segunda-feira, 20 de janeiro de 2014

A Fortaleza




Então o lobo será hospede do cordeiro e o leopardo se deitará com o cabrito. Isaías. 11,6a.

            Ainda prevalece em plena evolução universal o instinto em muitos irmãos da ferocidade do predador a aniquilar suas presas mais fracas, em todos os sentidos, este comportamento controverso na intimidade ainda causa mortes múltiplas as seus semelhantes, não apenas a física, mas os sonhos e o progresso alheio.

            As necessidades de prevalecer sobre o outro traz sérios comportamentos destrutivos do espírito e interrompe o tempo natural de Deus no progresso coletivo, o desejo de sempre esta no comando da rédea e ditando ordens e decidindo o destino de seus semelhantes causa o desequilíbrio existencial, onde os sentimentos nocivos e mais aguçados do intimo causam serias consequências individuais e mesmo coletiva.

            Estes comportamentos acontecem desde os primórdios da vida humana, a lei do mais forte sempre prevalecendo sobre o bom senso e o respeito, exércitos formados para aniquilar quem cruzasse o caminho e os interesses dos soberanos, irmãos vitimados pela escravidão física, vidas perdidas pelo senso eclesiástico em nome de um comportamento ditatorial que aguçava a manutenção do poder a qualquer tempo e forma, irmãos destruindo o outro por questões mínimas de posses, nações destruindo nações com intuito de apossar de riquezas naturais que são frutos da obra divina e jamais de poder dos homens.

            Em cada etapa da vida evolutiva testemunhamos exageros como os citados e das mais perversas formas da manutenção do poderio. Não devemos fundir a severidade da postura com o furto do livre arbítrio, situação que desde o principio vem corrompendo irmãos em inúmeros interesses, de certo que deve haver o principio da disciplina e para muitos seguir e manter-se neste comportamento deve passar por rigorosos princípios éticos e morais, claro que dentro dos limites do respeito universal. Mesmo com toda evolução e experiências vividas e passadas, ainda vemos com muita fartura a ação do forte contra o fraco bem como o vazio existencial e o afastamento aos principio de Deus na sua vontade, irmãos cometendo exageros e agindo com severidade sob o comando da astucia do mal que continuam a destruir vidas, sonhos e progressos.

            Ao contrario da historia que tudo era movido pela força sem limites de dominação, o poder material tem prevalecido em nome dos interesses sórdidos e vantagens pecuniárias a ditar o comando de uma nação, ao caminhar com deslealdade vemos que ainda pouco se evoluiu desde então, as formas de imobilização frente ao mais fraco ganhou novas formas e atos perante os homens, vemos a competitividade desleal em todos os meios sociais sem distinção e méritos, principalmente de posse da vontade do Senhor, onde podemos desde os principio da humanidade testemunhar reis e ditadores ditarem regras supostamente em nome de Deus.

            Sendo a humanidade ainda pecadora e pouco evoluída espiritualmente sempre buscou a esperança num poder maior, o de Deus, como bem a historia nos comprova vários irmãos que eram escravizados principalmente pela situação social e dominados por poderosos que formavam exércitos bélicos a inibir qualquer interesse de manifestação e reivindicações. Compreendemos que estes irmãos injustamente aprisionados e escravizados se purificaram e mereceram sempre o privilegio no reino de Deus e como Nosso Pai Maior age com a maior e una justiça, por muito tempo esses povos tiveram que passar por privações múltiplas e humilhações perversas, para se libertarem e merecer o melhor conforto espiritual e claro formando-se anjos a serviço do Senhor para toda humanidade na instrução do melhor caminho.

Enganam-se os irmãos encarnados que ao fazer a passagem para a vida real as tarefas cessam, ao contrario, sempre no principio do livre arbítrio e da lei de ação e reação à inércia será comprometedora a evolução e as privações quantos aos interesses individuais, como no planeta, quem não trabalha sofrerá todas as privações possíveis da matéria, já aquele que se dispõe a trabalhar e a atender com atenção e respeito às tarefas a desenvolver e obedecer sempre à disciplina e as leis do Senhor terão maior oferta e maior possibilidade das melhores posições perante os desígnios pessoais, sempre atendendo a máxima do respeito e do amor coletivo e claro desprovido de todos os sentimentos nocivos, como orgulho e a vaidade, sempre a maior vilã do insucesso existencial.

Havemos sempre de respeitar a lei natural de Deus, principalmente para as adversidades da matéria em vários sentidos da existência, como naqueles tempos sombrios que por muitos séculos povos eram escravizados, no tempo certo, houve a libertação, com o envio de profetas especiais, como podemos destacar com propriedade os irmãos Moisés, David e o maior de todos Jesus de Nazaré, todos com sua notória importância para a humanidade.

Como sempre cumpriu suas promessas o Senhor manifestava-se perante os verdadeiros profetas enviados por sua vontade a libertar os oprimidos pela vasta astucia dos poderes materiais e bélicos, e muitos destes se aproveitando da vulnerabilidade de destes pobres irmãos e para atender aos princípios e caprichos do mal e obcecados pelo poder a todo custo, eram destacados homens em forma sacerdotal e com conhecimentos privilegiados a apossar-se de falsos profetas com o intuito da manutenção do poder, como os povos humildades e ignorantes não tinham acesso à palavra e ao verdadeiro conhecimento pelas privações que eram imantadas por grupos dominadores e que facilmente dominavam o livre arbítrio em nome do egoísmo destruidor.

As consequências do passado se refletem com veemência desde então sobre o presente e o que compromete significantemente o futuro, com o instinto primitivo que ainda permanece no interior de muitos irmãos, a destruição do seu igual ainda pode ser vista com muita ferocidade no ataque ao outro, principalmente quando um irmão tem alguma força ou vantagem material, mesmo intelectual e cultural sobre o outro, a competitividade e a agressividade cada vez mais ácida destrói vidas e interrompe o curso natural da vida existencial em nome dos sentimentos mais mundanos do pecado, a começar pela deslealdade.

Queridos, é compreendido pelos irmãos espirituais o grande desafio individual de viver a acústica de Deus na presente encarnação planetária, de fato o estágio planetário é desafiador, mas é fundamental a experiência para o crescimento e a merecida evolução, todos os espíritos de grande elevação hierárquica tiveram que estagiar na mesma posição que você se encontra amado leitor, para sim credenciar-se a viver em mundos mais felizes e ao lado do Criador, há vários exemplos de irmãos de elevada posição espiritual que encarnados puderam mostrar que mesmo com todas as adversidades, os múltiplos comportamentos, as agressividades e desafios cada vez mais ásperos do mal a desviar o caminho do bem, puderam resistir ao encantamento e honrar a confiança do criador depositada e mostrar para cada um de nós que é possível vencer.

Desde a criação somos acompanhados a todo instante por anjos e agentes de Deus que são escalados para nos guiar sempre ao caminho do bem, sem interferir no livre arbítrio, mas sempre nos guiando e mostrando o caminho da salvação, onde podemos nomear em nossa consciência como: intuição, mediunidade, sensibilidade, voz interior, não importa e é a todo o momento instruído a sempre viver o lado certo. Quando um irmão se envereda pelo caminho do mau este tem a consciência da sua escolha, mas é fraco para resisti-lo e como a liberdade é exclusiva a sua posição é respeitada e quando os agentes do mal se apossam da sua liberdade, os agentes de Deus em muitos momentos são impedidos de agir na consciência e no aconselhamento, pois Eles não têm o poder para interferir na escolha, ao contrario do mal, que corrompe o pensamento e as ações individuais transformando o individuo num agente sem vontade e guiados como ventrículos a divertir os dragões do mal, causando a realidade da violência crescente no planeta.

Deus sempre nos aconselha a apegar a consciência do bem, a arrepender-se e reformar a todos instante as ações e sentimentos, a livrar das prisões e da escravidão que somos muitas vezes e a quase todo momento colocados, abrir o cadeado para o conhecimento é direito de todos, respeitar seu semelhante não deve ser uma posição imposta e sim um ato rotineiro e praticado naturalmente, trabalhar com honestidade sem ferir seu próximo, sem competir com deslealdade, auxiliar a todos com naturalidade sem levantar a bandeira da vaidade de um ato que é dever, trabalhar para viver em igualdade, libertar da condição primitiva e ver que somos seres evoluídos e que podemos viver em harmonia mesmo com as diferenças que existe em nós mesmos, o mais forte existe para amparar e socorrer os mais fracos, essa é a vontade de Deus, mas, a consciência é livre e a escolha um direito.


Dr. Bezerra de Menezes, pelo médium Marcelo Passos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário