segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

A História sem fim





Gostaria de dizer para você que viva como quem sabe que vai morrer um dia, e que morra como quem soube viver direito. (Chico Xavier)


A morte é o sopro renovador de nossa existência, a cada ciclo que fechamos é um novo que se reinicia em uma dimensão ao qual efetivamente merecemos pelo que trabalhamos no contínuo progresso de nosso espírito rumo ao reino dos céus no lar a direita do pai, aonde conquistamos através de muito trabalho de paz aliados à superação, a reforma contínua de nossa obra e a caridade que jamais cessa de nossas atividades universais.

Cada etapa de nossa existência equivale a um livro, onde começamos, desenvolvemos e findamos um ciclo, sendo que a cada pagina nossa, a cada capítulo nos são determinantes para nos posicionarmos na grande estante de nossa eterna biblioteca de Deus, onde nos renovamos em novas escritas. Amados, todos nós somos uma historia continuada, o nosso espírito, o único ator, que se desenvolvem em diversos personagens da vida real ao qual escrevemos os nossos dramas e as nossas comedias neste vasto universo de Deus que nos inspira sempre a continuidade da vida nossa de cada dia numa nova ideia e novos planos para o bem.

A nossa história não tem fim, o que se finda são todas as etapas que nos é necessário viver neste rico progresso, a cada momento nosso é fundamental aproveitar cada momento que nos faz presente, seja os momentos de alegrias e tristezas nas suas mais diversas ramificações. É-nos necessário à manutenção benéfica de nossa conduta a merecer as bênçãos e as graças divinas na busca de paz de nossa caminhada, principalmente quando os momentos de conflitos nos bate a porta pedindo para fazer parte de nossa existência com o proposito de nos ensinar a força de nossa fé a serviço do bem pessoal a se refletir em seu irmão. 

Os livros de nossa vida são fundamentais para novas e decisivas experiências ao caminho de Deus na eterna felicidade de seu reino, mas para isto é preciso fazer a nossa parte e compreender que ninguém é decisivamente responsável pelo nosso progresso a não sermos nós mesmos, que temos nas nossas escrituras a vontade, a conduta e os sentimentos como reflexo do momento. Todos os nossos familiares e amigos são importantes ao nosso auxilio e progresso, como também devemos ser importantes na vida de nossos irmãos e também de toda criatura orgânica e inorgânica que compartilha conosco a mesma evolução.

Quando encerramos um ciclo em nossa vida nos é realizada uma resenha de todas as nossas condutas, e o resultado é o que nos dará a condição verdadeira de qual será a nossa realidade por um tempo ao qual nos fará refletir tudo àquilo que praticamos.

É comum presenciarmos irmãos na condição encarnada e mesmo desencarnados; ao qual cada um deve cumprir sem privilégios a sua jornada evolutiva, bem como aos resgates ao qual se faz obrigatória a vivência de todas as instâncias momentâneas a viver a justiça divina; a deixar sempre para o dia seguinte a mudança de postura principalmente quanto aos seus atos e exageros que o levam a estagnação de seu tempo e a perda das oportunidades que passam como o curso do rio, onde não se saberá quando será possível a uma nova chance, e nisto muitos acabam encerrando seu ciclo com antigos e novos débitos ao qual será necessário aguardar uma nova confiança a poder saldar os débitos e merecer fazer parte da morada eterna ao lado de Deus.

Compreendemos que o nosso espírito é imortal, o que deve morrer são os nossos pecados ao qual devemos aniquilar por completo de nossas vidas, já a esperança nunca deve morrer, pois ela, assim como a benção de Deus, é imortal, pois tudo que é de Deus se perpetua como nós e todos aqueles que amamos.

A morte não é o fim de tudo, mas sim a renovação da vida que são todas as novas etapas ao que devemos cumprir, mas é comum quando se há a despedida seja de quem parte do mundo espiritual para a vida planetária como ao avesso, a tristeza e a saudade que fere até um novo reencontro, mas é fundamental compreender e tomar nobres posturas para merecermos reencontrar de imediato os nossos amados no instante de nossa mudança, bem como viver a paz e o progresso nosso de que tanto desejamos para nossa condição real, e se não nos portarmos como bons filhos de Deus certamente levarão algum tempo consideráveis e angustiantes a acontecer um novo momento a poder viver o que buscamos nos instantes de alegrias. A nossa evolução depende somente de nós onde devemos aproveitar todas as oportunidades que Deus nos oferece e com todas as ferramentas do progresso a começar pela nossa vida, por isto é preciso viver intensamente o bem de hoje e amar uns aos outros incondicionalmente na compreensão como se o amanhã não viesse, pois somente assim será possível crescer naturalmente conforme a nossa capacidade de amar.

Não deixemos o remorso de um tempo perdido nos corroer a consciência quando a qualquer momento podemos agir aproveitando os momentos belos e eternos da vida, não permitamos que o orgulho e a vaidade ruinosa nos faça chorar pela inercia e pela omissão, por isto é importante viver o momento que é real a construir as possibilidades de paz do amanhã, pois se deixar para depois já poderá ser tarde e o arrependimento nos acompanhará por muito tempo.

Ame muito hoje e não espere o repito amanhã e saiba que não há nada mais satisfatório de uma consciência pura na eternidade dando-nos tudo que desejamos viver, a começar pelo reencontro de quem muito amamos e que nos fora temporariamente apartado pela saudade da esperança.

A nossa história não se acaba, simplesmente se renova.


Dr. Bezerra de Menezes, escrito pelo médium Marcelo Passos. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário