domingo, 13 de outubro de 2013

A ciência sem as simples resposta






Ele é antes de tudo e tudo subsiste nele. Colossenses. 1,17.

            A descrença quanto à existência da figura do Onipotente abriga muitas mentes e a vida de muitos irmãos que ainda necessitam de sinais mais eloquentes para que possam crer na existência pós-matéria.

            Muitos com o pensamento voltados ao materialismo aposta seu crer em algo palpável e vistos aos olhos da carne e não da alma, a real existência de nosso existir. Pode-se arguir ora a alma e o corpo são dois seres numa única realidade, não. O corpo carnal sem duvidas a casa mais importante da alma, é revestido de todas as substancias necessárias para que possam manter-se ao planeta, a alma, é a que comanda todas as ações e sentimentos, o corpo vital tem suas necessidades que a alma não necessita como os objetos que nele subsiste, mas perecíveis como a carne que envolto a alma.

            A casa que abrigam os seres tem a mesma importância que a casa que abriga a alma, com a diferença que apenas quem é dono desta casa tem a autonomia para designar sua caminha e manutenção da forma que melhor desejar, dentro deste fenômeno instituto do livre arbítrio que em muitos casos é acometido de excessos a seus proprietários frente ao seu semelhante e interrompem a própria evolução em libertinagens maléficas.

            O corpo material não deve ser engrandecido com o esquecimento do bem maior, o bem estar espiritual, é importante o zelar pela morada abrigadora do espirito, afinal, sem os devidos cuidados e a atenção, a deterioração dele em conjunto com os órgãos auxiliadores da vida material se perde e põe-se em estagnação a evolução da alma na aquisição de novas e relevantes tarefas a desempenhar frente aos irmãos de Deus nesta infinita sociedade.
           
            As moléculas, os indícios, o solo, todos esses estudos científicos buscam uma resposta dita racional para a existência de Deus, o que podemos encontrar no livro sagrado. Como teoria escrita, não satisfaz a realidade de quem busca a incessante verdade de tudo, conseguem não ter resposta para o obvio sinal de Deus, como a realidade da própria existência, sendo esplanada pelas teorias cientificas a resposta vagas e inoportunas quanto à obra divina. Como não conseguem encontrar soluções para efêmeras moléstias do corpo sem o diagnostico preciso em que muitos irmãos que habitam o planeta se acometem, como determinadas doenças inexplicáveis pela ciência material, mas totalmente respondida por qualquer centro espirita que encontram as respostas pela omissão da ciência, que conseguem respostas e curas para inúmeras enfermidades do corpo, mas desconhecem o valor real da vida.

            Nosso Senhor Pai de amor e criador de tudo, não precisa provar a criação de suas obras e nem precisa justificar cada sentido vital, que de tamanha é a perfeição de cada ser orgânico e inorgânico, quem busca a olho nu as resposta da verdade, tem em sua existência o vazio profundo que é de viver a real felicidade plena do amor onipotente de Deus Pai. E mesmos esses que buscam através da ciência a resposta que dificilmente encontrarão, usufrui do sinal de Deus, como a vida e as ferramentas naturais para suas experiências teóricas.

            As comparações quanto aos diagnósticos material e espiritual em muitos casos não se resultam numa paridade das respostas, pois a alma que abriga o corpo e a sua verdade não pode jamais acompanhar as limitações do corpo onde ao findar das atividades evolutivas são devolvidas ao solo com todas as eximas para a fertilização do solo divino e o espirito todo o resultado acumulado na temporária estada ao planeta de Deus que livremente é disposto a todos nós.
           
            Não busque Deus nos laboratórios científicos materiais       e frios da vida busquem-no nas ações diárias do bem, a começar pelo amor e pela caridade, lembrando que o maior sinal de Deus em nossas vidas começa pela própria existência e intimidade que todos nós podemos usufrui-lo e coabita-lo nesta enorme oceano de nossa própria vida, comungada com todas as obras verdadeiras do Pai.

Dr. Bezerra de Menezes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário