terça-feira, 5 de agosto de 2014

Em busca da paz



            É muito comum ao ser sabatinado em qualquer momento e nos perguntar, o que busca para sua vida? Muitos irmãos têm sempre respostas voltadas para riquezas matérias e demais beneficias do gênero, mas o que muitos destes querem de verdade é viver uma paz no seu cotidiano, pois estas respostas voltadas aos bens materiais é a busca que muitos desejam a uma satisfação de sossego na sua vida em comum.

            Quando manifesta o desejo de riquezas é porque buscam uma paz. Mas como essa paz poderá ser genuína e poderá ser desfrutada em meio às mazelas sociais que rondam o planeta? Vemos diversos desafios impostos a nossa caminhada e mesmo a vida de quem nos cerca, a sensação de paz e bem estar sempre deve ser alinhada a busca incessante de lealdade e gratidão às obras divinas, ou seja, obedientes a Deus no tocar da alma na compreensão de um universo e louvar a Deus em tudo que nos é ofertado, mesmo que seja uma enfermidade.

            Nenhuma abundancia material é razão exclusiva para a verdadeira paz que todos buscam ao deitar a cabeça sobre o travesseiro da tranquilidade, pode auxiliar nesta virtude, mas não é o fator fundamental. Vemos uma gama de irmãos possuidores de fortunas materiais que vivem cercados de tristezas e solitários em sua realidade, mesmo que a residência seja inundada de pessoas, mas o sentido íntimo revela em muitos momentos o abismo envolto da sua estrutura, é o vazio da alma da falta do verdadeiro amor a si no que tange a vida em simplicidade e humildade.

Acreditam muitos que essas virtudes esta aliada à pobreza dos bens, ao contrario, a verdade que os irmãos não se devem apegar em demasia a bens supérfluos da matéria que simplesmente satisfaz por um momento e onde não poderão levar consigo no momento de sua entrega do corpo a mãe terra e de sua caminhada de volta a casa eterna, onde ao lhe perguntar o que traz consigo em sua essência, nenhum ouro e nenhum status poderão responder a seu favor, ficando então o contexto de relevância de obras que construíra sob sua existência em favor do bem, se nada tiver para falar a seu favor deverá por merecimento acatar com resignação o que a consciência por justiça o convenie e ofertar a seu favor, ou seja, as limitações da existência.

Neste instante que poderemos vislumbrar a verdadeira justiça e a misericórdia do Senhor que nos mostra o verdadeiro mérito que construímos de relevância sob a confiança da encarnação e as oportunidades diárias que são ofertadas para elevar-se a verdadeira paz. Um operário no momento da verdade poderá subir sob a abundância das graças eternas e o considerado afortunado ser levado a regiões simplórias a poder adquirir o instituto da simplicidade e da humildade aliada ao respeito e a lealdade a Deus a favor do menos favorecido.

Novamente questiona-se: Então devo vender tudo o que tenho e viver na pobreza da matéria e poder ser merecedor de bênçãos e das graças eternas aliadas à paz? Não, a condição financeira material jamais será critério único de avaliação de méritos, o que de verdade será creditado são as obras praticadas para com o bem sem olhar a quem e essa prática não escolhem e não são exclusivos de determinadas classes sociais ou situações do generis, poderá no reino do Senhor o afortunado subir a sociedade do paraíso e o operário descer as zonas das misérias a refletir sob seus atos. A riqueza de bens é uma confiança que o Senhor deposita no individuo por méritos construídos por seu trabalho, onde os espíritos poderão desfrutar em sua caminhada terrena com o compromisso permanente de produzir o bem em toda sua instancia e possibilidades, bem como aliviar o fardo de seus irmãos, mas essa situação de riqueza material é mais perigosa ao espírito, pois poderá os seus atos comprometer sua caminhada, pois a este os prazeres do mal como a soberba, a vaidade, como o orgulho em suas diversas faces nocivo estarão sempre à espreita a guia-lo pelos vales obscuros das agressivas posturas frente ao seu próximo, geralmente aos mais simples e desafortunado da matéria e é onde a força de vontade e a fé em Deus serão essenciais para desvencilhar destas ofertas malignas.

Diante desta realidade vemos que os bens produzidos e adquiridos na matéria não passam de simples detalhes e condições para a realização de obras favoráveis ao bem, sendo que essas ações e os sentimentos verdadeiros poderão ser o advogado pela sua eternidade, ou ser a sua perturbação por muito tempo.

Se você tem uma fortuna, vive uma vida confortável e é usufrutuário de diversos bens materiais; afinal ninguém tem a posse de nada tudo é emprestado por Deus; agradeça a Ele e veja como pode aliviar o caminho de outro irmão, construa o bem de verdade de varias maneiras, sim, todos podem encontrar algo que lhe dê satisfação e produza efetivamente, não deixe passar as oportunidades e não se entregue a uma existência sem referencia aos benefícios da caridade pura, mesmo com pouco também pode construir um bem enorme a favor da fraternidade, as beneficias não estão aliados a quantidade e sim a qualidade que traduzida a uma obra bem realizada poderá sim ser desfrutado por uma quantidade real.

Este é um dos vários caminhos que poderemos aliar-se na busca pela verdadeira paz, na estrada divina há diversas possibilidades a sermos merecedores das graças eternas nas várias moradas da casa de nosso Pai, nenhum irmão planetário é detentor de uma única verdade, pois a única verdade, assim como o único caminho e a única vida encontramos em Jesus Cristo, este sim o caminho da nossa salvação, não somente na sua figura física, mas principalmente na pratica das suas lições ensinadas começando pelo arrependimento dos nossos pecados com o compromisso de não mais pecar e buscar sempre ver no outro o mesmo amor que deseja que o Senhor manifeste a você.


Dr. Bezerra de Menezes, escrito pelo médium Marcelo Passos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário