terça-feira, 21 de janeiro de 2014

O bem em extinção



Uma voz clama: “Abri no deserto um caminho para o Senhor, nivelai na estepe uma estrada para nosso Deus”. Isaías. 40,3.

            Trabalhar os sentimentos terrenos e coloca-lo em ação na sua acústica requer de seus praticantes uma conduta respeitosa e amena, não há como trabalhar e viver o bem sem a disciplina e a serenidade das ações. De certo que os desafios do cotidiano atravessam no íntimo de muitos irmãos a prática egoísta do bem, ou seja, somente é praticada aos que são afins e pouco se faz pelos ditos desconhecidos.

            Atender a máxima do auxílio ao próximo requer em muitos momentos o desprendimento das barganhas sociais, não há como querer a todo o momento obter vantagens pela prestação do bem, afinal, havemos de doar parte do que possuímos e do que nos é dado em confiança pelo criador e a máxima da doação não é necessariamente os valores pecuniários, enfim, a doação pela espécie econômica pode sim atender as necessidades de entidades e irmãos na emergência das suas vontades e atividades, mas a prestação do nosso favor natural deve ser praticada em todo ramo desde o trabalho a atenção e a visitas a irmãos em carências infinitas.

            A esmola pecuniária muito praticada no mundo social traz a maquiagem de uma boa ação, nem sempre aquele que pede a esmola precisa realmente deste bem, a atenção em muitos momentos ao ser escutado e alimentado em suas varias necessidades é a verdadeira boa ação voluntaria que realmente havemos de praticar e o que faz parte da nossa doação espiritual, para essa ação fazer valer sua máxima oferenda requer o desprendimento dos preconceitos e da atenção em favor dos mais carentes e miseráveis de todas as formas não apenas sociais. A miséria moral atinge com bastante agressividade o intimo de muitos irmãos na pratica comum da vaidade e do orgulho, tão presente na realidade social e que sua acústica traz as piores situações e comportamentos individuais e essa situação não atinge apenas aqueles ditos pobres de condições sociais, esta em toda parte e momento.

            O avanço crescente do mal sobre a vida material tem trago bastante resistência a pratica da caridade aos irmãos em necessidades e inclusive tem atingido nocivamente a pratica do respeito múltiplo de irmão para irmão. Ao atendimento ao consumismo e aos acúmulos de bens tem afastado os homens da mais pura religião de Deus, o amor universal. A miséria tem atingido com propriedade a morada sagrada de boa parte dos filhos do Senhor, a ausência da compaixão e da misericórdia, que não é apenas um sentimento exclusivo de nosso Pai, e sim um ato a ser praticado na tolerância e paciência nossa de cada dia tem arrasado com veemência o progresso pessoal de seus praticantes no egoísmo presente no seu interior e levado a muitos ao submundo do mal e das prisões existenciais por não atender e viver a acústica de Deus na pratica do bem.

            É considerado extraordinário a pratica do bem na sociedade moderna, onde seus praticantes encontram resistência e mesmo incredulidade pela sua ação e vontade, para muitos ditos céticos é inadmissível no momento presente um irmão praticar a caridade e o bem sem querer algo em vantagem e não creem que há anjos em forma carnal que realmente coloca o seu tempo e a sua atenção a favor de seus semelhantes, infelizmente essa condição atinge a consciência de muitos irmãos que não conseguem desprender das armadilhas que andam presente na vida comunitária e nessa máxima oferta maligna tão aguçada no consumismo material e no acumulo de riqueza a todo custo traz esse deserto na vida de muitos irmãos.

            O deserto da alma não traz a esperança da chegada final na salvação prometida, muitos tomam este caminho como forma para melhor seguir, no deserto da solidão e da individualidade, para muitos é impossível o compartilhamento da fonte da vida, muitos creem que a salvação pertence apenas a si e a mais ninguém, sendo que a coletividade é nossa principal condição para a felicidade, pois não haveremos de sermos felizes sem viver a felicidade de nossos irmãos. Forma-se neste horizonte o oásis do deserto que se resume as posses e quando acreditam que vão conseguir tudo e apenas para si veem que estão solitários e nada do que visualizaram realmente será seu por completo e mesmo que consiga apossar-se do mundo, mas o mundo não lhe pertencerá e a realidade será a solidão deste norte sem esperança.

            O bem em extinção na sociedade humana é preocupante pelo o desequilíbrio existencial e espiritual frente à agressividade do mal que combate a todos os nossos sentimentos construídos pelo criador a nosso favor, a liberdade de escolha nos alerta pelo caminho a seguir. O Senhor na sua infinita bondade não prenderá e obrigará ninguém a seguir e esta com ele, como a máxima do amor que não prende, não limita os passos, não determinada com acidez os caminhos a seguir, não repreende nossas limitações e posições, não sufoca e não tira a liberdade, respeita a integra individual e sempre estará apostos a amparar a todos aqueles que caírem das armadilhas do pecado e dos que se arrependerem de verdade.

            As consequências da escolha pelo caminho do mal compromete o momento atual planetário, onde o bem está escasso e tido como uma preciosidade para poucos e as ofertas do pecado difundindo nas mais variadas formas e praticas, onde impera sobre os homens a deslealdade, a competitividade agressiva, todas as formas de violência contra todas as obras de Deus, a ingratidão sendo praticada como sentimento comum, enfim essa é a realidade do mal que prevalece sobre a vontade de cada individuo e onde a pratica do bem e suas pretensões são destacada como comportamento improvável no meio deste lamaçal.

            A sociedade esta seriamente em perigo, o mal cada vez mais ardiloso e destrutivo, o bem cada vez mais distante da coletividade social e para muitos corações a falta da presença de Deus pela própria vontade e escolha no sentimento e nas ações tem provocado esta serie de violência e miséria acometendo muitos irmãos.

            Se o seu coração estiver no deserto e essa situação trouxer inúmeros desconfortos para sua realidade, se a falta de esperança não o faz mais buscar o bem e a acomodação da oferta do mal interfere no seu livre arbítrio e faz com que sua liberdade não seja totalmente disposta a seu favor e as consequências sejam as mais castigáveis prisões, saiba que a libertação está no íntimo e as grades das prisões podem ser rompidas com a força de Deus renascente em nós, é compreensível que o caminho para a retirada do mal será difícil, desafiador e em muitos momentos trará sofrimentos e quedas, mas tendo a certeza de viver o bem de Deus há de superar a si próprio e desprender-se das armadilhas da vaidade e do orgulho, aproveitando ao máximo de todas as oportunidades ofertadas pelo Senhor, mesmo que seja na consciência pouco, mas quando aproveitada com gratidão e com louvor, nossa credencial será a luz de Deus brilhando diante das nossas escuridões.

            Não deixe que o bem se esvaia da sua vida, permita que nosso Deus Pai Todo Poderoso de amor e bondade reine e guie seus passos através das instruções dos anjos que sempre estarão apostos a orientar e aconselhar a permanecer no caminho da ressurreição. E tenha a certeza que viver o bem e nunca haverá arrependimento do que é proposto e sua pratica o que jamais perderá sua real majestade. Faça sempre por merecer tudo aquilo que desejar, pois toda oferta benigna será eterna.


            Dr. Bezerra de Menezes, pelo médium Marcelo Passos. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário