sexta-feira, 8 de agosto de 2014

O Consolador



            É importante destacar a importância de todas as doutrinas na formação moral de uma nação em prol dos ensinos de Jesus na seara familiar, pessoal e no trato com a vida em um todo, cada qual com suas responsabilidades e trabalhos de evangelização.

O cristianismo trouxe para o mundo as paginas do evangelho no seu novo testamento sob as ações e lições diretamente orientadas e ensinadas por Jesus, bem como traz nas escrituras sagradas no velho testamento a origem da vida e a importância de cada momento vivido por muitos naquele tempo até o divisor do tempo Jesus mostrar um novo caminho sob o pilar da experiência.

            O que está descrito no antigo quanto no novo testamento a disposição de todos, muitos ainda não alcançaram o mínimo do proposito que Deus tem para nós e principalmente quanto às ações de progresso para o amor fraternal, houve melhorias sim, mas não o suficiente para a humanidade encarnada glorificar a paz que tanto se almeja desde então.

            Quando Cristo esteve entre nós, esteve com os sacerdotes do templo que pregava a vinda do Messias, os altares eram repletos de conhecimento, cultura, ostentação e inteligência principalmente para com as leis de Moises, as regras eram aplicadas com veemência e rigor para quem desviasse do caminho, onde os pecadores eram excluídos e banidos da sociedade e compreendiam que a vinda do escolhido fosse repleta de pompas e luxos materiais conforme era costume da época louvar a Deus e para eles jamais o enviado poderia ser representado na figura singela das vestes e da falta de tradição familiar em que Jesus fora concebido.

            Na sua época Jesus causou bastante perturbação nestes poderosos que não conseguiam no posto máximo de sua hierarquia aceitar que este homem de costumes simples poderia a vir ser o salvador, era Jesus considerado um desertor das leis mosaicas e um perturbador da ordem pública, principalmente quando ele atendia sem preconceitos e vergonha os pecadores humilhados e perdoando em nome de Deus os pecados deste, o acusavam de blasfêmia, o que causara ira dos senhores do templo. Em muitos momentos Jesus foi testado pelos doutores da lei a ir contra as leis de Israel para ser preso e condenado, mas como sabia da intensão perversa destes, jamais transgrediu ou mesmo criticou os costumes, simplesmente colocou todos a refletir sob seus atos perante o que era pregado por eles e que era seguida a época pelos costumes patriarcas.

            Aos pecadores era dada a virtude do perdão, aos enfermos a cura, aos ignorantes a sabedoria com suas palavras e ensinamento que eram acompanhados de perto pelos que queriam encontrar motivos para punir aquele humilde homem, não prestavam atenção nas suas palavras com amor e sim com ódio que Cristo causava na reflexão e na vergonha de suas consciências. É como a semente de rosa que jogadas as rochas e aos espinhos, não terá condição de germinar por mais que tente e as caem sob a terra terão as que darão cem rosas, outros cinquentas e outros trintas conforme a disposição, assim era estes senhores, tinham a terra fértil ao seu lado, mas suas disposições lhes permitiam apenas florescer o que suas capacidades de absorção e germinação permitissem e outros mais não conseguiam sequer brotar um singelo broto, como acontece até o presente momento, temos a terra fértil e produtiva que é o evangelho, mas cada um germina o que melhor pode exprimir de si na proporção que é peculiar. 

           
            Após um longo período desde então, fora apresentado à humanidade sob a confiança do criador um novo proposito de salvação, o espiritismo, que é a união de forças do bem com a orientação de Jesus no plano eterno na codificação de um novo horizonte sob a importância da vida e as respostas que tanto se buscava desde a origem de tudo. Este novo caminho na sua raiz e no progresso trouxe o conceito do mandamento de Cristo no amar um ao outro e as virtudes que devem ser adotadas por aqueles que realmente desejam a salvação de uma forma tão simples e fácil de adotar, bastando apenas à vontade, nada demais.

            O espiritismo veio para dar um sentido a mais na vida e a sua importância na moralidade pura e verdadeira acima das riquezas materiais que são importantes e consequências do bom trabalho, mas que não traz o preenchimento de lacunas que esvaziam uma existência sem obras. As pretensões do espiritismo não é ser a maior ou a mais importante forma de atuação, ela atua como Jesus agia, veio para mostrar a boa nova, mas que não obriga a ninguém a segui-la, mas quem a procura poderá encontrar nela as respostas que tanto busca para um vazio e para porta-se verdadeiramente sob a vontade de Deus diante da humanidade e a importância que temos no momento encarnado bem como nas missões póstera na universalização da vida

            O espiritismo é muito combatido pelas doutrinas conservadoras que insistem em permanecer com as mesmas posturas dos sacerdotes do templo na época de Jesus, combatendo com veemência o que se prega e ensina e não adentram na raiz da verdadeira pretensão do que se é proposto. Sob a liderança de Allan Kardec nada contrario ao que Jesus pregou ele destoou, simplesmente mostrou pela interpretação sob a orientação dos espíritos de luzes o caminho para a leitura mais clara e mais certa para a salvação, podendo ser utilizada por quem quiser, sem a necessidade de sacrifícios desumanos e materiais. Jesus na sua época era uma doutrina nova, como o espiritismo é na humanidade até então e quem escolhe este caminho, sabe que nada foge do evangelho de Cristo, simplesmente se dá continuidade a existência.

            Todas as doutrinas em sua essência são sagradas, inúmeros irmãos de elevada iluminação na sociedade de Deus já pertenceu e pertence a cada uma delas e até quem esta fora dos templos é filho de Deus e com as mesmas oportunidades de salvação, quem busca a salvação na raiz do evangelho puro tem a compreensão e as portas abertas para o conhecimento sem fronteiras e poderá encontrar em todas as religiões um sentido, uma palavra de paz para uma caminhada feliz. É importante destacar que assim como em todas as doutrinas há os bons, há também os males que impregnam sua alma com os preconceitos e as intolerâncias peculiares e atacam o outro, por isto que um dos ensinos mais importante da doutrina, diz “Que fora da caridade não há salvação”, pois nesta verdade traduz o sentido mais justo da existência, auxiliar o outro e a si sem distinção e que poderá um irmão viver dentro dos templos, ser líder de seus segmentos, mas não o credenciará a salvação, que dependerá somente de sua obra eficaz de lealdade a Deus a serviço do bem, cegos dos olhos da carne, mas iluminado pelos olhos do espírito. Pois os mesmos sacerdotes do templo, da época de Jesus encarnado, pregava a vinda do Salvador, foram os mesmos que condenaram Cristo a morte pela crucificação.

            Essa é a posição e o sentido verdadeiro do espiritismo, que não visa atrair simplesmente um número grande de adeptos, simplesmente ensina e mostrar um sentido comum de caminhada com segurança e fé em busca da felicidade e do progresso e nisso o que demais tem sobre as lições de Cristo? Nada, é tudo que Jesus quer.

Antes de condenar e sentenciar o espiritismo sem a luz do autoconhecimento busque vislumbrar o seu conteúdo principal e verá que não há nada demais, o que ele nos mostra e comprova que a vida continua e que o que acontece conosco diretamente estão alinhados as nossas próprias escolhas e não apenas por culpa de terceiros, se adoecemos é porque provocamos de alguma forma e o mais importante saber que podemos sempre recomeçar, nascendo, renascendo, vivendo e progredindo tantas vezes quantas vezes forem necessárias é o que diz a lei de Deus.

            E aqueles que adotaram a filosofia do espírito como norte de sua caminhada, não cometam o sacrilégio de condenar qualquer outra doutrina e os irmãos nelas inseridos, bem como os que não creem nas religiões e mesmo na existência do Criador, afinal somos todos irmão e com as mesmas necessidades de iluminação e direito ao progresso, é essa a verdadeira fraternidade.


            Dr. Bezerra de Menezes, escrito pelo médium Marcelo Passos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário