terça-feira, 8 de julho de 2014

A Nobreza da Humildade



Nosso Senhor Jesus Cristo veio chamar todos aqueles que estão cansados e arrependidos de todos os seus pecados, veio para calmar os corações humilhados e confortar os enfermos, veio para amar os mansos e humildes de coração que igualam seus corações ao dele conforme a vontade do Pai.

O planeta expiatório é a escola mais importante em que todos os irmãos há de vivê-lo e vence-lo até alcançar a divina imagem do Criador no Reino Sagrado da Felicidade. O planeta onde a predominância dos males é mais severa e tentadora é onde todos deveram passar pelos testes e superar os obstáculos e tendo no coração o conhecimento das obras divinas do evangelho praticado de Jesus no novo testamento, obedientes à vontade e aos mandamentos do Criador psicografado no Monte Sinai por Moises.

Diversos irmãos encarnados e desencarnados já trouxeram nas escritas e nas palavras tocados pela vontade divina tudo relacionado ao nosso comportamento frente à humanidade que clama pela salvação pessoal e de seus entes que são entregues a eternidade após estagiar no planeta e acumular sentimentos e atos para com seu próximo e a si mesmo. A justiça divina não agirá apenas no que os irmãos praticaram na vida carnal presente, sua lei é aplicada ao nosso espirito e pontuada em conjunto e a cada instante das boas e más ações expressadas ao qual somamos ao longo da existência. E sabendo aproveitar as oportunidades presente para saldar dividas pretéritas na pratica reformadora dos nossos erros e na elevação nas boas e sempre nas praticas da caridade verdadeira para com a evolução do planeta e da existência coletiva teremos o caminho traçado pelos anjos que dará a nós o rumo da boa nova.

Ao contrario de muitos em que se intitulam justos e conhecedores de suas verdades aos quais poucos têm acesso e liberdade de somar seus conceitos e conhecimentos, a este a misericórdia não lhe dará méritos justos conforme suas conveniências creem, pois muitos de posse de seus orgulhos e muitos destes irmãos considerando-se donos de bens e pessoas ao qual o Senhor não lhe confiou e a cada acessório mesmo em abundancia nada justificam a pratica do egoísmo e da vaidade elevando assim o individuo a prática nefasta da arrogância para com os pequeninos e desfortunados da matéria, usando de poderes materiais e mesmo intelectuais para humilhar e julgar conforme suas leis e costumes os pobres e miseráveis das posses, sendo que a estes são conferidos os títulos mais justos, ricos e verdadeiros onde lhes permitirão o acesso mais fácil ao Reino Eterno. Seu maior bem é a nobreza da humildade, qualidade que somente os verdadeiros filhos do Senhor adquiriram com gratidão, perseverança, simplicidade, fraternidade e devotamento às obras divinas que são acessíveis a todos.

Ser humilde não é se deixar ser humilhado e mesmo massacrado sem resistência, mas é compreender com fé e na justiça divina as fraquezas por meio da violência que lhe é aplicada pelo outro, que usam dos seus vastos instrumentos e conhecimentos que lhe são confiados pela divindade para a melhoria da coletividade e das inúmeras dificuldades de irmãos em progresso, em que muitos espíritos encarnados são levados a submissão daquele que detém méritos das matérias divinas em diversos campos de trabalho que lhe é confiado na missão do ensinamento, a estes injustos a justiça divina é que lhe caberá a melhor consequência, e não será revidando na mesma proporção à mesma injustiça que será feita a devida justiça, mas é se calando para a cólera e desequilíbrio do outro e confiando no maior consolador que é Jesus este que levará os pobres e os humilhados a proteção de Deus Pai.

Bens matérias são acessórios para auxiliar todos os irmãos em tarefas evolutivas do espírito e na pratica divina da caridade no seu vasto horizonte, pode o irmão deter os maiores e mais profundos conhecimentos e riquezas seja em qual matéria for, mas se não usa-los com justiça, desprendimento, honestidade e respeito e não distribuindo conforme lhe é confiado, de nada adiantará gabar-se de tamanhas posses, pois no momento que prestar-lhes esclarecimentos de seus atos de nada desses bens lhe fará álibi a seu favor e o que ficará será o vazio das ações e a vergonha da omissão pelo egoísmo e preconceitos predominantes nos verdadeiros miseráveis da alma, ficando este com as dividas acumuladas e com a bondade divina que lhe permitirá uma nova oportunidade para viver e compreender o sentido da humildade, aplicando-lhe as restrições materiais e mesmo espirituais através de enfermidades que o próprio espírito adquiriu pelos próprios atos, com o proposito de purificar suas manchas e aprender o verdadeiro sentido da humildade, pois está lhe será o trunfo para viver a verdadeira nobreza do bem e resgatar o tempo perdido.

O instituto da humildade não estará simplesmente relacionado com as restrições e misérias materiais, não, pode o rico até ser mais humildade que o pobre e também entrar com louvor no Reino dos Céus, claro que para este os desafios da lutar com as chagas do orgulho, da vaidade, do egoísmo será bem maior do aquele que somente tem o mínimo para caminhar, mas o que verdadeiramente será considerado são as verdadeiras obras que fazemos para com o que e quem nos fora confiado para a prática da caridade pura, verdadeira e desprendida de toda forma de orgulho que veda os olhos para os irmãos em Deus.

Não fujas das simplicidades, ame e ajude sempre sem olhar a quem, estenda sempre as suas mãos para aqueles que estiverem em maiores dificuldades que você, afinal nada lhe custará ou deixara-los em qualquer dificuldade, apenas terá os bons olhos de Deus e sua verdadeira justiça voltada para você.


Dr. Bezerra de Menezes, pelo médium Marcelo Passos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário