quinta-feira, 30 de outubro de 2014

Pendulo da balança



Deixe algum sinal de alegria, onde passes. (Chico Xavier)

Em vários momentos em nossa caminhada existencial vamos nos deparar com situações adversas, momentos de alegrias como de tristezas, e é este o trabalho de equilíbrio que devemos praticar em nosso cotidiano, ou seja, ninguém é imune de viver os dois extremos da vida, o importante é unir as duas forças e buscar aprender com todas as oportunidades e fazerem-se pessoas de bem. É evidente que cada irmão na sua unidade adquirida com as experiências e as lições a serem vividas e praticadas passará por situações que cada um dos lados pesará com uma força de maior intensidade, sendo-nos necessários a busca do auxilio seja em qual momento for, pois até mesmo nos momentos de francas alegrias deveremos solicitar ajuda também para não nos vislumbrarmos como uma única situação e quando das primeiras tormentas não se desintegrar por completo com angustias e depressões.

Buscar trabalhar a felicidade pelo campo do amor requererá de todos nós diversos sacrifícios pessoais a atingir este sentido, essa luta começa por compreender-nos em nossas fraquezas e também habilidades para buscar sempre renovar os pensamentos e os sentidos para facilitar a nossa condução prospera e assim fazer a nossa imagem semelhante ao do Senhor. Os sacrifícios que deveremos passar não estão diretamente associados aos manifestos que presenciamos em muitos momentos das particularidades de muitos e muito menos buscar querer escalar altas montanhas para querer provar sua fé e o seu agradecimento a qualquer graça alcançada, o maior desafio nosso é vencer os nossos preconceitos, nossos medos, nossas misérias e nossos pecados a ceder e respeitar ao próximo em suas posições neste infinito universo, o nosso maior adversário é aceitar o próximo também com as suas fraquezas e na distinta evolução, não há como embutir no outro nós mesmos, como no que cremos ou compreendemos ser o sentido de felicidade e conquistas.

Sabemos que somos todos diferenciados em nossa caminhada, mesmo em comunhão com a família, com os amigos e qualquer outra coletividade que nos fortalece na caminhada prospera em união, pois fomos criados individualmente pelo Criador e neste proposito recebemos a cada instante uma nova pagina neste fantástico livro de nossas vidas e que somos nele o principal personagem que comanda cada capitulo sob a nossa vontade e perante o olhar divino que nos acompanha e também anota em nosso diário a justa passagem de cada linha que somos responsáveis por anota-las.

Há um sentimento que devemos praticar e que é contagiante a qualquer momento que o manifestamos que é a nossa alegria espontânea a comandar com satisfação o sorriso alheio através do nosso bem estar e neste caminho fazer-nos o ponto de busca de todos aqueles que se encontram tristes e necessitam de um incentivo de alivio a facilitar e a amenizar os sofrimentos seja ele qual for e é evidente que nem a todo instante será possível à demonstração de alegria, haverá momentos que deveremos ser sérios para compreender e ensinar, como também nos momentos de tristezas, choros movidos por circunstancias adversas que nos farão reconhecer em nossa intimidade a aceitar os rumos do destino e buscar as forças do recomeço de muitas situações, mas seja qual for destes sentimentos acontecer havemos de sempre trabalhar o equilíbrio, se o pendulo pesar para qualquer de ambos os lados, aproveite o momento para embutir o sentimento divino a comandar suas forças, pois quando chegar novamente ao nivelamento ideal termos a força necessária para seguir em frente nesta prospera caminhada de oportunidades de crescimento e de salvação. Por onde for passar deixe a sua marca de alegria, para que amanhã você seja o ponto de apoio e de reequilíbrio de outros irmãos, pois as buscas das nossas forças e do nosso reequilíbrio certamente encontraremos noutro irmão.

Jamais devemos agir a querer ser como uma ilha inexplorada e repleta de mitos e temeridade para que outros irmãos não deseje ir até nós. Quando manifestamos qualquer sentimento de segurança e damos as aberturas necessárias para sermos visitados e mesmo explorados por outros em busca de nosso mais precioso sentimento de felicidade pelo amor dos nossos recursos inesgotáveis certamente não sofreremos com a solidão e compartilharemos com demais alegrias que nos será compartilhado por aqueles que nos tem gratidão e se mesmo assim não tivermos o reconhecimento da sua intensão e da sua oferta jamais se entregue a desilusão, espelhe-se em Jesus que mesmo tendo sido traído jamais deixou de nos amar e dispôs o seu coração a nos receber na sua proteção e caminhar conosco rumo à morada eterna.


Dr. Bezerra de Menezes, escrito pelo médium Marcelo Passos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário