sexta-feira, 1 de agosto de 2014

Fé, perseverança e caridade.



           
            A vida no planeta expiatório serve de escola para aquele que verdadeiramente deseja vencer e prosperar para mundos mais felizes, mas para que isto aconteça efetivamente requererá de seus habitantes posturas honestas para com a dinâmica da vida carnal, são as ações diárias de trabalho e de transformação permanente, tanto no campo material e principalmente no aumento das benéficas espirituais eternas a serviço de seu próximo através de sentimentos e ações de paz em escalas industriais de oferta do bem gratuito.
           
            É preciso sempre está compreendendo seu semelhante para atingir a meta necessária para viver neste globo com a paz e o comprometimento com a verdade divina a serviço das posturas diante das adversidades múltiplas que haveremos de se posicionar com equilíbrio a merecer um degrau positivo nesta evolução sagrada e possível a todos.

            Haverá momentos em que o desequilíbrio, o desespero e a falta de esperança se abaterão sobre o universo pessoal diante de tantas mazelas e crimes diversos cometidos pelo homem que leva por afastar e mesmo ser objeto de duvida aos seguimentos do bem a obediência às leis divinas, este sentimento meus amados, entra em choque quando noticiados e vivenciados momentos de perversidade da astucia maligna que trabalha para se posicionar em destaque a vida planetária e se deleitar com as misérias que coloca sobre as obras e as leis do criador a perder toda obra de Deus a começar por nossas existências e no que temos a ofertar.

            Deus nos enviou seu unigênito para salvar os pecadores e humilhados pela soberba e pela ignorância de muitos que ditavam leis e regras que impunham sobre a humanidade nas suas penalidades perversas e que faziam de homens de bem em verdadeiros miseráveis sem ao menos oferecer aos ditos desviados e pecadores a oportunidade de se arrepender de seus erros. Por isto enviou Jesus para falar e salvar justamente os pecadores, injustiçados e humilhados que não mais tinham esperança, suas diversas enfermidades tomavam conta de sua existência, como a doença do espírito que não se curava, pois a eles lhe faltava à caridade dos homens, mas Cristo veio e retirou de cada um a riqueza mais sagrada que até hoje podemos carregar e manifestar com louvor que é a graça da fé e da perseverança e foi o que aconteceu com aquela multidão, que tinham a fé inabalada em seu coração, mas eram tolhidos pela cólera dos sacerdotes que arbitrariamente atuavam em nome de Deus de forma contraria a bondade que exala da força de nosso Pai.

            Por diversos momentos irmãos são impedidos de manifestar sua opinião por razões de serem indignos diante da presença dos soberanos, pelo fato destes simplesmente habitar em povoados humildes e de não pertencerem a uma classe privilegiada da riqueza material e mesmo cultural, estes acabam por sofrerem com os escarnados por não pertencerem a classes afortunadas. Sendo sua cultura e conhecimento amordaçado dentro de si, poucos são os que conseguem romper esta barreira e impor seu conhecimento ao bem, mas para isto sofre como aquele povo que sempre guardava ouro precioso em sua intimidade, mas eram excluídos e julgados como criminosos da lei por aqueles ditadores por não ser um destacado entre a multidão.

            Todos carregam dentro de si uma capacidade e uma riqueza especial, que é a riqueza da existência sobre a vontade de Deus, que ao longo de sua caminhada lhe é dada a faculdade do conhecimento e da existência real do Pai e suas vontades. Nosso Pai não nos obriga a nada, nos mostra que há dois caminhos que nos são oferecidos e a liberdade de escolher o que é melhor, um é o do mal, o caminho mais fácil, mas que o coloca sempre numa posição inferior, onde não lhe permite o verdadeiro conhecimento da verdade de Deus e sendo privilegiado das graças eternas, este caminho é imposto sobre estes os piores sentimentos que um homem pode carregar na sua bagagem, como: o ódio, o rancor, a intolerância, a cólera, o escarno ao próximo sobre a sua posição social, a corrupção da barganha e de privilégios indignos a si, a intolerância a crença alheia, o apontamento aos erros e a sentença a ser imposta convencionalmente de suas regras, a ingratidão ao bem e ao auxilio do mais humilde prestado a si e tendo como consequências a amargas tristezas sem esperança, depressão pela falta de sentido a sua vida, a solidão pessoal mesmo cercado de uma multidão, a falta de amor de alguém especial a tornar suas fraquezas em preenchimento e proporcionado o pilar de suas quedas, pois é este as consequências que o maligno nos oferece sem esforço.

            Agora, quem decide pelo caminho do amor de Deus e pela sua estrada, logo de imediato encontrará diante de si diversos obstáculos e muito trabalho, sendo-o muito mais árduo e desafiador do que o caminho do mal, eis a razão que muitos tomam o caminho contrário, pois não há dentro de si a fé necessária para vencer de verdade e adquirir as experiências eternas e serem merecedores de uma graça profunda que é a paz e a felicidade que tanto se almeja por completo. Voltamos ao tempo de Jesus encarnado entre nós. Aqueles que eram excluídos por diversas razões de suas escolhas pessoais, eram afastados da sociedade com ferocidade e cólera, até mesmo crimes eram cometidos contra a liberdade de atos praticados por muitos, mas esses eram jogados a sarjeta sem o menor pudor e não lhe eram facultado o direito ao templo a redimir-se de seus pecados, muitos choravam e morriam sem esperança, acreditavam serem pecadores que não mereciam o perdão divino. Por esta razão que Deus enviou seu escolhido, Jesus Cristo, para justamente salvar todos estes desesperados que eram massacrados por uma lei contraria a vontade maior.

Cegos e leprosos curados, mulheres perdoadas e colocadas juntos aos homens como filhos de Deus e sem desprezar as leis de Israel Jesus mostrou o quanto nosso Pai é misericordioso e nos permite sempre o recomeço para reparar nossos erros e perdoar e ser perdoado e mostrou-nos a verdade das verdades eternas, o que causou cólera entre estes poderosos que ditavam as leis conforme suas vontades.

Aqueles que eram curados tinham dentro de si a maior das virtudes, a fé, essa capaz de romper a mais poderosa parede de rochas que pode impedir a livre caminhada, essa fé que abriu os mares para a salvação do povo oprimido, como a época de Moises. Aqueles que eram perdoados pelo arrependimento verdadeiro, recebia de Jesus a instrução de não mais pecar, enfim, foram caminhos árduos e difíceis que estes povos tiveram que percorrer para atingir a salvação eterna e serem merecedores de toda graça real e divina, pois habitavam dentro de si a fé que lhes permitira a perseverança e caridade salvadora de Deus que nos mostrou que fora dela não há salvação, mesmo dentro dos templos.

Por isto tomamos o caminho da persistência com fé e transportando naturalmente dentro de nós a caridade universal dentro de todos os recursos possíveis que ela nos oferece, se o trabalho será longo, árduo, causará muito suor, sangue, lágrimas, quedas e desafios, lembrem-se de que nada dessas lutas será maior que as bênçãos de Deus sobre nós.

Se o planeta está cada vez mais difícil pelas ações do mal, não se deixe influenciar, busque tomar o caminho certo, saibam que todo merecimento se conquista através do trabalho e da vontade, tente vencer tudo isto e evite que a inercia de seus atos interrompa sua evolução e seu progresso, pense sempre em coisas boas é fácil, como agora, pense em algo de bom (...), veja como é fácil, agora repita todo o tempo e verá o quanto viver o bem será contagiante e as esferas do mal não passará de uma simples pedra capaz de salta-la.


Dr. Bezerra de Menezes, escrita pelo médium Marcelo Passos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário