segunda-feira, 11 de novembro de 2013

Cordeiro de Deus



O pecado já não vos dominará, porque agora não estais sob o regime da Lei e sim sob o regime da graça. Romanos. 6,14.


            Inseridos na sociedade estão os filhos do Senhor em meio a muitas regras sociais, estabelecidos no certo e no errado a uma alusão aos planos de Deus. No tempo de Cristo e no período regresso a divisão do tempo, o comportamento de povos media-se por supostas orientações do Senhor a homens que diante de seu poderio social e mesmo a força bruta impunha sobre a sociedade alienada e sedenta ao progresso.

            Ao longo da historia, onde podemos comprovar pelas sagradas escrituras, inúmeros médiuns da historia que estabeleciam contato com Deus agiam sob sua orientação, inúmeros e sagrados profetas lutavam contra a ira daqueles poderosos, exércitos foram vencidos e povos libertos da escravidão, a indicação aos ungidos pelo Senhor na graça dos enviados de Deus que se apossavam como reis a sanar a sede dos povos.

            Mas com o progresso da vida surgiam em meio aos jardins de Deus as pragas que consumiam outros irmãos e eram dominados pela fúria do perverso que faziam e fizeram de muitos reis, verdadeiros tiranos, em nome sempre do poder destrutivo em nome da vaidade e do orgulho e ao longo deste período distanciavam-se do contato puro com Deus e dominavam os povos pela força e pelo medo, com determinação de decretos a serem obedecidos por suas vontades. E quanto mais excessos eram cometidos, mais afastado ficavam de Deus, que nunca foi complacente com as guerras e a escravidão que impunham sobre as nações.

            Foi necessária a vinda de outros gladiadores a poder dominar esses tiranos e tomar o poder e devolver a paz os humildades de Deus na paz da alma, onde muitos eram condenados a sanções arbitrarias em nome de poderes maiores, assim foi com todos os servos do Senhor que lutava a favor dos pobres e pecadores.

            Até que enviou o humilde entre humildes para falar a mesma linguagem e salvar todos dos pecados que se encontravam, Deus enviou Jesus a salvar-nos dos exageros e mostrar a todos nós que o verdadeiro pecado e a salvação esta em todas as ações verdadeiras de nosso coração, Jesus combatia com veemência esses arbitrários regramentos que eram impostos segundo eles em nome do Senhor e pelo combate foi crucificado, pois mostrou que Deus está com muita fartura nas pequenas fontes genuínas e não nas posses pecuniária que eram exibidas por aquela minoria dominadora.

            Jesus mostrou que as leis do homem distinguem-se das leis de Deus, mostrou que o Pai existe para os pecadores, humilhados e excluídos, pois esses são dominados pela fúria de titã diante de suas limitações, Cristo mostrou então que o arrependimento verdadeiro é o perdão de Deus a nos brindar na sua misericórdia e o perdão sempre com o compromisso de não cair em tentação, entre vários institutos da salvação é a do perdão, em que devemos exercê-lo na integra e perdoar quantas vezes forem necessárias e reconhecer os erros e com a humildade reconhece-los e reformar para melhor todas as praticas e sentidos para que verdadeiramente ser salvos com todo mérito do cordeiro do senhor que é livre de todos os pecados.  

            Somos sim seres em constante reforma e defeituosos sim, não atingimos a perfeição sem as quedas do caminho, mas a cada experiência um compromisso de aperfeiçoar todos os déficits, entre eles ao de compreender sempre que somos todos seres em evolução e que a tolerância e paciência deverá fazer parte de nossa lubrificação a favor da engrenagem da vida em poder tornar a vida de nossos semelhantes um caminho de prosperidade e felicidade para sim merecer em nossa existência as colheitas sadias e merecedoras da compaixão e da misericórdia, devemos fazer-nos instrumento de paz e do amor divino a serviço voluntario do universo do Senhor.

            Os profetas do Senhor estão espalhados por todos os cantos deste incrível universo, então se dispa das grosseiras camadas preconceituosas de pecados que vestem aos olhos da consciência em nome de comportamentos sociais nocivas a verdadeira felicidade e cubra com as singelas sedas de amor às necessidades de seus semelhantes na salvação e no auxilio da caridade na reforma dos pecados que insistem em perder as ovelhas do Senhor.

            Não julgues para não seres julgados e se permanecer no julgamento esteja pronto para seres julgados com as mesmas intensidades e mesma qualidade que julgas muitas vezes com iniquidade. Não sejas como os tiranos que cometiam arbitrariedade contras os humildes onde hoje muitos vivem em eternas confusões morais nos mundos espirituais com suas consciências pesadas em face às injustiças contra o povo de Deus, em nome do poder material que auxilia com bastante relevância a evolução espiritual de cada irmão no planeta, mas que seu uso exorbitante poderá ser a sentença desfavorável ao seu portador.

            Não devemos nos calar diante das injustiças, devemos sim acreditar na providência divina e trabalhar com honestidade a nossa consciência e se algo nos for furtado ou mesmo roubado e usurpado com injustas forças e formas enganosas, lembre-se que nenhuma injustiça passará despercebida aos olhos do criador e o que nos é por direito encontrará o caminho natural para chegar até a nossa responsabilidade e ore para que este irmão que cometera injustiça encontre a misericórdia divina e arrependa-se dos seus pecados.

E alertem-se, não será na violência que se resolverá a solução da justiça, pois as guerras em nome do direito pleiteado poderão ainda mais acometer-se pela avalanche de injustas mortes e agressões a inocentes que sempre são atingidos pelos excessos.

            Não há mais lugar para as guerras, como disposto no antigo testamento, em que a voz de Deus fora necessário o uso da força bélica para conter as tiranias com o proposito da libertação dos povos. Mas no momento atual as grandes batalhas se faz pelo domínio politico que não deixa de ser equiparada às historias vividas pelos profetas antes da vinda de Jesus, mas as guerras presentes se faz em nome do consumismo imperador que atendem a poucos e não salvam as necessidades da miséria espalhadas pelo universo.

            As diversidades sociais em que os irmãos enfrentam no planeta são oriundas de resgastes diversos em suas peculiares proporções, mas também é dever de todos ser portadores das soluções e da salvação, assim como os lideres mundiais que falham em seus reais compromissos em nome de bens perecíveis que consomem o ego em nome do poder imaginário.


            Dr. Bezerra de Menezes, pelo médium Marcelo. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário