terça-feira, 22 de julho de 2014

Amar também os inimigos


           
Jesus Cristo nos ensinou e praticou a virtude mais nobre na existência de um ser, o amor, sentimento este capaz de transformar qualquer homem em exemplo de superação e de obediência a Deus que nos ama com todas as nossas misérias e pobrezas morais que insistimos em mantê-los quase sempre na personalidade que formamos ao longo do universo e do tempo que nos é especial e único.

O sentimento do amor ao longo dos tempos tem ganhado força e sendo muitas vezes banalizado no seu verbo do que propriamente representa esta expressão, irmãos de elevada posição evolutiva tem feito desta virtude ato de atendimento as suas necessidades carnal e pouco espiritual, sendo este segundo o que mais importa para a nossa existência. Mesmo estando os espíritos estagiando na forma material corpórea, o espírito e suas habilidades e manifestações perante as diversas obras do criador, tem nos posicionados em destaque no lugar onde nossa vontade e pratica tem nos levado, o amor é a chispa da luz eterna e nela grava tudo o que é imperecível a matéria, pode muito bem o que é amor possuir a pessoa amada em toda sua forma, mas se o sentimento verdadeiro não for genuíno, não será possível senti-lo em toda sua essência e qualquer sinal de tempestade esvai-se tudo aquilo que se dissera existir.

Não somente na força afetiva o amor é expresso, mas de varias formas e manifestação do seu sagrado instituto, o amor esta em compreender o próximo e ser indulgente com seus irmãos nas suas diversas formas evolutiva que vem muitas vezes de encontro a nossa posição real. O estagio planetário bem como nas colônias espirituais espalhadas por este universo encontraremos irmãos de todas as formas e posições hierárquicas do sentido do conhecimento e do progresso conquistado, temos um posicionamento especial neste universo, mas há sempre aqueles que estarão acima ou abaixo de nossa posição e o que jamais devemos fazer é não estagnar onde nos encontramos e sempre buscar uma posição melhor e merecido e menos ainda se sentir grande frente a outro irmão com necessidades mais frágeis que a nossa, estamos sempre no meio e isto nos coloca na posição e na necessidade de compreender as obras de Deus perante nós e exercer o amor em toda sua plenitude e vontade.

Afeiçoamo-nos a irmãos afins que nos causam uma sensação de bem estar e liberdade, sentimos fortes e sadios perante este amigo, amizade construída ao longo das existências e também conquistada de forma inédita na vida pessoal, adquirimos uma unidade e cumplicidade, confiando segredos e desejos diversos a própria existência, sentimos amados e amamos incondicionalmente este amigo que se forma tanto no seio familiar quanto na vida plural.

O maior desafio do espírito não é somente amar quem o ama, este sentimento é muito fácil e não há qualquer esforço e superação que o possa coloca-lo num patamar especial frente à presença e nossa obra perante o Senhor, a nossa principal meta é justamente fazer como Jesus nos ensinou e orientou, amar a todos sem distinção e nesta virtude pura esta em amar quem nos causam certos embaraços e mesmo antipatia nesta estrada onde estamos todos envolvidos, mesmo que há irmãos que tomam direções contrarias, mas estamos todos nesta unidade e Deus sempre estará aposto a acolher a sua ovelha desgarrada. Mas o amor ao seu desafeto ou inimigo como queira classifica-lo não terá a mesma postura de confiança que tem para com um amigo leal e sincero, pois este irmão mesmo sendo amado por ti precisará, como a você mesmo, ter uma postura sempre posta a uma reconciliação e tomada de uma nova amizade, mas de uma forma freada e gradativa.

Amar o teu próximo com quem tem desafeto é ter sentimentos altruísta mesmo que este não retribua para ti o mesmo sentido, ama-lo é não ter o desejo de vingança e menos ainda sentimentos contrários à lei de Deus, ama-lo é esta em oração por ele, assim como ampara-lo em qualquer dificuldade, compreende-lo nos momentos de ataques e injurias que possa deferir contra ti perdoando-o, ama-lo é se não pode ajuda-lo então não prejudique-o, ama-lo é não coloca-lo em situação vexatória ou mesmo humilhante para que também não sofras a vergonha perante a justiça divina que também poderá coloca-lo numa situação igualitária, ama-lo é esta em poder deixa-lo ser livre como você também deseja, ama-lo é trabalhar o perdão verdadeiro das ofensas e reformar os sentimentos motivadores egoísticos tomados por seu intimo de diversas manifestações e motivos que o levaram a tomar tamanha cólera sobre este seu semelhante.

Visualizem irmãos como o sentido do amor é vasto e possível a qualquer um, precisando apenas de ter uma postura e ter uma ação efetiva para possui-lo e mesmo mantendo a cerca diante do latifúndio do seu sentimento poderá e sempre encontrará espaço para amar cada vez mais e assim poder compreender os mistérios da fé que tanto é importante quanto a nossa existência que e fruto da vontade do Criador.

É tempo de reconciliação irmãos, abra o seu coração para o amor e permita o acesso de todos e em especial dos desafetos, pois este também poderá lhe ser útil no seu caminho, mesmo que o momento e a consciência não o coloquem friamente a senti-lo, mas somos todos irmãos e concebidos da mesma vontade, vamos vencer os sentimentos nocivos e pereceis, deixemos as indiferenças para o maligno, vamos vencer este mal que povoa os filhos de Deus e isto é um pedido do Pai que vem desde antes a presença do Messias entre nós e que foi consolidado por ele, por isto amemo-nos uns aos outros como ele e como nós nos amamos e busquemos sempre hastear a bandeira da paz.


Dr. Bezerra de Menezes, pelo médium Marcelo Passos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário