quarta-feira, 3 de dezembro de 2014

Amor não se define




O amor não prende, liberta! Ame porque isso faz bem a você, não por esperar algo em troca. Criar expectativas demais pode gerar decepções. Quem ama de verdade, sem apego, sem cobranças, conquista o carinho verdadeiro das pessoas. (Chico Xavier)


Amai uns aos outros, disse-nos o mestre que nos reúne, e é neste gesto tão nobre que podemos expressar um dos maiores sentimentos que temos a fazer manifestar o melhor de nós, e é o único sentido capaz de nos fazer livres e realmente completos nesta jornada em que havemos de desempenhar no universo de Deus que nos abrilhanta com o dom da vida.

Quem realmente pratica deste sentimento sabe o quanto as possibilidades de caminhar em paz são autenticas. Mas o que é amor? Como defini-lo? Esta pequena expressão não há como defini-la em uma única intepretação pela sua magnitude onde possa ser decifrado em singelos vocábulos. O amor é o sentimento capaz de nos fazer livres e nos proporcionando serenidade e emoções diversas ao bem neste infinito oceano de sua dimensão.

O amor é facilmente confundido muitas vezes por outros sentimentos que traz emoções que possam causar confusões diversificadas, há aqueles que definem amor pelas posses e pelas paixões de um momento, mas é um comportamento egoístico na sua proporcionalidade e que muitas vezes faz sofrer quem se tem direcionado um determinado sentimento afetivo, há aqueles que forçam um sentimento no outro e aqueles que criam expectativas a satisfazer suas fantasias. O desejo pessoal é muito presente nestes momentos, mas limitado a lascivas vontades individuais e nisto traz uma cadeia de duvidas e mesmo o surgimento de sentimentos inferiores, como raiva e ódio, até mesmo inveja, já que o egoísmo neste aspecto é o maior veiculo condutor das mazelas humanas, onde muitos ambicionam compulsoriamente em ter o outro por mero capricho, este é o mestre sentido do engano.

Há diversas outras paixões ruinosas que despertam a perturbação individual e que muitos creem ser amor, onde são inseridos pela força da ilusão os sentimentos pessoais mais perversos em que muitos irmãos por atitudes malévola acabam por adoecer a si e quem esta ao redor pelos excessos cometidos, como há aqueles que não conseguem domar os seus próprios impulsos e desencadeiam confusões pessoais trazendo perturbações e mesmo obsessões diversas, onde brota em si os mais improváveis desejos ocultos a querer viver intensamente um momento, sufocando e criando expectativas que possam causar serias decepções ao outro, a si e até mesmo contra o criador que sempre atua impedindo que excessos sejam praticados, mas quando o ato vai além destas fronteiras é porque as forças ocultas da maldade desperta em seus agentes as posturas mais primitivas e nisto forma-se essa avalanche de sensações ruinosas que surram e arrastam os seus praticantes a vergonha moral perante a sua própria consciência.

Amor não comunga com prisão, tristeza ou mesmo posse egoística. Amor é liberdade, é doação, é fraternidade, é compreensão, é perdão, é afeto, é complexidade, é auxilio, é amparo, é superação, é conforto, é segurança, amor é sonhar, amor é transformação, é criação como nós que somos frutos do amor de Deus que nos criou e que é capaz de sempre nos transformar.

Amar é preciso viver sem despertar o desejo do repito, é no amor que podemos ser salvos e salvar a todos, amor não escolhe gêneros, simplesmente se sente e pratica, não há mais nada o que dizer sobre o amor, como também não há como defini-lo.  

Simplesmente ame.


Dr. Bezerra de Menezes, escrito pelo médium Marcelo Passos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário