sexta-feira, 4 de outubro de 2013

Desafiando as próprias limitações



Ao vê-la, o Senhor ficou com muita pena e lhe disse: Não Chores. Lucas. 7,11.

            A dependência é uma realidade presente na vida de todos os irmãos, não há quem independa de ninguém, o auxilio que prestamos aos nossos semelhantes é nosso dever e nossa contribuição frente ao compromisso que assumimos perante aos nossos irmãos superiores e a Deus que confia integralmente a nossa existência.

            A dependência esta por todos os cantos desde a criação divina, passando pelas diversas etapas do gigantesco universo do criador e por todos os comandos a nossa disposição, com a certeza desta realidade onde devemos integralizar sempre em nosso intimo ao mais nobre respeito entre todas as criaturas existentes ao nosso redor.

            Infelizmente diversos irmãos tem atrasado sua evolução ao destruir tudo aquilo que depende sua existência, a iniciar-se pela criação divina a disposição na natureza única que nos brinda a mais sutil e essencial fonte de vida. Essa destruição não esta apenas na vida inorgânica exposta ao nosso auxilio, esta principalmente comungada com nossos diversos semelhantes.

            Não é inédito aos irmãos que vivemos um enorme enigma quanto aos designo do criador, ao nosso redor sempre haverá os mais e os menos evoluídos, justamente para aprender que não somos iguais e não atingimos o objetivo final na escala evolutiva e mesmo os irmãos mais evoluídos, os espíritos mais sublimes, têm suas fraquezas e se faz necessário parar e respirar, reformando seus pensamentos e renovando-se na fé e no amor ao próximo e principalmente tendo na mais alta escala do respeito mutua.

            O respeito é a porta de toda condição do merecimento e principalmente no entendimento aos semelhantes quanto a sua evolução e principalmente suas limitações, como também temos limitações diversas, mesmo sendo possuidores de farto conhecimento, ninguém tem resposta para tudo. Aos que se intitulam independentes, não compreende a própria existência, prende-se a limitação da ignorância somada à prepotência e a arrogância que se apodera de seu intimo.
Quando os diversos irmãos espirituais que designam ao seu trabalho em conjunto com os médiuns espalhados pelo universo de Deus, preocupam-se em fazer entender aos que buscam um direcionamento que é a felicidade e é a evolução que transpõem as barreiras limitadas da vida material e onde devemos entender que todas as nossas condições reais e nossa missão trazem em conjunto os débitos para salda-los no presente.

Muitos médiuns e lideres de diversas religiões espalhadas pelo planeta falham em sua missão com o compromisso mais completo assumido no momento da pré-encarnação, onde que o principal objetivo é fazer-se modelo de comportamento e ação frente aos demais, mesmo sendo devedores como os demais irmãos, a missão assumida é importante, pois se fazem instrumento da vontade divina. Inúmeros irmãos vêm com essa missão especial, mas muitos falham no auge da vaidade e do orgulho, na irrascividade em atender os desesperados de esperança, fazendo-se contrario ao exemplo de Jesus que atendeu a todos com sua simplicidade e doçura de um grande amigo.

A vida planetária não é uma missão fácil, ao contrario, é um desafio constante na encarnação assumida e com o livre arbítrio se fazendo lei na realidade de todos, causam abusos e exageros. Todos nós somos acompanhados de perto por diversos missionários espirituais que o tempo todo tenta nos guiar ao caminho do bem, mas respeita o livre arbítrio de seus auxiliados. Como respeitam também os irmãos ditos inferiores em sua evolução e que podem aproximar de nosso ser, somos protegidos sim, pela vontade divina, mas também a liberdade de escolha é respeitada a todos.

Devido a esta realidade onde diversos irmãos iluminados são enviados a nos acompanhar e orientar, mas quando algo mais profano nos surge como opção, à resistência se faz necessário a vencer todos os futuros débitos que possamos acumular em nossa existência, nenhum irmão esta isento de ver ser frente com sua vaidade, orgulho e limitação, até o Mestre foi tentado pelo maligno em cair em tentação, mas resistiu. Deus também o colocou seu unigênito a prova, como somos diariamente, onde unem encarnados e desencarnados, provados a resistir a astucia do mal com suas enormes vantagens, por isso a aproximação para com a nossa vontade é presente e cabe-nos aceitar ou resistir à oferta.

Há situações que muitos irmãos creditam a ausência de Deus em sua vida, até Jesus no momento de seu calvário arguiu o Pai que o perguntou por que o abandonastes, e é nesses momentos de visível fraqueza e medo que o mal se aproveita e encanta os perdidos, causando a doença do espírito na desesperança da abonança, mas mesmo arguindo o Senhor sobre uma possível ausência, Jesus encheu-se de energia e caminhou junto ao Pai até a consumação de sua vida material, fortaleceu-se e teve coragem de resistir todas as tentações e zombarias.

Quantos irmãos encontra-se em situações semelhantes a que Cristo passou, por medo, incerteza, fraqueza muitos se entregam as armadilhas do mal, como o pássaro que é encantado pela serpente e devorado na sua inocência. A chaga da humanidade no pecado vem das fraquezas e dos medos quando afastamos a nossa realidade em Deus e suas obras e entregamos nossa esperança em caminhos diversos e sem uma certeza, pois no momento de vulnerabilidade é onde nos é mostrado pelos agentes do maligno o seu encantamento e perde a humanidade em diversas doenças, como as guerras, os assassínios, o desrespeito, onde surge o ódio, o rancor, as injustiças, a cólera e diversas outras realidades, como também o desgoverno em que se faz presente no ego e na grande massa espalhada pelo universo material e mesmo espiritual, onde as fraquezas nossas de cada dia traz as doenças mais graves e agonizantes da alma, atingindo inclusive os nossos semelhantes, muitas vezes com injusta violência.

Não há outro caminho a não ser a resistência contra mal pela própria vontade e ação, os guias, os anjos seja qual nomenclatura desejarem para esses que nos acompanham desde a concepção até o findar dos tempos, estão sempre nos inspirando e protegendo, como respeitando todas as nossas escolhas, como Jesus esta sempre nos protegendo e amando. Jesus não curou ninguém contra a própria vontade, todos que foram curados e são curados até hoje é porque reconheceram as próprias limitações e as próprias fraquezas agem e vão a busca dele e pedem para ser curados.

Por isso irmãos reajam e encham-se de coragem, busque Deus, busque reformar todos seus sentimentos e ações, renove seu coração, sua vida, seus conceitos, vivam Cristo na vida eterna, rompa-se com as correntes do mal que amordaçam o sentido e o progresso da felicidade, mesmo que o cadeado esteja a prender as ações, mas com fé na certeza divina e na vida eterna todas as amarras e prisões se rompem como Cristo rompeu a Cruz que venceu a morte, podemos não igualar todas as nossas ações no Mestre, afinal, cada ser é uma unidade, mas se nosso desejo e nossa vontade é a salvação, devemos postar-se como bons aprendizes e colocar em pratica toda lição ensinada e posta a todos sem qualquer distinção em conjunto com todos os irmãos.

Dr. Bezerra de Menezes.  



Nenhum comentário:

Postar um comentário