quinta-feira, 21 de agosto de 2014

Falsos Cristos



A ganância, o orgulho, o poder, a vaidade tem acompanhado o homem por muitos milênios, antes, na passagem e após com a vinda de Jesus encarnado e enviado a nós pelo amor de Deus, veio Ele propagar a boa nova, o que não foi ainda capaz de impor limites nas perversidades de muitos irmãos encarnados e mesmo desencarnados a pratica de atos nefastos e cruéis principalmente para com os irmãos mais humildes, onde podemos ver o quanto às maldades têm dominado os continentes.

Jesus em sua passagem entre os encarnados já fazia este alerta contra os falsos profetas, pois sabia o quanto a pratica da falsa pregação e da ilusão que muitos impunham e se diziam os privilegiados de Deus no planeta, onde esses humilhavam os mais humildes aplicavam sentenças arbitrarias e faziam julgamentos perversos por praticas em que muitos contrariavam as suas regras, este comportamento era praticado a sua época pelos escribas, saduceus e fariseus que abusavam da conduta falsamente em nome de Deus e que se envaideciam por serem reconhecidos e cumprimentados em praça pública, tornando-se seres arrogantes por elegerem-se superiores aos domínios intelectuais e por descrever as passagens com articulação e propriedade impar, ao contrario de Jesus.

Conhecer a palavra e ser obediente a vontade de Deus é um privilegio e mesmo um dever que devemos praticar e saber desde a origem e de tudo que se perpetua no planeta, o antes e pós Cristo e a busca da verdade nas lições de como devemos se portar e aprender a lidar com o próximo quanto a sua evolução e principalmente ao próprio comportamento frente à caminhada fraterna. A importância de propagar o evangelho em diversas nomenclaturas doutrinárias abre as possibilidades do irmão modelar para melhor a moralidade e o comportamento respeitoso que há de ser compartilhado por todos independente da posição e das conquistas progressistas em qualquer situação, seja no campo material, intelectual e espiritual, tudo que aprendemos é nosso dever ensinar e claro respeitando o livre arbítrio para que todos busquem suas concepções de verdade e utilizem para o bem sem preconceitos.

O que vemos com bastante fartura entre os homens é a falsa posição de enviados de Deus e nas praticas dos chamados milagres em nome do Criador, sabemos que todos somos merecedores das indulgencias de Deus com base no merecimento conquistado pela própria vontade e pelo trabalho de elevação e superação dos males que impregnam a caminhada individual de cada ser e que para alcançar a satisfação do bem estar necessitaremos sempre se aproximar de um irmão melhor equilibrado, independente do credo e demais particularidades.

O fenômeno do falso cristão atinge principalmente o mundo espiritual em atividade planetária, onde em determinados momentos irmãos espirituais que tiveram no planeta posições importantes, aonde suas vontades eram acatadas e ordenadas, usam de suas habilidades e qualidades a influenciar no livre arbítrio de irmãos encarnados a fazer destes escravos de sua vontade e também usurpar a figura de nomes respeitáveis de importância celestial para querer manter seus status e domínio sob uma grande massa e nestes casos em diferentes localidades religiosas a influencia destes sob irmãos é destacada pela arrogância e na prepotência de seus dirigentes em suas pregações e conceitos, principalmente quando a posição em que se destacam causam comportamentos arbitrários de proporções condenáveis e desprezíveis aos olhos do Criador, como podemos comprovar nos sacerdócios que creem fazer parte de um numero seleto de pessoas sob influencia da vontade de Deus e usam de seus postos a causarem dores, humilhações e rangeres de dentes aos desesperados e pecadores, a estes são dadas a mesma qualificação dos sacerdotes da época de Cristo onde nada mudou desde então na prepotência humana, na limitação moral de suas misérias.

O verdadeiro profeta é aquele que deixa as suas necessidades supérfluas, as suas vaidades e o seu orgulho para traz e que colocam a caridade sempre em ação a frente de seus atos egoísticos, o verdadeiro profeta é aquele que age como Cristo com humildade e modéstia, que não se envaidece da confiança e das benéficas ofertadas pelo Senhor e simplesmente colocam em pratica os desígnios determinados ao bem da sociedade sem a necessidade de confetes. Ser profeta não é querer provar ou fazer milagres espantosos ou algo místico além da normalidade do conhecimento humano, ao contrario, o verdadeiro profeta é aquele irmão obediente a Deus em que nada de espetacular tende a ofertar a não ser trabalhar diante da vontade de Deus na humildade e na caridade de ser a todo o momento dentro do universo desta virtude um servo especial, bem como no auxilio ao irmão em necessidade diversa e utilizar-se da fé para superar as próprias limitações e ser amigo sempre de seu semelhante e de todas as criaturas de vida orgânica e inorgânica, ser profeta é compreender as fraquezas alheias é ser prestativo sempre, é ser bem humorado, sereno, paciente, amar a todos como a si mesmo, orientar seu irmão dos perigos, ser guardião das necessidades e da ignorância alheia e compreender que as ações do verdadeiro e bom profeta não se limitam as nomenclaturas religiosas e sim atos e sentimentos praticados em todos os lugares, o profeta de verdade de nada sabe, aprende todos os dias e a todo o momento.

É importante compreender essa exposição amados, e ao se depararem com qualquer irmão que se intitulam enviado de Deus, observe se nele a sinceridade das palavras soam sem a conveniência restritiva, pois o verdadeiro profeta é aquele que fala como Jesus, para todos e sem distinção, mas aqueles que se dizem e se intitulam o enviado tomem cuidado com suas pretensões e palavras, pois o verdadeiro escolhido não necessita de publicidade, pois é no verdadeiro cristão que todos poderão ver e sentir a transcendência da luz divina agindo com honestidade e esperança e que assim como Jesus este será manso e humilde de coração e que jamais despreza qualquer manifestação ou forma de vida existente seja nas pequinesas ou na grandeza, nas singelas gotas de vida manifestadas nas mais insignificantes ou magnânimas fontes de existência, veja como o verdadeiro enviado é muito mais que uma vontade de ser é na verdade ser.


Dr. Bezerra de Menezes, escrito pelo médium Marcelo Passos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário