutenção da existência, oferece ao nosso espirito eterno sempre a condição de fazer o melhor a cada dia e se for preciso em novas roupagens para sempre renovar-se e tornar-se grandes na oferta e na saúde a beneficiar a todos ao redor.

Diante deste paradigma que é a metamorfose de transformação da nossa alma, temos o livre arbítrio como a nossa melhor virtude para conduzir o próprio destino por conveniência e optar pelas escolhas e tendo de compreender que todas as buscas terão consequências justas perante os desejos consumados.

Muitos irmãos ainda creditam a sua caminhada e seu destino sob a orientação alheia baseando-se no conhecimento de outros mais para conduzir o seu caminho e não tendo em si o arbítrio necessário para o conhecimento de sua real capacidade de transformação, evidente que não devemos fugir da confraternização universal a querer viver no isolamento de sua espécie, justamente por isto o Senhor uniu os homens em famílias e amigos para auxiliar no progresso coletivo, afinal não conseguiríamos se desenvolver sem o amparo de nossos semelhantes e de toda forma de natureza que nos faz proteção e nos recebe no amor, mas temos de conduzir a nossa direção.

A nossa existência e o nosso desenvolvimento dependerá sempre do outro para continuarmos a nossa missão pessoal designada pelo Criador, como os nossos pais que nos dá o acesso vital para podermos continuar o desenvolvimento na matéria e aprender com as lições fundamentais para o desenvolvimento virtuoso que o espirito levará consigo por toda eternidade, compreendendo que mesmo no amparo, na acolhida e nos primeiros ensinamentos sociais para se viver em respeito e harmonia fraterna cada um de nós trará na sua historia a sua exclusiva bagagem do presente de dividas a serem saldadas e de missões a se cumprirem diante de suas peculiares escolhas feitas pelo caminho.

Ao buscarmos compreender e entender de verdade o sentido das lições que Cristo nos ensinou e continua a nos ensinar na pratica da realidade como o verdadeiro motivo da existência, da realidade e de vislumbrarmos racionalmente a vivencia de tantas desigualdades que testemunhamos pelo universo poderemos compreender assim que somos os únicos responsáveis pelo direcionamento e consequências de nossa caminhada.

O que certo e errado serão medidos como retorno quanto aos atos oferecidos, o que alegra e o que fere no outro será medido pelo conjunto dos atos praticados, ou seja, o que se pratica para com a sociedade será o efeito causado na realidade e nas experiências a que serão sentidas pelo indivíduo trazendo a ele harmonia e alegria ou a angustia e a solidão, afinal o que oportunizamos do outro sentir diante da nossa presença e qual o reflexo que impactaremos sob a ótica coletiva é exclusivamente atos da própria vontade, onde não deveremos nos esconder por traz de falsos álibis e coautores as ações da própria miséria, pois já compreendemos que temos a liberdade de ir e vir e de conduzir o próprio destino para onde melhor nos convenie, agora se somos vulneráveis ao pecado e se o desejo é acompanhar as facilidades da aventura irresponsável, assuma a sua escolha e suas consequências, e se desejar retomar ao caminho do bem, Deus e os entes amados estarão com seus braços abertos a lhe receber, mas para isto é preciso reconhecer suas fraquezas, arrepender-se de verdade dos males causados e praticados, cumprir e saldar os seus débitos para merecer a verdadeira salvação e por mais que caminho possa parecer difícil, mas será purificando que cada conquista e cada obstáculo superado se fará merecimento para a salvação e de ter a sua felicidade eterna, lembrando que para ser feliz a busca é pessoal, mas que se reflete na universalização.

Tendo boa vontade e honestidade para contigo, consegue-se qualquer vitória.

Busquem retirar de si os maus instintos que o levam apenas ao sofrimento, a incredulidade, as dores, as dúvidas e toda forma de desunião e desagregação, tente sempre controlar os ímpetos, e ao invés de atender apenas aos instintos animalizados do impulso a querer viver egoisticamente o excesso de um curto tempo onde poderá comprometer toda uma história ao fim de seu ciclo, saiba que a felicidade é algo muito maior do que atender a sua vontade mais supérflua que não proporcionará qualquer significância na sua prosperidade. Mas afinal como posso identificar o que é certo ou errado? Basta visualizar na sua própria caminhada o retorno que o presente estará lhe proporcionando, ou seja, é alegria ou é dor? Encontre a sua resposta.

Dr. Bezerra de Menezes, escrito pelo médium Marcelo Passos.


Nenhum comentário:

Postar um comentário