quinta-feira, 2 de janeiro de 2014

Desafios para ser um Bom Cristão.



Diante da promessa de Deus não fraquejou, nem deixou-se levar pela incredulidade, mas ao contrario, fortalecido pela fé, deu gloria a Deus. Romanos. 4,20.


            Encontramos em toda sociedade encarnada e desencarnada os intitulados bons cristãos, uns baseiam-se pelas doutrinas praticantes na matéria, outros pelo conhecimento aprofundado da palavra do Senhor, outros por zelar pelos bons costumes morais e sociais no meio em que estão inseridos.

            Caminhar pelo caminho de Jesus não é uma tarefa muito simples ou fácil de praticar, ao contrario, para fazer um verdadeiro bom cristão, deve-se o praticante zelar pela integridade de seu intimo contra as astucia do inimigo, mas o que vemos com bastante fartura é uma avalanche de situações contrarias a estrada de Cristo e a entrega ao pecado da carne e do espirito que corrompem os passos de toda sociedade existencial.

            Fazer a auto avaliação é determinante para se qualificar como merecedores das ofertas e experiências, como a confiança do Senhor, os moradores e habitantes do planeta devem se ater ao seu auto adversário, a vaidade e o orgulho dominante no intimo e na ação e sentimento exposto aos demais semelhantes.

            Encontramos em diversos templos dos ditos representantes de Deus e consequentemente os intitulados bons cristãos a não compaixão com seus semelhantes mais humildes e miseráveis em todos os sentidos, sem generalização, mas encontramos indícios de preconceitos e condenações nas mais variadas formas sacerdotais espalhadas e estudantes do evangelho divino, como também a impaciência dominando o íntimo de muitos societários de Deus nos dois mundos.

            Para ser um verdadeiro bom cristão o individuo deve desarmar-se dos preconceitos, das impaciências e intolerâncias, do ódio, do rancor, da magoa, do desejo de vingança, não haver a ingratidão dominante em sua consciência, desapropriar-se do orgulho e vaidades excessivas que corrompem a alma pelas ofertas malignas.

            O bom cristão deve esta atendo e orando a todo instante, mas não apenas as orações ditadas, ao contrario, é na pratica da religiosidade divina em constante atividade existencial a serviço do próximo. E é importante se ater que religiosidade é diferente de religião, a primeira move-se pelo que o verdadeiro filho de Deus deve praticar diante de todos sem qualquer distinção, ou seja, o bem universal, já o segundo fragmenta e em muitos casos movidos por sentimentos diversos causam exclusão e separação de irmãos por intolerâncias múltiplas.

           
            As sociedades ditas cristãs em muitos momentos andam na contradição da pregação do que aprendem e ensinam, pois a teoria em muitos momentos é mais fácil do que a pratica, afinal o desafio existencial é inúmero. O bom cristão deve servir sem esperar algo em troca, amar sem esperar ser amado, a compreender o próximo como deseja para si a mesma compreensão, a escutar o próximo sem corrompê-los a própria vontade, o bom cristão deve enfrentar os obstáculos sem desanimar e não entregar-se a preguiça e ao medo, a sorrir sem esperar reciproca, a orar sem esquecer o trabalho, a conviver com as diferenças como é diferente a seus semelhantes e a doar sem esperar o reconhecimento.

Para fazer um bom cristão deve-se também valorizar tudo o que tem, a honrar quem lhe proporciona a vida, a não julgar pelas aparências e ou crenças alheias, a não distinguir por etnias ou qualquer outro padrão dito social, a alimentar quem esta faminta de todas as necessidades possíveis não apenas orgânica, a enfrentar a perversão do mal em suas mais variadas formas de encantamento e perdição e o mais importante do bom cristão perdoar infinitamente de verdade as inúmeras fraquezas de seus irmãos independente da magnitude do erro.

Compreendamos irmãos, Jesus veio para salvar todos os pecadores verdadeiramente arrependidos, veio para o pobre quanto para o rico, para o oriental quanto para o ocidental, para todas as raças étnicas, veio para o rei quanto ao mais miserável, mas com a máxima do arrependimento genuíno do pecado, afinal, o reconhecimento das fraquezas é a reforma para o bem é possível a qualquer um, assim como o reino de Deus é para todos. E fazer merecer tamanha gloria será necessário à força de vontade de mudar para melhor.

Qualquer irmão independente da sorte material ou espiritual poder corrigir seus erros, a começar por julgar menos e agir muito mais, servindo de modelo para outros mais poder merecer a máxima da salvação. Mas para isso é preciso reconhecer quando se pratica os males e na verdadeira reparação das suas possíveis consequências nociva à coletividade.

A severidade do bom empregador jamais deve extrapolar pelo caminho da humilhação de seu subordinado, ao contrario, a obediência à conduta e as regras deve sempre proporcionar o exemplo de que para alcançar os objetivos desejados deverá haver disciplina, para o homem da terra a querer adquirir um bem qualquer deve trabalhar honestamente para merecer o desejo, assim como o desejo da salvação.

O agricultor para colher a boa safra deve fazer uma boa semeadura e zelar pelo crescimento da lavoura e protegendo contra todas as pragas destruidoras, o construtor para levantar um edifício precisar de bons materiais e pessoas de qualidade para erguer a construção sem o risco do desmoronamento, o professor precisa se dedicar com genialidade para fazer os futuros gênios, o governante deve se preparar com afinco para fazer um bom governo sem os riscos de corromper e furtar as necessidades por direito de seus semelhantes, o líder deve cuidar com respeito de seus liderados sem o risco de deserção e desalinhamento do bom serviço, o sacerdote deve cuidar com zelo para que seus fieis não se perca pelos caminhos do pecado e orientar que respeitem como irmãos a toda obra do criador incluindo o mineral, vegetal e animal.

Os desafios para ser um bom cristão são muito mais desafiadores do que os que escolhem o caminho do maligno, resistir o mal e toda sua oferta é muito mais difícil do que vivê-lo. Mas quem resiste aos ataques e aos tentadores oásis do mal, verá que a recompensa do céu será muito maior do que os prazeres imediatistas e perecíveis do perverso. Resistir ao mal é a chave principal para a felicidade plena e não descartável como a safra perdida pelos ataques das pragas pelo desserviço de seu zelador.

Deseja ser um bom cristão? Então comece desde já a praticar o verdadeiro perdão e viver intensamente a realidade majestosa do amor próprio e ao próximo e claro todas as obras do criador e o mais importante não faça nada ao seu semelhante o que não gostaria que fizesse com você e a quem ama de verdade.

Proteja os fracos, alimente o faminto, não fuja da simplicidade, trabalhe com honestidade, honre seu pai e sua mãe, respeite os mais idosos, aprenda com a sinceridade das crianças, não cometa crimes e erros que não deseja a você e a seus amados, respeite as crenças, doe sempre o melhor de si e jamais condicione uma ajuda ou um auxilio com o desejo da taxa de reconhecimento e menos ainda por condições desfavoráveis de seus semelhantes a sua fartura e fonte de conhecimento e vantagens superiores.

Pode o caminho parecer tortuoso, difícil ou até mesmo danoso, mas saiba que a vitória com base nas experiências enfrentadas e na vitória alcançada pela luta, suor ou até mesmo pelas derrotas do caminho credenciarão ao verdadeiro vencedor ao merecimento a habitar no reino de Deus, pois este sabe a quanto é divino triunfar contra o mal. Por isso não tenha medo e preguiça, caminhe pela estrada de Jesus, e verá que satisfação será plena.

Dr. Bezerra de Menezes, pelo médium Marcelo Passos.



Um comentário:

  1. Dr Bezerra, boa noite! Nesse segundo dia do ano, recebendo esta mensagem de alto nível, realmente é triunfante. Excelente! Obrigado! Anibal

    ResponderExcluir