quarta-feira, 9 de outubro de 2013

Os Manuscritos de Deus



Pois eu vos digo: muitos profetas e reis quiseram ver o que vós vedes e não viram, e ouvir o que ouvis e não ouviram. Lucas. 10,24.


             Os caminhos de nossa estrada atravessam inúmeras experiências que se acumulam ao longo de uma existência, desde a criação até o atual momento em que os irmãos podem desfrutar o planeta de Deus.

            A bagagem que adquirimos ao longo da historia traz diversas situações como a fartura e os desafios até mesmo incômodos ao sentido racional, às privações e as experiências são frutos de uma longa caminhada, os excesso que somamos se refletirá em nossa realidade, pois ninguém vai ao Pai sem ter saldado todos os débitos regressos.

            Mesmo na fartura onde muitos desfrutam o universo da matéria têm suas instâncias pelo merecimento acumulado, há dois lados e pesos, o bem e o mal, o equilíbrio deve sempre ser buscado na existência pelos sentimentos e pelas ações, tendo o peso do bem sempre ao nível mais avançado e elevado do proposito de Deus.

            Questionam-se sempre o Pai em face aos desafios da matéria, as frustrações frente aos desejos não correspondidos oriundo da vaidade e do orgulho em muitos momentos causam desanimo e descrença frente às obras do Senhor. Todos os pedidos que fazemos ao pai não nos será atendido na integra, evidente que seremos ouvidos, mas a proporção do que de fato será ofertado haverá sempre o peso do merecimento e das condições que nos serão proposto ao longo do tempo.

            Muitos desejam ver e ouvir o que querem dentro da vontade egoística, mas não se preparam para o que de fato é ofertado pelo merecimento que se acumulam ao longo do caminho e da bagagem. Os irmãos planetários têm inúmeros débitos regresso e presente, o peso de nossas dividas será determinante para o que de fato nos será merecido e ao pedido atendido.

Há aqueles que se dobram nos templos e rogam por um milagre que muitas vezes não vem, a frustração traz em muitos destes o afastamento frente à reivindicação em algo que não lhe é devida, os obstáculos que hão de vencer nas experiências da matéria, deverão ser vivida no tempo em que Nosso Senhor criador de tudo determinar, uma encarnação uma escola em que se aprendem todos os dias às lições da paciência, da aceitação das condições e principalmente da resignação aos débitos e as condições oferecidas. Ao engatinhar no progresso jamais pode ser considerado como uma punição e sim compaixão, quem cai levanta, quem insistir na queda, muitas mãos serão postas a levantar-se novamente, o que não deve jamais é desanimar com os percalços, e confiar nas linhas escritas da existência que é manuscrita com toda atenção pelo Nosso Pai que faz presente em todas as nossas ações.

            Temos todas as ações escritas pelo Pai, que sempre estará respeitando a liberdade de cada criatura e o que será determinante ao merecimento, como também o livre arbítrio de nossas ações e sentimentos que serão determinantes para as privações e indeferimento aos pleitos da vontade desejada. Por isso, aceite e deixe o tempo divino determinar o merecimento, o desejo é natural, querer o melhor também faz parte do merecimento, mas para isto é necessário o conjunto de ações e sentimentos em sincronia com o bem comum.

            Agradeça a oportunidade de reparar seus débitos, aproveite cada momento para resgata-lo, mas faça de verdade e não pelo simples fato de querer satisfazer uma vontade, lembrando que os nossos sentimentos também nos é cobrado em nossa merecida oferta. Lembrando que o NÃO de nossa vontade é uma das várias manifestações de Deus mostrar que nos ama incondicionalmente e que o faz pensando sempre e nossa salvação, e como nos atende na oração universal a que clamamos: Não nos deixe cair em tentação e livra-nos de todos os males.


Dr. Bezerra de Menezes, pelo médium Marcelo Passos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário