quarta-feira, 11 de setembro de 2013

RENÚNCIA




Quem não renuncia a todos os seus bens, não pode ser meu discípulo. Jesus Cristo.

            Desde os primórdios da existência, os seres se auxiliam em assessórios para poder desenvolver suas tarefas e mesmo se alimentar, com a evolução dos tempos as necessidades do auxilio se aperfeiçoam conforme as experiências e os compromissos. Não sendo diferente ao nosso comportamento. Ao regressar pela historia vimos como cada período atravessou suas paginas principais e todos se adaptavam a seus afazeres múltiplos.

            O passado existe para o aperfeiçoamento do presente e objetivando um futuro melhor, o planeta é reflexo dos planos espirituais que avançam conforme as necessidades e de acordo com a evolução de cada tempo. Hoje o que facilita a comunicação e as informações no passado engatinhava a uma perfeição, como as facilidades presentes serão fundamentais para as facilidades e aprendizados futuros. Não há como desprezar nenhum tempo na nossa historia, pois são as escolas do presente. Diversos irmãos encarnam para trazer novidades e facilidades a todos que evoluem na existência, como cada ação praticada é fundamental para a propagação da vida, mesmo que aparentemente não traga nenhum holofote a uma grande massa, mas a presteza e a qualidade no que é aplicado já farão de sua evolução etapas cumpridas. Mesmo que o aplauso não faça parte de suas obras, mas a facilidade que proporciona os seus já lhe favorecerá na etapa evolutiva.

            Não há como buscar os aplausos em tudo que praticamos, evidente que haverá situações em que nos destacaremos diante de nossas ações praticadas, quando isto ocorre é porque a dedicação e o nosso interesse faz-se instrumento e acessório de nossa vontade. Mas não há como viver nesta expectativa, havemos de trabalhar dia a dia para cumprir nosso dever. Quantas obras nosso senhor nos oferece e quase sempre não o aplaudimos, o sol que brilha e ilumina nossa caminhada, a chuva que lava os nossos pecados e renova a energia de nossos compromissos, a lua que ensina a importância que havemos de aprender com a noite a acolher no coração o dia que tanto dos abraça. A vida meus amigos é o maior templo que temos, ofertado pelo criador é onde nos brinda as oportunidades de comungar com suas dadivas e obras gratuitas há nosso tempo.

            Os bens materiais que possuímos é resultado do merecimento que conquistamos ao longo da evolução, o conforto que adquirimos em muitos momentos poderá ser o vilão de nossa evolução e praticas, há aqueles que têm muito e outros nada, mas cada criatura tem o reflexo das suas ações traduzidas em conquistas e mesmo nos insucessos, inclusive na abonança. Quem é detentor de bens materiais engana-se que tendo a graça do conforto nada há de contribuir com aqueles menos favorecidos e que não tem responsabilidade sobre eles, este erro acompanha quase todos os irmãos que creem que sua obra não passa pelas necessidades dos seus semelhantes. Haverá sempre aquele que aparecerá diante de nossas posses clamando uma necessidade, ao desdenhar e ignorar suas chagas estará descumprindo o dever confiado pelo criador e a cota de tarefas a se cumprir se acumulará, havendo a necessidade de novos renascimentos que se multiplicarão a nossos resgates.

            É mais fácil o desafortunado de toda matéria caminhar com o Senhor do que o acumulador de bens materiais, pois quem não tem nada a se barganhar de sua sorte material há de ofertar os bens mais genuínos e mais importantes, suas obras sem acessórios, pois ao reino de céus pertence a aqueles pobres, humilhados, miseráveis, pecadores e excluídos por uma sociedade separatistas, pois a estes que Jesus veio salvar. Fazendo-se caridosos, mansos e humildes todos serão credenciados a caminhar a salvação, mesmo que haja posses e as mais confortáveis riquezas materiais. Os bens materiais são como um castelo de areia construído a beira do mar, mas na primeira onda de forças contrarias poderão desabar e perder toda sua obra, mas a fortuna acumulada de todas as ações voltadas à caridade e ao bem único, nenhuma tormenta e nenhuma força destruidora do mal será capaz de ruir este império que é concretado com a base solida do amor universal.

            O que se acumula durante a vida jamais deverá servir como padrão de superioridade hierárquica ou mesmo motivo para desprezar seus semelhantes mais humildes, pois estes bens não terão nenhuma utilidade nos planos espirituais, tanto que permanecerão na matéria, e quando voltarmos, o equilíbrio deverá pesar sempre para o acumulo interior, o que de efetivo em suas habilidades trouxe de benfeitorias a vida confiada.

            Lembrando que no planeta estão todos compromissados com o senhor para poder elevar-se ao desenvolvimento espiritual e pessoal, principalmente alheio, a necessidade de todos passa pelo próprio interesse em fazer-se melhor para a coletividade, não há porque guardar as principais e belas louças com o medo de desgastar com o tempo e usar as porcelanas inferiores para servir do melhor de si a seus semelhantes, o prato principal deve ser ofertado com as mais belas formas de caridade e oferecendo sempre o melhor de seu alimento sagrado, o amor, pois ao guardar o melhor de você numa prateleira fria apenas para decoração que proveito terá sem o conteúdo principal a preenchê-lo?

            Não faça de suas posses materiais o triunfo e nem o Deus principal de sua evolução, pois não é. Podem ser importantes para o desenvolvimento de suas obrigações e deveres planetários, lembrando que lhe fora dado em confiança e por merecimento e a melhor resposta, o melhor agradecimento deverão ser demonstradas nas boas ações sempre, com o acumulo importante nos créditos principais que estão na alma, pois é este bem que deve servir sempre como padrão do merecimento e aonde designarão a próxima etapa no crescimento.  


            Dr. Bezerra de Menezes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário