terça-feira, 24 de setembro de 2013

Fazendo-se instrumentos de paz.



Aconteceu que, mal Isabel ouviu a saudação de Maria, a criança saltou em seu ventre. Lucas. 1,41.

            É sem duvida motivo de grande emoção quem vive nas obras de Deus e compreende de verdade o que Jesus ensinou e viveu entre nós, seus ensinamentos, seu amor, sua caridade e acima de tudo, a humildade e o socorro que prestava aqueles que clamavam por uma sorte. E principalmente na sua superioridade no flagelo de sua via sacra que viveu por todos nós e compreendendo nossas fraquezas e ignorância que ainda assolam o planeta após sua passagem.

            O reconhecimento teve que vir pela sua morte física, onde muitos doutores da lei e os sacerdotes dos faraônicos templos que o perseguiam pôde compreender quem era aquele homem, mas quando o reconheceram de verdade já era tarde, por saber que estiveram ao lado do unigênito e não tiveram a oportunidade de viver na graça divina. Mas ele veio e cumpriu sua obra e através de seus exemplos os irmãos do presente podem aprender muito mais e se fazer melhores. A tecnologia que acompanha a evolução, não pode em nenhum momento alterar seus ensinamentos, ele permanece intacto no tempo e mais original como a época.

            Não há porque confundir avanço material com evolução espiritual é dois institutos completamente distintos, podem entre si fazer uma conexão no comportamento e amenizar as obras de amor e caridade com maior facilidade e maior aplicabilidade frente aqueles que tanto necessitam de um amigo sincero. Cristo não precisou de muito para nos salvar, apenas suas doces e sinceras palavras tocadas pelo Pai e que estão à nossa disposição no código divino e por tudo a nossa volta, onde fala para todos sem qualquer distinção. Suas palavras soam por todos os cantos em nossos corações, bastando senti-la de verdade e agindo em nossa vida.

            Olhe para o seu lado e veja o amor de Deus nos saudando, com o cântico dos pássaros, a brisa a nos suavizar a face, os contornos das belas paisagens a nos inspirar boas vibrações, a vida que desfrutamos e todas suas maravilhas a nossa volta… infinitas, a começar por nossa estrutura e nossa existência e o que mais há de querer, a não ser o trabalho com muita honestidade e fazer por merecer todas as nossas vitorias vindas pelo merecimento do melhor de nossas ações e sentimentos.

            Deus nos presenteia diariamente em suas grandiosas obras, como nos presenteou Jesus, por isso sinta a mesma emoção de João Batista no ventre sua mãe Isabel, quando na presença de Maria que trazia o salvador em seu ventre, vibre de alegria e dê graças ao fruto entre as mulheres, pois ele veio a nos salvar e esta conosco no final dos nossos tempos.

            Por isso amigos esforcem-se para fazer-se melhor dia a dia, resistam ao mal, ao pecado, aos encantamentos do maligno, veja como viver em Cristo é sublime e magico, como ele é capaz de transformar nossas estruturas em instrumentos de paz, não deixe o consumismo do pecado oriundo da vaidade, do orgulho dificultarem sua felicidade, reconheça quando errar, peça perdão quando ofender. Chore de alegria ou mesmo alguma tristeza quando precisar lavar a alma, diga a quem ama quem realmente ama de verdade, compreenda as fraquezas de seu semelhante, seja o amor no ódio, certeza na duvida, onde houver indícios de separação, faça a união, ao ter maus pensamentos, reforme, quando sentir desamparo, ore. Seja fiel e leal aos princípios do bem a quem lhe retribui o bem e sejam escudos contra as armas do mal, não o ataque com a mesma ferocidade, pois causa mais dor que solução, o maior antidoto contra o mal é o amor e a despreocupação que lida contra ele.

            A essa leitura parece fácil, a ação é difícil ou quase impossível, sinal que o orgulho e a vaidade controlam a infelicidade e dificulta o entendimento e o altruísmo de todas as ações. Não cante louvor a Deus sem louva-lo na caridade e no amor a seu semelhante e compreendendo-o nas suas inúmeras diferenças.

            Dr. Bezerra de Menezes.
  

Nenhum comentário:

Postar um comentário