quarta-feira, 4 de setembro de 2013

Os Samaritanos




Animados deste mesmo espírito de fé, conforme está escrito: Acreditei, por isso falei, também nós cremos e por isso falamos. 2Coríntios 4,13.

            Quem abre as portas e as janelas da vida para que nosso Deus faça-se morada, compreende a verdadeira face de ter este Pai fazendo graças em nossas existências. A reverência a Deus é muito difundida pelas diversas nações que compõem o universo da matéria e confirmada pelos habitantes do plano espiritual e a certeza que realmente faz sentido lutarmos contra todas as armadilhas do mal que está pronto a nos ferir e nos perder no lamaçal sem fim.

            Nosso Pai nos enviou diversos profetas a elucidar todas suas profecias, cada período e cada profeta atenderam aos desejos do Pai no seu tempo e cada tempo se findava na continuidade de demais outros, como as mudanças comportamentais e as responsabilidades de cada criatura neste infinito universo que é a vida na sua eterna magnitude de oportunidades.

            Por fim, enviou seu filho mais amado, Jesus Cristo, para que confirmasse todas as profecias já expostas e a reforma dos abusos que cometiam os irmãos da época e perdura até os tempos atuais, pecado meus irmãos não esta nos rituais que deixam de prestar a sentimentos e desejos de seu próximo, certos comportamentos sociais impõe sobre as criaturas o que é certo ou errado, destoam os textos divinos e ditam suas interpretações como forma soberana e de força diante da grande massa perdida e sedenta de um norte.

            Jesus foi injustamente condenado e crucificado porque mostrou que o verdadeiro pecado não está nas condutas sociais que adotamos em rituais infundados e que não representam nenhuma importância ao pai, mostrou que os verdadeiros equívocos estão no que sentimos e colocamos em pratica frente à deslealdade que cometemos contra nosso semelhante e claro todas as criaturas criadas pelo Senhor e contra Deus.

Podem-se lavar as mãos para se alimentar quantas vezes forem necessárias, pode ler o código divino e discursar com propriedade cada passagem, pode auxiliar seu próximo atendendo suas necessidades, pode ter em seu altar todas as imagens de irmãos santificados, ler todas às paginas dos textos enviados por diversos irmãos espalhados pelo universo espiritual, enfim pode se formar em praticas do bem, mas se a formação principal não fizer por ditar a verdadeira caridade e o verdadeiro sentido do amor, e se o comportamento não se modificar e não compreender com atenção as inexperiências e crescimento de nossos semelhantes e se formos à mesma acidez ou mais ferrenha cólera contra os impropérios da vida, não estaremos em sintonia com o verdadeiro bem, o que nasce e exterioriza de nosso interior e que de verdadeiro se trabalha é a qualidade que Nosso Pai deseja de cada um.

Não adianta querer abraçar a quantidade no bem a se praticar se não consegue resolver as próprias armadilhas que muitos se entranham pela própria vontade, não há como resgatar seu irmão sem que tenha se resgatado contra os males permanentes da alma. Para poder praticar o bem é preciso que esteja forte para poder trabalhar e enfrentar as diversas dificuldades que o progresso oferece, muitos ainda mesmo desejando exteriorizar uma força ainda sofre com enfermidades da vida em sociedade, os parâmetros sociais como sempre alertamos, amordaçam o verdadeiro sentido da vida que é a liberdade de expressar sua vontade, lembrando que a liberdade jamais pode ser difundida com as libertinagens emanadas pelo mal, onde o seu excesso pode comprometer todo sentido da vida e poder ofuscar todo bem que carrega os irmãos em seu santuário.

Deus nosso Pai compreende as nossas fraquezas e as nossas enfermidades, por isso sempre envia entre nós os samaritanos a nos resgatar e fazer de nosso sentido a sua vontade, há de abrir nossos corações e nossas vidas, para que sejamos sempre instrumentos de Deus perante nossos semelhantes.

Muitos dizem que não merecem que Deus esteja em ti e que não é merecedor de sua presença em sua morada, ora, que péssimo anfitrião é este? Que não consegue arrumar a própria casa para receber o Senhor em sua intimidade, lembrando que nossa casa, nosso intimo, pertence a ele, pois nos deu em confiança para zelar por ela, como ele sempre zela por nós. Agora se não faz por onde, o constrangimento quanto à aparência e a abertura das portas não apenas para nosso Senhor se sentir a vontade para entrar, como em receber seus semelhantes, serão reais. É preciso repensar e refazer as obras em ti. Reforma essa que não será necessária gastar fortunas, será necessário a vontade e amigos de verdade para poder erguer novamente este império tão sagrado que se ruina com o mal, e é a existência abençoada por Deus agindo com esperança em nossa caminhada.

Cada um de nós têm todas as condições de abrir a morada para Deus e deixar que ele faça-nos instrumentos necessários para sermos samaritanos de nossos irmãos. E termos todas as condições de salvar todos perdidos pelos vales da sombra.


Dr. Bezerra de Menezes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário