quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

Rompendo preconceitos em nome de Deus



Nisso, os sumos sacerdotes e os anciãos do povo se aproximaram dele e disseram: “Com que autoridade faz estas coisas”? Quem te deu esse direito? Mateus. 21,23 b-c.

            É impressionante como o instituto da inveja e do egoísmo tem o poder de cegar homens que se dizem preparados e superiores a outros irmãos e que tem sua capacidade de absorção do poder de Deus limitada a seu mundo encurtado e preconceituoso quanto à fonte de vida que está em toda obra do criador, a começar é claro pela existência que é exclusivo a cada um, sejam encarnado seja desencarnado.

            Podemos com grande fartura ver essa limitação nas doutrinas religiosas, sejam seus lideres e principalmente fieis que se posa de santidade, mas cometem com veemência o sentindo da intolerância principalmente quando outro irmão abriga doutrinas diferenciadas a sua e as guerras religiosas ganhando proporções assustadoras, pois há guerras em nome de Deus que tanto roga pela paz universal.

            Havemos de compreender que o mundo e o desejo de Deus rompem barreiras e permite que todas as diferenças se unam na unidade do bem, mas poucos irmãos ainda conseguem visualizar este proposito e seguir desbravando o mundo com a oportunidade em descobrir novos horizontes. Nascemos nus em todo sentido e ao longo do desenvolvimento canal adquirimos roupagens que servirá de abrigo e descobertas para toda uma existência, mas claro que podemos desde a vontade o discernimento que nos acompanham modificar o que nos é apresentado pela vontade alheia, pois aquele que permitir-se apenas vestir-se do que lhe é apresentado, nada de novo poderá fazer parte de sua evolução.

            Há irmãos que nascem e crescem num mundo material que não ousa mudar os rumos de sua vida e comunga uma verdade egoística e deseja que outros mais vistam a mesma roupagem e quando seu desejo é contrariado a calúnia e a intolerância toma conta da ira e da raiva que muitas vezes é desproporcional a racionalidade que impera sobre todos os filhos humanos do Criador.
           
            Vejam por exemplo este texto, como de demais irmãos espirituais que enviam suas mensagens através de médiuns para o conforto e o sentido de uma nova ideia e novos horizontes, somente é possível no mundo material através do espiritismo pela possível ponte que há nos dois mundos e a amenização do preconceito que predomina na sua essência, evidente que não é a melhor e muito menos a única fonte de conhecimento e salvação, é apenas uma escola como demais outras doutrinas tão importante para o crescimento espiritual e mesmo material humano, mas o conteúdo das palavras é desprezado por muitos, pois no coração ainda impera a limitação da absorção do bom evangelizador, pelo preconceito doutrinário imperialista sobre a humanidade, espiritas, católicos, evangélicos, budistas, judeus, mulçumanos e demais outras filosofias evangelizadoras, enfim uma variedade enorme de escolas, cada uma com sua relevante importância na vida material e principalmente espiritual como fonte de salvação.

            Jesus é a fonte viva de que a união benevolente e equilibrada entre os povos é o desejo do criador, mas desde o tempo de Cristo e mesmo regresso essa máxima ainda esta longe de atingir a perfeição de Deus, o bem e o mal gladiarão ainda por muito tempo e inocentes terão suas vidas interrompidas e o mal triunfante sobre o bem, mas como sabemos a vitória em Deus é muito maior e eterna, claro que muito mais desafiador e agressivo, pois o mal por instrução de seu líder jamais deixará o exercito de Deus em paz para seguir sua caminhada e este campo de batalha é mais perverso na realidade no planeta azul onde o estagio espiritual é fundamental para a elevação do espírito para o reino da salvação, por isto que as desigualdades ainda imperam sobre a humanidade que perdida e sem rumo se encontram, guerras em nome da paz ainda serve de prerrogativa para cometer atrocidades múltiplas e causar dores nas famílias e em futuras gerações.

            Como sabemos o espírito não retroage na sua evolução pode estagnar ou avançar, como a faculdade do discernimento do bem e do mal de posse do livre arbítrio, mas o conhecimento e a inteligência acompanham o espírito por onde sua destinação fizer, mas o uso das faculdades mentais é o desafio principal para a sua existência, por isto vemos a astucia do mal se apoderando de homens cultos e de elevada posição cultural e social cometendo barbáries de todas as formas, sejam nas guerras bélicas como no açoite a alma e o corpo de outros irmãos com o uso errôneo da inteligência.

            Mas onde estará Deus que não freia os sentidos e estes comportamentos ruins do mal? O bem da verdade meus irmãos, o livre arbítrio é lei máxima para todos nós e como ele mesmo nos permite a liberdade não nos limita a nada e as escolhas sendo um direito universal, mas com suas respectivas colheitas, a justiça divina é aplicada conforme nossas escolhas e a cada momento podemos reformar para melhor tudo de ruim que nosso espírito pode produzir. Muitos dizem que Deus castiga, é mentira. Nós mesmos que nos castigamos com nossas condutas.

            E aqueles irmãos que passam toda uma vida praticando somente o bem e sofre com enfermidades e mesmo com a agressividade humana, muitos são perseguidos, achincalhados, zombados e mesmo vitimas de intolerância desproporcional ao respeito e a dignidade, não seria uma injustiça? Podemos esconder coisas de nossos irmãos, mas aos olhos de Deus não, nenhuma ação da criatura humana é esquecida ou desprezada, e até o mais desenvolvido espírito tem suas fraquezas, e para eles também é preciso em muitos momentos parar e respirar. A proporcionalidade da colheita em muitos casos é fruto de uma bagagem que até então não podemos de imediato sondar pelos designíos de Deus, as responsabilidades assumidas e a proporcionalidade da colheita é oriunda exclusiva do espírito em experiência na matéria, lembrando que o planeta azul não atingiu o patamar ideal da regeneração, está próximo, mas ainda há uma longa caminhada até o mínimo sentido, o do respeito, imperar sobre o coração e a vida de todos, para que a harmonia possa iniciar uma prospera caminhada evolutiva.

            A injustiça humana ainda é muito maior que a verdadeira e pura justiça, por isto a desproporcionalidade de comportamentos e agressões físicas e espirituais impera sobre a sociedade e os exageros em nome de costumes e regramentos condenam e sentenciam muitos irmãos, como ocorreu com Jesus Cristo, por isto que o praticante do bem sofre e o ator do mal tem uma falsa imagem de tranquilidade e poder. E sobre o oceano do bem não há morada para mal, pois quem consegue visualizar e romper com os preconceitos oriundos do mal consegue atingir a graça e a santidade divina e para aqueles que não conseguirem aproveitar essas oportunidades, tenha a certeza que na misericórdia e na compaixão de Deus lhe será permitido uma nova vida, com as devidas proporções da vontade do criador.


            Dr. Bezerra de Menezes, pelo médium Marcelo Passos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário