quinta-feira, 28 de novembro de 2013

Falando de amor



O amor não pratica o mal contra o próximo, pois o amor é o cumprimento da lei. Romanos. 13,10.

            O amor é a luz da vida eterna e nela grava todos os sentidos que acompanham o ser por toda eternidade, pode as encarnações ser multiplicadas, mas este puro sentimento jamais se apagará das nossas existências.

            O amor puro e verdadeiro para com o próximo traz em nossa máxima a continuidade do amor de Deus para com todos. O amor deve acompanhar com lisura todas as ações e ser ele completamente vivido, principalmente para com os nossos inimigos, afinal, como Jesus nos disse, se amarmos somente quem amamos, de que recompensada seremos merecedores?

            Demonstrar o sentimento do amor não se resume exclusivamente nas manifestações afetivas que estão diluídas em interesses carnais do que realmente é o verdadeiro sentido do amor, falar de amor e sentir o amor consideravelmente deve haver o sentido no bem alavancado com as boas ações cotidianas.

            A primeira manifestação de amor ao próximo deve começar consigo mesmo, na qualificação de todos os institutos do bem a serviço e na doação verdadeira, amor não se compra ou se adquire, se conquista, mas com a confiança nossa a exteriorizar nas verdadeiras ações para que sejamos merecedores destes sentimentos.

            O verdadeiro sentido do amor esta em contrariar seu semelhante quando este se encontrar as margens do pântano do mal e pronto a ser devorado pelas criaturas mais abomináveis, como o ódio, o rancor, o ódio, a ingratidão, a intolerância, a impaciência estes selvagens sentidos a devastar todo nosso sentido e perder-se pela morte lenta e agonizante, sentimentos estes impregnados no coração de muitos irmãos que escolhem caminhos tortuosos e que são incapazes de amor e serem amados. Por isto que quem ama de verdade tem a visão e a autoridade de resgatar todos àqueles que se encontra a margem do abismo e contrariar o sentido desses que caminham com a própria vontade, pois o amor de verdade protege em todos os sentidos.

            Outra universidade do amor é a matéria do “não”, quem verdadeiramente o vive sabe o momento certo de negar os excessos e a vontade de seu semelhante para satisfazer uma vontade e interesses errôneos pelo simples fato de abusar do livre arbítrio e em muitos momentos a vontade mundana invade o mundo de outros irmãos com a agressividade do desrespeito aos direitos que é iminente de cada irmão.  Por isto que o portador do amor deve sim dizer não sempre que visualizar seu semelhante em atos e sentidos contrários às leis de Deus.

            Amar de verdade esta em perdoar às ofensas e as agressividades, na compreensão as falhas e as fraquezas humanas no sentido de engrandecer-se no perdão, mesmo que as chicotadas e os acoites sejam dolorosos, mas quem guarda sentimentos de magoa, rancor e todos estes males sentidos estarão automaticamente destruindo toda estrada construída e todo sentido de subir na sociedade de Deus em seu reino, de certo que há momentos que a cruz pesará mais e as quedas serão inevitáveis, mas Deus nos dará sempre a força necessária para levantar e seguir o caminho, mas quem entregar-se na primeira queda e por lá permanecer, não será digno de entrar na morada do pai, onde prolongará por tempos e tempos num mundo sem cor e entregue as trevas do medo e da covardia. Pois Jesus diante de todo acoite em momento algum se entregou, foi corajoso mesmo com seu corpo dilacerado por nossa culpa, mas seu espírito jamais fora atingido por um só golpe e perdoou todos que cometeram tamanha ira.

            Assim como o perdão, o amor espalhados pela sociedade perde-se o sentido quando este é expresso de forma mecânica e padronizado de um comportamento que diz regrar um jogo social, para muitos o amor e o perdão se banaliza quando encontra os meios para justificar falhas ou mesmo estando à frente dos erros incorrigíveis, onde muitos não buscam reformar suas ações e usam estas graças para vulgarizar seu verdadeiro sentido. Nem todos que amam e perdoa merece o reino dos céus, mas quem ama e perdoa de verdade estes sim são merecedores de receber a graça verdadeira.

            É recomendável a todos a entrar em si e estudar o que o amor e o perdão significam para si, quem você ama ou perdoou, foi de verdadeiro ou simplesmente para cumprir um protocolo social? Avalie todos seus atos e busque modificar de forma gradativa e verdadeira, pois a reforma interior deve obedecer à máxima do bem intimo a serviço da sociedade e não simplesmente para alinharem-se a ditos direitos comportamentais, pois quem ama de verdade não precisam regrar-se as leis dos homens, pois ao estar em sintonia com a lei de Deus está sim responsável pelo verdadeiro sentido do comportamento e do bem e quem segue e coloca em pratica os designo de Deus se encontram no rumo certo para merecer a felicidade.


            Dr. Bezerra de Menezes, pelo médium Marcelo Passos. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário