quinta-feira, 24 de outubro de 2013

Não somos uma ilha inexplorável





Cuidado para não desprezar em desses pequeninos, porque eu vos digo que seus anjos estão continuamente no céu, na presença do meu Pai Celeste. Mateus. 18,10.

            Às singelas manifestação do Senhor encontra-se nos pequenos detalhes que nascem em meio a uma vastidão, não há quem se sensibilize com a forma singular das maravilhas da manifestação de Deus sobre o olhar permanente de nossa alma. A formiga que tão pequena trabalha com afinco a resguarda-se do rigoroso inverno, as flores que nascem em pequenos filetes de concreto mostrando o que de mais belo pode manifestar-se, o sorriso inocente de uma criança na confiança ao adulto.
           
            Diante da evolução deparamos com inúmeros irmãos que comungam nossa historia, seja por um período curto, longo e aqueles que encontramos numa única oportunidade em suas diversas peculiaridades e mesmo necessidades que clamam a nossa atenção, nenhum irmão poderá ser indigno da nossa indiferença, somos diariamente chamados a prestar o auxilio aos nossos gêmeos assim como todos dependem de seu semelhante para evoluir-se neste gigante universo do amor divino.

            Não somos uma ilha inexplorável em que a existência deva ser temida pelos mistérios que envolvem sobre essa realidade, aqueles que tornam sua vida um mistério e fecha-se a qualquer testemunho de sobrevivência e acolhida, isola-se na solidão dolorida da invisibilidade, quando se atinge este patamar não haverá qualquer motivo e interesse na exploração desta terra que pode esconder em seu interior uma joia rara perdida em meio à obscuridade do medo, não haverá quem arrisque entrar nesta floresta fechada em meio aos seus mistérios.

            Determinamos então a realidade da exploração, onde permitimos aos nossos semelhantes fazer de nós esta infinita caçada, onde o interesse em explorar nossa intimidade parte da imagem que produzimos mediante nossa apresentação frente à sociedade e como injetamos Deus e suas obras em nossa infinita e única realidade.  Por certo há irmãos que preferem o isolamento frente aos desafios da vida em um todo, onde o pecado e a perdição faz presente na existência em muitos de nossos irmãos que se amedrontam a iluminar-se em situações de comunhão com a luz em meio às trevas.

            A realidade de muitos que se amedrontam contra a exploração destes demais irmãos que externam sua real condição, podem muitos esconder verdadeiros e nocivos venenos escondidos na alma e que muitas vezes pode ser mais feroz que aqueles que mostram sua real aparência, estes venenos silenciosos tem o poder de persuasão maior para o encantamento da perdição ao pecado, lembrando que a astucia do mal é mais sutil do que idealizamos em nossa imaginação e que muitas vezes adentram nossa alma sem que a percebamos e quando deparamos com sua instalação, ficará muito difícil a expulsão da acomodação na alma.

            A instalação destes venenos poderá trazer transtornos irremediáveis à evolução que muitos se encontram, podem muitos arguir o porquê nosso Senhor permite esta facilidade do mal em agir sobre a vida de muitos seres, bem amigos, o livre arbítrio é lei, somos criados no amor divino e somos colocamos sempre na presença do bem , mas havemos assim como Jesus lutar sempre contra essas forças malignas. E o que encantam muitos são as facilidades que o mal se apresenta, pois ele sabe das fraquezas humanas e a ganância que se tem para alcançar o objetivo final sem as lutas honestas e permanentes da concretização do caminho que traçam nos objetivos da colheita.

A falsa pavimentação que muitos irmãos creem produzir em sua estrada vital há primeiro instante podem parecer perfeitos, sendo que nas primeiras tormentas mostraram as falhas e as lacunas que vão se deixando pelo caminho, vazios esses que muitos buscarão remediar com mascaras a tapar as irregularidades das aparências, mas que jamais poderá esconder essas falhas e a vulnerabilidade que existe e a fragilidade que está fraca realidade pode mostrar a visão de qualquer irmão.

Por isto irmãos, seguindo as orientações do Anjo Ismael que nos fala, se a luta vai ser grande, lembre-se que não será maior que a recompensa de Deus na vida eterna.

Lutem e trabalhem de verdade, superem as limitações, deixe seu próximo explorar o melhor que há em você, pois há joias que nunca há de perder-se por maior que seja o garimpo em nosso coração, pois quanto mais diamantes produzirmos para a riqueza de nossos irmãos, maior será nossa real fortuna, pois em cada irmão haverá uma riqueza sincera. A riqueza da lealdade e do amor de Deus a falar por todas nossas ações.

Dr. Bezerra de Menezes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário