quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

O PODER DE DEUS POR UM INSTANTE.





Quem quiser salvar a sua vida vai perdê-la, e quem a perder há de conserva-la. Lucas. 17,33.



            O egoísmo é uma pratica muito comum entre os seres durante seu período evolutivo, mesmo sendo este sentimento comum as praticas e seu uso é nocivo à qualidade do espirito nesta longa caminhava frente à salvação e ao Reino de Deus.

            Observem as orações e aos inúmeros pedidos que são pleiteados a Deus, em sua maioria são desejos individuais a atender os interesses em nome da vaidade que comandam a grande fileira de irmãos e em muitos momentos quando se propõe a pedir algo a seus semelhantes fazem a quem lhe são páreos ou comungam o mesmo ambiente, poucos conseguem desprender-se destas limitações e estender as orações a todos os seus semelhantes. Não sou por minha fraqueza e habilitado a criticar e muito menos sentenciar nenhum irmão praticante desta modalidade, afinal, o planeta é o grande laboratório dos grandes espíritos do futuro, se não aprendermos com as fraquezas como haveremos de resistir os abusos frenéticos do maligno e realmente merecer a graça de viver no paraíso.

            Deus ouve cada oração e cada pedido e dentro da sua misericórdia e do merecimento verdadeiro é que seremos ou não contemplados no pedido e na gloria, há diversos pedidos que não é devidamente autorizado pelo Senhor, onde muitos se revoltam e até mesmo se postam contrários ao pai agindo como filhos insubordinados que não compreende o amor do pai e as razões que tem para não ceder chantagens e pedidos.

            Coloquemo-nos por um instante a refletir: Se Deus nosso amado Pai aproximasse de nós e por uma hora confiasse todo o seu poder de decisão e não induzisse com nenhum conselho, deixando tudo a nossa decisão, o que realmente faríamos? Usaríamos em beneficio pessoal, de quem mais simpatizamos ou usaria de forma justa e ao beneficio universal?  Onde estão inclusos os inimigos, os adversários, os assassinos, os ladrões, os pecadores e todos aqueles que causam embaraços comportamentais baseados num parâmetro social. E como agiríamos em relação a aqueles que são contrários aos nossos vastos idealismo?

            Encontre essas respostas irmãos em seu coração e coloque-se por um momento no lugar do onipotente nas decisões e faça uma avaliação, como: Se perdoaria e amaria o seu inimigo? Respeitaria as crenças e culturas alheias? Daria uma nova oportunidade aos dissidentes do bem? E a você será que realmente faz por merecer todos os pedidos que faz ao criador? É justo da parte do Criador quando não atende ao seu pedido?

            Em todos os momentos para compreender os nossos semelhantes e o proposito do criador havemos de nos colocar sempre diante da posição contraria para que a injustiça e a ingratidão não consumam a nossa consciência e as nossas ações e para não nos arrependermos pelo mal inconsciente. Afinal nem sempre as nossas reivindicações são devidas. Reflitam.


            Dr. Bezerra de Menezes, pelo médium Marcelo Passos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário