segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

Caminhada peregrina.





Virão dias – oraculo do Senhor – em que farei brotar para Davi um rebanho justo; um rei reinará e agirá com inteligência e administrará no País o direito e a justiça. Jeremias. 23,5:

           
            O governo dos homens ainda está longe de atingir o patamar ideal dos planos divinos, corrupção, desgovernos, injustiça social, guerras bélicas, atentados terroristas, calunias, difamação, tudo em nome de um dito poder são situações misturados com o orgulho e a vaidade excessiva que forma o planeta numa grande desigualdade sem precedentes e sem esperança principalmente para indivíduos e famílias a margem da miséria e da pobreza material.

            Essa situação acompanha o planeta por muitos milênios, um governo justo como de Saul quando assumiu o reinado de Israel ungido pelo profeta Samuel, transformou aquele país num sentido justo, até a incerteza assumir seu íntimo e o desejo de saber quem seria seu substituto, até que Davi surge como seu conselheiro, e ao saber que este jovem seria o seu substituto sua ira tomou todo seu ser e o desvio desertou a justiça e perseguiu Davi até a sua morte na batalha, mas como o futuro rei era e sempre fora protegido e o escolhido do senhor, nada de mal lhe acometeu e após tomou seu posto de direito e de confiança do Criador, transformando seu governo num exemplo de administração.

O governante que buscar compreender o governo de Davi e procurar colocar em pratica todo seu conhecimento terá todas as possibilidades de administrar com justiça, afinal, Davi se aconselhava sempre com Deus para que rumo seguir e ao permitir que o Pai agisse sobre suas ações, o povo sempre fora o maior beneficiado, essa máxima acompanhou Salomão. E após o império romano tomar as rédeas do comando e em nome de um poder interesseiro que visava a todo custo, o desgoverno e as injustiças tomaram conta do mundo, não apenas naquele lugar, mas globalizando toda essa essência maligna que persiste no sentido governamental de todo o planeta.

Estaria então o governo antigo certo e o atual errado? Cada tempo acompanha uma evolução de justiça e de injustiça, mas essa ultima tem atravessado milênios na historia e arrasado com irmãos de diferentes etnias, o consumo de energias tem feito do planeta um grande desafio para o bom espírito que estagia para seu crescimento existencial, como também espíritos de importante elevação hierárquica tendo de estagiar no planeta para adquirir experiências que somente o planeta pode oferecer, evidente que quanto maior a evolução maior será a luta e o sofrimento, pois muitos irmãos ainda não atingiram o ápice de aproveitar com proficiência a escola que cada irmão despenha nas suas infinitas sabedorias, muitas perseguições, difamações e injustas condenações fazem parte da realidade dos espíritos mais evoluídos em experiências na carne.

A disputa desleal tem tornado o planeta cada vez mais desafiador e sensível, pois o orgulho ainda impera sobre a vontade e o livre arbítrio universal, irmãos querendo ser melhor que o outro a todo custo e maneiras e não como a justiça e o tempo devido a cada um nesta caminhada peregrina.

Na consciência de muitos irmãos direito e justiça estão longe de uma realidade e a sua vontade no coração de muitos é tida como uma utopia na intimidade de quem acredita na sua vivência e instalação na sociedade justa e moderna, não discordamos da descrença, os habitantes do planeta desfavorece este sentido justo, a competitividade de governos e nações coloca o futuro humano numa situação bastante delicada, o mal se apoderando dos governantes e a instalação da justiça dando lugar aos sentidos e desejos individuais, como Saul que se esqueceu de governar Israel para perseguir Davi, pela cólera e a individualidade a tomar o lugar da coletividade, que é o objetivo de qualquer governo. Independente de qual seja o sistema administrativo de governo seja ele monárquico, republicano, democrático e mesmo ditatorial se perguntamos a qualquer de seus defensores, qual o sistema ideal, muitas filosofias serão apontadas para justificar o melhor, sendo que na realidade todos tem seus erros e acertos, mas antes de qualquer modelo, há um ser humano no comando e este não é abstrato como a nomenclatura e tendo o homem no poder ainda permanecerá em si e sem qualquer modificação o discernimento do certo e do errado e quem por desejo tomar para si algo que não lhe é devido, responsabilidades lhe serão atribuídas.

Evidente que nem tudo é possível se fazer para os que desejam fazer o bem coletivo, mas todos os esforços para o bem serão recompensados, a justiça de Deus não é como a dos homens que coloca os erros sempre à frente servindo de matéria de sentença e condenação, desprezando quase sempre as boas ações praticadas, na corte celestial nenhuma ação da criatura humana é esquecida ou desprezada. Nesta máxima que caminha as nações sem rumo e sem bussola no progresso, desiludida e sem esperanças que transforma o planeta azul nesta pátria de injustiça.

Mesmo diante desta realidade nociva na sociedade cada vez mais sufocada pelos desmandos do maligno, não havemos jamais de temer a pratica crescente do bem que deve imperar sobre as ações individuais, se boa parte do mundo esta entregue as ofertas do mal nos sentidos mais obscuros da vida não significa que todos devemos seguir como cordeiros para o abate, desertar das fileiras do mal é possível desde que se permita que as lições do Senhor faça parte de todas as ações e fechando os ouvidos e os olhos para as maledicências do mal.

A diferença entre o bem de Deus e mal do Maligno é explicito na sua pratica e vontade, o bem une e o mal desune, o bem é vida e o mal a morte, o bem é a subida e o mal a descida, o bem sorri e o mal chora, o bem é felicidade e o mal é a tristeza, o bem casa e o mal separa, o bem traz a saúde e o mal a doença, o bem é grato e o mal ingrato, o bem é o amor e mal o ódio, o bem canta e o mal cala, o bem adora a Deus e o mal o destrata, o bem esta na justiça e o mal nas injustiças, o bem é luz e o mal a treva, o bem governa e o mal desgoverna, o bem traz a construção e o mal a ruína, o bem é o sol que brilha e o mal a tempestade que amedronta, o bem é a humildade e o mal o orgulho, o bem é a simplicidade e o mal a vaidade, o bem é a doação e o mal a barganha.

A caminhada do bem é uma ladeira íngreme, cansativa e a cada etapa o sentido da vitória e da experiência imperecível, cada êxito uma novidade positiva para o espírito desempenhar a força intrínseca e a disposição psíquica de elevação para o bem e a revelação de que tudo é relevante se viver para a aquisição dos desejos e o merecimento do bem, sendo o caminho do mal uma reta de armadilhas escondidas e explosivas prontas a ser detonada na primeira pisada, destruindo a esperança e quando este dispositivo explode sobre toda uma existência, as dores e a enfermidade levarão muitos as mortes e o tempo incerto para cicatrizar ou quiçá por uma eternidade trevosa.

Permaneça a caminhada do bem mesmo que a proximidade do mal estiver batendo a porta e sua oferta esteja na moda, na realidade da sociedade e no meio que se insere, compreendo que o livre arbítrio é lei, e como tal as escolhas respeitadas pelo nosso criador que em nenhum momento influenciará na sua escolha e sentido, afinal já conhecemos e sabemos o caminho para Deus e seu reino, Jesus Cristo. Evidente que como pai de amor e misericórdia estará pronto e a todo instante nos mostrando o melhor caminho e o bom sentido através de irmãos e das portas a abrigar-nos, mas se a oferta do mal for a melhor a olho nu e o desejo for segui-lo, o que poderá nosso senhor fazer a não ser ampara-lo nas inevitáveis quedas do caminho.

Vamos ajudar a sociedade principalmente na fiscalização dos governos a comandar os relevantes interesses de uma nação, como também ao irmão ao seu redor. Destacando que medidas paliativas não substitui o bem completo, é como muitos irmãos que no momento de dores lembra-se de Deus e nos momentos de farturas e alegrias o esquece. O bem e o louvor ao Pai devem ser permanentes, a maquiagem ao grosso modo pode esconder por um momento as marcas do tempo e os defeitos nocivos em meio a uma series de abismos a consumir uma existência motivada pelo livre arbítrio, mas no primeiro momento da verdade toda essa marca de dor e sofrimento se revela aos interesses sórdidos de um grupo usurpador do direito e da justiça real.

O povo de Deus fora libertado das prisões de soberanos ditadores, pois o Senhor fez e faz justiça, o tempo divino pode parecer eterno no imediatismo que aguça nossa ansiedade, mas creia que o Senhor fará justiça sobre os oprimidos e injustiçados elevando-os ao seu eterno amor e aqueles que são protagonistas das injustas ações, lhe serão também permitido viver o lado contrario, como também lhe será possível à salvação, desde que aprenda o valor do bem imperecível e a chispa universal da luz eterna do amor.


Dr. Bezerra de Menezes, pelo médium Marcelo Passos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário