quinta-feira, 24 de julho de 2014

Insensata Vingança



São bastante comuns no universo existencial a pratica de atos contra a própria natureza e contra a paz individual em que diversas situações como os transtornos e o desequilíbrio poderão tomar a frente da paciência e da tolerância que tanto buscamos trabalhar e exercer neste mundo em que estamos todos envolvidos, ações essas movidas principalmente por situações promovidas por outros irmãos que ainda caminham para a auto iluminação. 

Quando há a agressão de natureza diversa contra nós, logo o desejo de replica aparece com cólera ao nosso intimo, o desejo de vingar e causar a mesma dor ou mesmos transtornos piores passa pela mente do sentimento ofendido e nestas horas que havemos de colocar em pratica a verdade do evangelho consolador e redivivo de Nosso Senhor Jesus Cristo, onde nos ensina a perdoar e amar os nossos inimigos para que alcancemos a salvação desejada.

Está certo que distintos pensamentos anticristãos surgem nos momentos de severidade das palavras e ações de outros irmãos contra nós ou mesmo a quem amamos e desejamos defende-lo com vasta astucia e aniquilar qualquer forma maligna que possa destruir a existência desses. Os irmãos planetários galgam a própria luz e o brilho divino na alma a poder seguir em frente e prosperando para mundos mais felizes, mas para alcançar estes objetivos leais, há de vencer sentimentos como estes que fora apontado, principalmente o desejo de vingança múltipla que desencadeia diversos outros crimes contra Deus e contra sua própria caminhada evolutiva. 

Quem nunca pecou que atire a primeira pedra contra seu próximo, com este ensinamento Cristo colocou aos doutores da lei e aos sacerdotes do templo a refletir contra seus próprios atos e pensamentos quando queriam apedrejar a mulher adultera que segundo a lei deveria ser punida com tamanha vingança, Jesus em momento algum foi contra esta lei e os costumes da época, simplesmente colocou todos a pensar e refletir individualmente seus atos, então nenhum daqueles atirou a pedra, pois todos sabiam que encontravam dentro de si pecados de diversas formas e então não poderiam cometer a sentença contra aquela mulher com desvio de condutas que muitos possuíam e até graves, mas neste momento estes ditos poderosos se entregaram a própria vergonha. Então Jesus perdoou a mulher e aconselhou-a a não mais pecar, não impôs a condição, simplesmente mostrou a ela o caminho da redenção, ficando a ela o discernimento de seguir ou não com o ensinamento do Mestre. 

Dentro desta logica devemos repensar nossos atos quando o desejo de vingança atiça nosso impulso e germina na alma este veneno autodestrutivo, onde muitos persistem em cultivar em si essa erva daninha nos jardins da vida. Como destacado, haverá momentos em que estes desejos passarão sob a consciência de muitos, principalmente nos momentos de cólera e injustos ataques contra si, mas o verdadeiro cristão e os tementes a Deus saberá contornar estes momentos com altruísmo e logo estes sentimentos dará lugar a indulgencia do perdão e da oração, pois quem reconhece Cristo como salvador saberá o quanto o desejo de vingança faz seu agente morrer de todas as formas e quem realmente quer a salvação, coloca em pratica as ações do evangelho salvador e eliminará todas as formas tentadoras da morte.

Para os possuidores de sentimentos como o egoísmo, a vaidade, os orgulhos movidos pelo excesso material e pela pobreza espiritual tomarão estas palavras como derrotismo e covardia, infelizmente estes ainda deverão estagiar por longos períodos até adquirir na existência a matéria fundamental da humildade do coração. Humildade essa que fez o ladrão reconhecer em Jesus o filho de Deus e arrepender-se de seus pecados e pedir ao mestre que se lembrasse dele quando estivesse em seu reino quando esteve ao seu lado na cruz e teve seus pecados perdoados e a promessa de estar junto com Ele no Paraíso e viver a felicidade verdadeira, pois este com todos os seus pecados teve diante de ti, mesmo na fronteira da morte, a oportunidade da salvação e assim o fez, lembrou-se de pedir perdão, reconhecer seus erros mesmo diante do vale da sombra e da morte e a sua fé em não temer a escuridão das trevas o fez merecedor da salvação.

Por isto evitemos esperar a ultima hora para arrepender-se de toda a forma de pecado totalmente extinguível na vida, se o desejo é realmente a salvação tenha a persistência, a fé e a coragem para aproveitar todos os dias a se arrependerem e poder merecer por justiça o Paraíso sem as dores e as lamentações quanto da oportunidade perdida. 

A iluminação da existência do espirito não dependerá de ninguém a não ser da própria vontade de resplandecer o maior dos seus brilhos. Não mate-se pela vingança, não envenene sua vida com este que é dos mais letais sentimentos que um homem pode possuir e cultivar no seu intimo, perdoe e ame, pois estes são as maiores virtudes e o verdadeiro caminho até Jesus que é o caminho, a verdade e a vida, afinal, ninguém chegará ao pai senão por ele através de ações e sentimentos verdadeiros e puros de bondade e caridade, não demore e pratique o amor. 

Dr. Bezerra de Menezes, pelo médium Marcelo Passos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário