terça-feira, 27 de janeiro de 2015

Fazer o bem sem esperar o repto



“As pessoas esquecerão o que você disse, as pessoas esquecerão o que você fez”...Mas elas nunca esquecerão... “Como você as fez sentir.” (Chico Xavier).

As palavras e ações para com as instancias do bem não devem servir como parâmetro para medir como somos bons quando as benéficas que podemos proporcionar ao próximo e menos servir como instrumento para exigirmos do Criador o retorno que julgamos ilusoriamente merecer.

Existimos para ajudar e compreendendo que a força do Criador diante da lei de ação e reação será justa para com as nossas atitudes promovidas ao meio em que estamos inseridos para aprender e também ensinar no universo do nosso conhecimento.

É muito comum entre os seres ajudar e esperar o retorno imediato cobrando as taxas de reconhecimento por suas ações, e muitos se frustram quando a gratidão não faz jus a sua obra, mas ao conhecer de verdade a vontade do Pai para conosco sob a nossa oferta em servir, vislumbramos que o nosso reino inicia-se através da doação universal para em uma instancia superior merecer o quinhão meritório e se aqueles que trabalham com intuito de receber o reconhecimento e condecorações do homem, não serão merecedores das graças eternas, pois já o recebeu entre os homens.

O bem que praticamos será o nosso advogado por toda eternidade e assim como a superação dos erros sendo transformados em acertos e na dosagem dos excessos praticados para o reequilíbrio justo e humanizados elencadas a demais conquistas para com a reforma universal do bem, que são essas as mais importantes conquistas alcançadas pelo nosso espírito, seja na condição encarnada ou não, podendo alcançar a coroa do bem como a prática simples do amor ao próximo em toda sua magnitude como compreender o outro como a si mesmo.

Quando auxiliamos o nosso semelhante e junto a ele conquistamos o êxito por seu objetivo, de certo que o reconhecimento em algumas situações não poderá ser reciproco quanto à vontade que se espera, mas compreendendo que este jamais esquecerá o bem que lhe fora prestado mesmo sem jogar-lhes os confetes por sua participação e o que será marcado em nosso espírito nas páginas da eternidade, pois é este o sentido de amar, em doar sem esperar o retorno e crendo sempre na justiça divina que nos ofertará tudo aquilo que pudermos proporcionar para a nossa historia e ao universo quanto à qualidade da obra verdadeira e praticada na soberana bondade.

Muitos exigem de Deus o reconhecimento de todo o bem praticado, mas muitos ainda não são capazes de reconhecer o bom da vida e retribuir ao Senhor o bem que lhe é proporcionado como o dom da vida concebida no amor incondicional e para fazer sempre o melhor para com seu semelhante aonde somos filhos do mesmo Pai e concebidos do mesmo amor.

Fazer o bem é o nosso dever e toda sua instancia deve ser praticada com naturalidade e é isto que o Senhor espera de cada um de nós, buscando compreender o que é nosso por direito nos será devido pelo conjunto do trabalho merecido, por isto ao ajudar não espere o salário por seus atos, pois se assim for não terá mais o que esperar para si, pois afinal a sua contrapartida já lhe fora paga e não haverá mais nada o que arguir ou mesmo exigir do Criador aquilo que não lhe é mais devido.

O Reino da felicidade não esta limitada e presa ao planeta e sim a liberdade por toda eternidade, mas será entre os homens que começaremos a construir todo o nosso maior império e no lapso temporal sob a nossa exclusiva vontade.


Dr. Bezerra de Menezes, escrito pelo médium Marcelo Passos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário