segunda-feira, 14 de outubro de 2013

Compromissados nas obras do divino.



Minha mãe e meus irmãos são os que ouvem a Palavra de Deus e a põem em pratica. Lucas. 8,21.

            Incentivar a pratica das obras divinas é dever de todos que comungam com a espiritualidade do senhor, seja em qual grau doutrinário pertencer. Quem conhece as diversas passagens registradas no código divino compreende a responsabilidade que assumimos frente aos compromissos diários para com a vida confiada pelo criador e a oportunidade de melhorar sempre as nossas condutas como o sentimento e as ações.

            A lealdade frente aos nossos semelhantes e todos os seres vitais que comungam a mesma existência, incluindo a vida mineral, vegetal e animal que nos é importante para a manutenção da vida e combustível para o progresso diário neste infinito amor de Deus a comungar com todos nós a saúde da evolução neste universo celestial.

            Nenhuma vida exposta e vivida será em vão, todas tem sua importância e compromisso não apenas consigo, mas para a comunhão entre todos. Dependem os homens de todas as fontes naturais para sua sobrevivência material e entendimento que em cada vida há um toque de Deus que espera de nós a leal e compromissada missão a respeitar cada essência.

            O ser humano em sua essência esta a um passo da condição angelical, ou seja, a próxima etapa evolutiva é atingir o ápice da confiança e ser o anjo escolhido a formar-se no exercito de amor e fraternidade com a única fonte de salvação, Deus Pai, com o proposito de defender e proteger a todos dos perigos do mal. Para atingir a perfeição dos anjos é necessário compreender e respeitar a cada ser e a cada vida no alto pódio da essência, ou seja, saber que cada fonte de vida espalhada entre os seres, como minerais, vegetais, animais e elevando os seres páreos ao respeito e lealdade, sendo gratos e amando a todos como a si mesmo. É nesta constância que podemos avançar no encalço do anjo e da vida ao lado de Deus no amparo divino dos desesperados da luz.

            Respeitar e zelar pelas fontes vitais, como a natureza, é brindar com Deus a qualidade e a importância que cada vida merece e tem por direito sua conservação, por mais que a expressão de dor nestes sistemas não se manifeste como a voz que clama a nossa audição, as dores são sentidas, mas a do descaso e do desrespeito. A devastação que o homem pratica na fonte que lhe oferta a vida, traz as consequências da fúria onde as respostas podem se testemunhar nas catástrofes naturais que periodicamente manifestam-se com veemência frente às injustas e covardes agressões que os seres fazem as obras vitais.

            O ser humano é fonte semelhante de Deus, mas conjuntamente com essa imagem vem à figura do maligno que ao revoltar-se contra a criação do homem, criou seu universo da libertinagem e onde desvia os cordeiros de Deus ao calabouço do medo e da morte e na forma mais agressiva que lida com as criaturas, mascarando pelas inocentes fontes do prazer e das benfeitorias com o encantamento necessário a cada ser. E usam os seres humanos para causar mal nas diversas obras divinas, como a devastação da natureza em todas as formas de vida existente.

            Não creia que a devastação da natureza e o progresso tecnológico devam passar pela destruição vital de outros seres e da vida, nenhum progresso divino traz dores e sacrifícios, traz sim evolução e vida ativa a todas as formas que encontramos nas águas, nas plantas, nos animais, no ar, nas árvores. É como os seres espirituais, os verdadeiros guias de luz jamais incentivará o mal em qualquer grau ao sofrimento alheio, incentivará sempre a conservação e preservação da vida na grandeza e do amor, bem como a lealdade as leis e as obras de Deus.

            Não sejamos desleais com Deus e suas obras, começando pelos nossos irmãos e todas as formas de natureza, afinal, são as fontes naturais que mantem a vida material preservada, se destruir a única fonte de vida, como há de desejar vida longa aos herdeiros que virão a dar continuidade as nossas obras e a regenerar o planeta que está pronto a começar essa nova era.

            A obsessão da destruição começa pelo próprio sentimento que faz imperar no ego todas as condições destruidoras das ações frente à vida de Deus. Por isso irmão plante vida, zele pelo bem estar no ar, na agua, do verde e de quem lhe é importante e também ser gêmeos no amor divino e nas oportunidades de salvação. O livre arbítrio é lei, mas saber usa-lo e conservar a integridade da vida também com ponderação e respeito são um dever e a eficiência da vida inicia-se na conservação e na manutenção que a oferecemos em retribuição ao Criador.


            Dr. Bezerra de Menezes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário