quarta-feira, 23 de outubro de 2013

Ser como Sansão foi.



Mas agora, sem a lei, manifestou-se a justiça de Deus, atestada pela lei e pelos profetas. Romanos. 3,21.

            Dentre muitos escolhidos do Senhor entre nós viveu um homem que enfrentou exércitos e não tinha adversários à altura. Sansão aquele que tinha o poder nos cabelos e combatia a ferocidade dos Filisteus que viviam a confrontar os Hebreus, como era Sansão que defendia seu povo, o que derrotou o gigante Golias e tinha uma enorme fé em Deus, como poucos aquela época, mesmo lhe sendo confiado o segredo de jamais revelar a fonte de sua força, eis que caiu na tentação da beleza de Dalila que tirando todas as suas forças o fez prisioneiro e escravo do Soberano Tirano da época.

            Muitos de nós devemos equiparar a vida e a fé de Sansão em nossas ações aos obstáculos da existência, muitos exércitos contrários nos combaterão e a luta pelo enfrentamento as ferocidade de muitos outros irmãos nos requerera uma força energética na fé para enfrentar todos os ataques possíveis, a quantidade de soldados a nos atacar serão e nos acompanharão pelos longínquos períodos de nossa historia, as armas destruidoras como as injustiças, as cóleras, a inveja, o egoísmo, o rancor, o ódio, entre diversas outras aniquiladoras formas de perdição poderá com veemência acertar nosso intimo e nos aprisionar nas frias camadas de trevas a que propõe os ataques.

            Há situações na vida que o chão abre-se diante dos pés e nos suga todas as forças possíveis a qualquer reação, são sensíveis as possibilidades que nos afrontam na fé e na confiança no Senhor, aonde nos deposita a força da coragem e dos manejos intelectuais e mecânicos das articulações para superar nossas próprias limitações. Cada irmão há uma força impar e dada pelo criador para que possam usa-las principalmente nos momentos mais afrontosos da vida.

            Devemos ter forças para enfrentar cada desafio e todos os exércitos armados a nos acometer na evolução pelos ataques da inveja e do egoísmo como infantarias a disparar contra nossa simplicidade e humildade que nos faz escudos para desviar de todos esses ataques. Resguardando sempre a nossa intimidade e a nossa força contra o mal, jamais revelando o que de mais sagrado lhe fora confiado pelo alto, por mais que todos sejam filhos do Criador somos todos livres para escolher o nosso caminho evolutivo e com a liberdade dada muitos escolhem o caminho dito mais fácil e se alistam no exercito do mal, em face ao orgulho e a vaidade permanecente no ego e na consciência, onde os julgamentos pelos preconceitos impregnados fazem-se vitimas por todo canto por onde passar.

            A astúcia do mal nos cerca por todos os lados e no momento mínimo de fraqueza estará ele pronto a tirar todas as nossas forças, tirando a nossas visões e nos escravizando em suas tiranias e no instante em que o horizonte da esperança nos fará aprisionadas na busca da luz e eis que a escuridão das trevas nos fará real e estaremos prontos a agonizar na dor e no medo.

E nos instantes em que os desafios forem perversos diante da fé devemos fazer-nos pacientes como Sansão, com humildade, resignação e fé esperar o tempo de Deus para recuperar as forças que nos são merecidas, trabalhando e jamais se entregando ao desanimo, a preguiça, aliando-se aos mais puros e sinceros amigos para refazê-lo das forças e acreditando sempre que jamais somos abandonados pelo Pai de amor e de bondade, apenas respeitando as nossas escolhas, sendo que no instante de nosso arrependimento e clamor por toda sua misericórdia, estará ele nos enviando seus anjos para nos amparar e a mãe divina a nos confortar na proteção universal.

Todos os irmãos e irmãs são impares na natureza que nos é presenteada pelo criador, comungamos as experiências com outros mais, sem esquecer nas forças que possuímos em nossa qualidade infinita oriunda da força de Deus, não a força física, mas a fortaleza para poder lutar com braveza contra todos os ataques possíveis do mal. Nas diversas nações espalhadas por este universo todos defendem suas etnias, como a mãe que dá a vida pelo fruto de seu ventre, honre todas as ofertas do criador que conquistastes pelo próprio merecimento, guarde suas forças para si e para proteger todos aqueles que lhe são páreos, sem menosprezar qualquer força alheia e da natureza, respeitando à vida e a confiança da existência real. Orai e vigiai resguardando todas as forças e sem oferecer brecha para a possessão do mal em sua vida, nos momentos de fraqueza e desanimo, busque a vida em Deus e ore que virá a socorrer todos nós sempre em sofrimento e no choro do medo.

E se mesmo assim as consequências da vida forem desafiadoras e o chão se abrir diante de sua realidade e a queda for inevitável, respire fundo e tenha a humildade de reconhecer as fraquezas e a situação em que se encontra e resigne-se, mantenha-se a fé e a tolerância, pois o desespero e o desanimo serão um adversário a mais, e mesmo diante das trevas, a consciência e as articulações mecânicas na vida se mantém e busque sempre a inspiração nas pessoas que te amam de verdade para poder lhe amparar nos momentos de maior dificuldade e junto consigo reerguer para abonança das novas oportunidades.


Dr. Bezerra de Menezes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário