segunda-feira, 30 de setembro de 2013

Os obsessores



Deus quis dar-lhes a conhecer a riqueza da gloria deste mistério entre os pagãos: o Cristo em vosso meio, a esperança da gloria. Colossenses. 1,27.

            A obsessão é uma condição bastante assídua na vida de muitos seres, vários graus de obsessão acompanham diversos irmãos pela longa caminhada terrena, o mistério onde envolve o bem e o mal, traz as armadilhas impostas pelo maligno no sentido de caminhar rumo aos ensinamentos divinos e onde devemos de fato colocar diante da odisseia dos males tão presente e tão sedutora a nossa vida.

            A vulnerabilidade e a desproteção são condições bastante favoráveis à possessão de vários irmãos espirituais que vivem em torno de prejudicar e a captar as energias dos irmãos em condições favoráveis ao designo do mal, onde muitos vivem de poderes imaginários e forças que desprotegem da verdadeira vigília e que realmente impõe a vida terrena como a grande chaga da humanidade.

            Engana-se que ao frequentar os templos e serem adeptos das diversas doutrinas estarão livres da obsessão, ao contrario, esses são os mais favoráveis à perdição do que muitos que estão longe do evangelho, pois afrontam os poderosos do mal e ao qual se revoltam quanto aos seres que caminham rumo ao plano divino. As preces inúmeras é o escudo de proteção que envolve do ser na proteção, mas a qualquer descuido, o perverso e suas legiões estarão prontos a dominar os seres, por isso, orai e vigiai.

            As legiões inferiores encontram-se os perversos dragões do mal, que consomem os fracos e formam inúmeros escravos em torno do seu poder que são constantemente enviados ao planeta para atrair inúmeros simpatizantes, esses escravos tem a missão de formar mais escravos para poder manter-se na força destruidora que entramos nos praticantes do ódio, do rancor, da ira, da cólera, das zombarias, que fazem dos fracos e oprimidos palco de suas maiores arrogâncias, são os traficantes que impõe sobre os seres a destruição da vida sagrada, são as crianças que vivem amordaçadas e abandonadas que são constantemente envolvidas pelas artimanhas dos adultos que as perdem para satisfazer seus prazeres mais perversos.

            O momento de maior força dos obsessores é quando os seres se entregam ao sono do corpo e desprotegem o espirito de orações, é nesse momento que os obsessores entram em ação e hipnotizam os seres, onde muitos levantam de muito mau humor, causam discussões logo ao despertar, não agradecem a vida e a oportunidade divina, e trazem brigas dentro de casa, separações, agressões, formam escravos que cometem crimes bárbaros que são dominados por seres que apossam de suas fraquezas e muitas vezes pelo simples fato de não viver em oração.

            As revoltas inúmeras são finais de obsessão, ao não agradecer o empregador por ter o emprego que auxilia na manutenção da vida em sociedade, muitos desejam o pior para o empregador, para os colegas de trabalho, na coletividade causam discussões por muito pouco, muitos denigrem outros irmãos pelo simples prazer da difamação e da demonstração da razão.

            Na escola o desauxilio aos colegas que enfrentam dificuldades é bastante comum, as zombarias dão lugar ao verdadeiro auxilio, os professores são violentamente desrespeitados no grau máximo de sua importância são agredidos de diversas maneiras.

            Os religiosos de diversos segmentos sofrem o escarno de outros que dizem fieis ao Mestre, Jesus é desrespeitado dentro do próprio evangelho, onde os que dizem praticar a palavra, mas, usam seu entendimento como forma de dominar outros ou mesmo perder os sedentos de esperança.

            Todas as obsessões trazem as piores dores nos seres, como a depressão, os suicídios, a perdição pelos entorpecentes e pelas bebidas e as drogas ditas sociais, a miséria, a pobreza, a fome, as doenças que dominam os seres, os stress, o cansaço, os assassinatos, os acidentes que impedem outros irmãos de seguir sua evolução física e intelectual, toda forma de mal é uma porta aberta para o domínio dos obsessores, não há como confundir as garras do mal em domínio no ser, mas sua perversidade é tamanha que hipnotizam os seres e faz com que as reais condições favoreçam seu bem estar.

Os ensinamentos do evangelho são tratados com escarno e zombarias, quem são adeptos das inúmeras doutrinas são considerados carolas e beatos, forma pessoas desagradáveis ao seu redor, para os obsidiados.

O domínio desses obsessores é tamanho que muitas vezes impede a recuperação de muitos irmãos, é como uma doença física onde quanto mais tarde seu tratamento menor é o grau de cura ou muitas vezes impossível, pois o câncer do mal impregnada em todo ser causa os piores sofrimentos, onde muitos serão em alguns casos acolhidos por esses seres sugadores do mal, são agentes que agem como em uma mina de pedras preciosa que são exploradas ao extremo e que são arrancadas toda riqueza e não tendo mais o que explorar, após tirar toda fortuna, abandonam com o que restou e que não mais interessam, deixando ao próprio abandono.

Bastante comum os irmãos se depararem com outros irmãos em situações como as identificadas, em nosso lar e espalhados pelo universo, são aqueles que causam os males visuais, transtornos em nossa vida, são os abandonados pela sociedade, pela família, entregues as inúmeras violências. O anticristo presente muitas vezes não está impregnado somente nestes doentes, em muitos casos estão imperando no preconceito que muitos carregam no coração, esses são os piores obsessores, que mostram aparentes poderes, mas, no entanto estão a serviço do maligno que faz com que suas ações sejam piores do que os andarilhos, usuários de entorpecentes, os assassínios, entre muitas outras obsessões que visivelmente nos apresentam, esses são capazes de tornar outros irmãos piores e causar as piores humilhações em nome de prazeres esdrúxulos e mundanos.

A primeira forma de cura das obsessões e obsessores estão em se colocar em constantes orações, afinal, nosso planeta é de provas e expiações, aqui não estamos para brincar, Jesus já nos alertava, em orar e vigiar constantemente. Estamos aqui para viver seu ensinamento, mas cuidando do próprio ser e da própria vida, lembre-se que o filho de Deus, o escolhido, foi morto e crucificado pelas trevas do mal, dos obsessores que dominavam aqueles homens no auge de seu orgulho, vaidade e poder, que não conseguiam enxergar tamanha luz, pois estavam cegos de trevas e obsessivas do mal. Os obsessores estão à solta, prontos a nos prejudicar, eles nos conhecem tão bem e até melhor que nós mesmos e que são capazes de trazer a nossa consciência nossos erros que tanto desejamos apagar, mas eles o fazem para poder nos desestruturar e entregar ao seu domínio.

Por isso em muitos momentos da vida terrena e mesmo espiritual, o perdão é um desafio áureo no coração e na vida dos seres, a convivência é um desafio constante com todos que nos cercam, por isso é preciso alertar para esses obsessores que impendem a nossa felicidade e impede-nos de perdoar e fazer nossa caminhada mais transparente e melhor apresentada. É preciso identificar essas obsessões em nosso intimo e buscar extirpar de nossa vida, como: Orando, vigiando e reformando todo nosso pensamento e sentimento, lembrando ainda mais, que não somos criaturas perfeitas, estamos em evolução constante, encarnados e desencarnados, por isso veja as fraquezas e os erros de seus semelhantes como seus, para poder entender o universo alheio, como deseja que seu universo seja aceito por seus irmãos e facilitar o perdão, que é a maior riqueza do amor e maior proteção contra os obsessores.


Dr. Bezerra de Menezes. 

sexta-feira, 27 de setembro de 2013

O Compromisso Mediúnico



Torna-te modelo para os fieis no modo de falar e de viver, no amor, na fé, na pureza. 1 Timóteo. 4,12b.
           
            É importante aos amigos compreender o instituto do uso físico por parte dos amigos espirituais ao serviço das mensagens e o continuo trabalho entre as esferas dos dois mundos, compreendemos que o plano material favorece inúmeras condições de sentimentos e as melhores e mais dignas oportunidades de trabalho frente aos desafios da evolução e da tarefa a se desenvolver frente aos envoltos espirituais.

            São escolhidos diversos irmãos que partem das colônias espirituais com a missão de levar a extensão da realidade eterna para as diversas tarefas terrenas e no resgate de muitos irmãos que se perdem pelas armadilhas e pretensões do mal, podem se considerar privilegiados, pois a aproximação com o verdadeiro sentido do amor e a caridade ao próximo, complementa a real e verdadeira missão a se desenvolver.

            É preciso saber que mesmo sendo designado e assumindo as responsabilidades frente à humanidade, diante de toda espiritualidade a disposição e a orientar todas as obras, muitos ainda frustram com o compromisso assumido, pois o livre arbítrio e a vulnerabilidade na fé ainda emanam de muitos que habitam o planeta evolutivo, mesmo tendo a predestinação assumida, a liberdade ainda nos é respeitada pelo criador e mesmo assim nos acompanha de perto em todas as nossas ações e sentimentos. Há os que ignoram a existência do mundo além da matéria e escarnecem de irmãos que atendem ao chamado com as devidas orientações.

            O livre arbítrio de nossas ações é lei, como é lei também o nosso compromisso assumido frente ao mundo. Podemos até não atender na integra ao chamado e agir conforme prometido, mas deve-se sempre haver entre qualquer situação o respeito alheio. O serviço dos irmãos espirituais frente à humanidade estende-se aos sentidos de Deus e as obras por ele criado, da mesma maneira que assumimos compromissos entre encarnados, pois o planeta é uma passagem evolutiva, o mundo material a única e verdadeira realidade e onde parte os sentidos e as tarefas planetárias.

            Há aqueles irmãos encarnados escolhidos que desenvolvem o dom da incorporação e se faz intermédio entre o plano espiritual e o planeta material, é dado a estes o compromisso de atuar frente aos demais, levando a verdadeira realidade e sentido do comportamento entre os seres. Como também é ofertado a este a democratização do tempo, para a matéria o trabalho material, para o trabalho espiritual o tempo necessário de atuação, esse é o sentido da mediunidade aplicada e ao qual se deve zelar e lutar contra as tentações em que se promove frente ao serviço espiritual. Quem desenvolve a mediunidade é mais vulnerável ao encantamento do pecado, pois quem assume o compromisso de intermediar a comunicação, sabe que a vaidade e o orgulho devem ser sentimentos exclusos de seus sentimentos, dando sempre lugar a humildade, a simplicidade no pódio do amor e da caridade, além de compreender a vulnerabilidades alheia e não condenando.

            Quem desenvolve a mediunidade não é mais preparado ou menos evoluído que os demais, são diferenciados, mas que deve acima de tudo servir de instrumento de Cristo com lealdade e gratidão é a oportunidade única de viver Jesus nas ações, pois o Homem de Nazaré era portador de alta mediunidade e quem a desenvolve deve saber que esta diretamente ligada ao coração de Jesus Cristo, evidente que com paridades distintas, mas com um único sentido, amar uns aos outros, pois dentro deste instituto é a chave de toda libertação e salvação planetária. Aos que atacam, são como os fariseus e os saduceus que perseguiram no auge das trevas o Mestre da luz, que não viam a luz diante da escuridão.

            E o mais importante à mediunidade jamais deverá ser usada como profissão e as tarefas desenvolvidas devem ser trabalhadas da mesma forma que fora presenteada, gratuitamente. Lembre-se que Jesus Cristo nunca usou seus dons como forma de sustentação material entre os homens, ensinou e ensina, curou e cura, amou e ama com o mesmo amor que Deus tem por todos nós, não nos cobra pagamento, nos cobra apenas a lealdade e o compromisso do bem comum e o amor, este inacessível a qualquer poder material. E para se sustentar materialmente, Jesus aprendeu o oficio de carpinteiro com José, seu pai. E mostrou-nos que a fortuna maior esta na vivencia do amor e ao ter essa realidade aplicada e vivenciada e o que é nosso por merecimento nos encontrará no tempo devido.

            E quem usa a mediunidade ofertada para ludibriar os seus semelhantes e a causar dores, usar como forma de vingança, prejudicar outrem e ilicitamente enriquecerem-se a base do desespero alheio que clama um socorro estará prestando serviços aos zombeteiros e aos dragões das trevas e do submundo espiritual, jamais a verdadeira luz, estará contrariando todo sentido e os ensinamentos do mestre Jesus que nos acolhe com todo seu amor. E quem usa destes artificies condenáveis estará apossado de si com os descompromissados do evangelho, que usurpam os verdadeiros irmãos de luz para causar dor, desespero e guerras.

Quem é luz somente exala esperança, amor e felicidade, onde junto a esses traz o melhor de Deus, a eternidade em seu reino, acenda a luz dentro de você, começando com a energia das orações.

Dr. Bezerra de Menezes.
  

quinta-feira, 26 de setembro de 2013

Ele existe e nós também



O medo se apoderou de todos, e louvaram a Deus, dizendo: “Um grande profeta surgiu entre nós”, e: “Deus visitou seu povo”. Lucas. 7,16.

            Seres planetários ainda necessitam visualizar determinas ações divinas como forma de milagre para crer na existência de algo superior a matéria visual e muitos ainda necessita visualizar a transformação em si ou em outrem para louvar a Deus e suas obras.

            Mesmo se convencendo pelos sinais, muitos ainda não se transformam pela ação divina proposta como meios de melhorar a própria existência e a própria encarnação. É muito comum os irmãos procurarem os templos e rogar situações diversas, mas ainda não creem na soberania dos planos espirituais e na continuidade da vida pós-planetária. 

            O destoar da palavra é muito difundida em meio aos templos como forma soberana de domínio as massas, alienadas a uma felicidade imposta e não conquistada. A palavra do Senhor nos mostra todas as condições de salvação para os seres encarnados e desencarnados e mesmo assim há irmãos que encontram formas de persuadir outros mais em suas filosofias mais que oportuna.

            O espirita-cristão consegue difundir os ensinamentos com melhor entendimento frente à continuidade do existir e sabem que no planeta trabalham para crescer conforme os desígnios do criador, fazendo-se graduado na evolução, mas muitos adeptos ainda necessitam de provas visuais para compreender o proposito, muitos necessitam enxergar o universo além da matéria ao invés de senti-la agindo por todos os cantos. Deus não tem a necessidade de nada provar a nós, Nosso Senhor sempre envia seus sinais de sua existência, como a vida que desfrutamos e comungamos com outras mais, o sol sobre nosso ser e o ar como forma da manutenção da vida, as águas como alimento do corpo e as orações como alimento da alma e a natureza como mãe acolhedora a abraçar-nos na proteção.

            Muitos escolhidos vieram e ainda vem sobre o comando do Onipotente para difundir sua vontade e como orientador do caminho da salvação. Presenteou-nos Jesus, que permanece vivo entre nós e nos salva dia a dia de todos os perigos, principalmente quando desgarramos da coletividade de seu pastoril e ele jamais cessa o trabalho enquanto não ver-nos protegidos de todos os perigos.

            E mesmo diante de tantas comprovações muitos ainda se fazem necessários às provas do alto, principalmente nas exageradas posturas frente aos irmãos, principalmente quando se detém alguma informação melhor privilegiada, muitos fazem de suas academias alvo de desagravo aos menos favorecidos, fragmentando sempre a presença de um irmão.

            Há ainda quem duvide da existência de Cristo, por não ter indícios materiais de sua vida, são os que julgam a matéria como Deus superior de suas ações e compreensão, não conseguem expandir o horizonte e visualizar que tudo que somos e temos vem de um merecimento que nos acompanha por milênios de um mundo espiritual existente em nosso santuário.

            Mesmo crendo na sua existência e nas obras divinas muitos ainda são incapazes de viver a profundidade das lições ensinadas pelo Mestre e perdem-se pelo universo terreno nas armadilhas do inimigo maligno na persuasão imaginaria que nos propõe, são os prazeres da matéria que cegam a alma e que se aprofundam no anticristo das perversidades que assombram nossa alma e a nossa fé das obras divinas. O mal mostra a nossa limitação na certeza apenas do palpável e nos cegam na realidade divina, em sentir no coração da alma as condições reais de felicidade e amor, este sim responsável pela nossa formação, pela salvação e pelo preenchimento de todas as lacunas existentes, pois aqueles que se apoderam de poderes materiais, certamente viverá o vazio espiritual e sempre haverá em seu sentido a falta de algo cegado pela entrega aos prazeres das maldades, que nos apresentam nas pétalas aveludadas que escondem os piores venenos. Não que a vida material tenha que ser esvaziada, ao contrario, deve sempre ser equilibrado, como tudo em nossa existência, pois o desequilíbrio leva-nos aos erros e as injustiças.

            Muitos descrentes ainda necessitam de sinais extraordinários para viver a felicidade e podem perder oportunidades e tempo de conquistar algo que se torna tão simples na presença de Deus. E quem vive em Cristo, precisa apenas da certeza e de agir nas lições para viver a plena felicidade, e se em algum momento duvidar da existência do Senhor ou se deparar com alguém que desconfie da sua realidade, faça uma única pergunta e tente responder:  Então, como tudo existe?

            Dr. Bezerra de Menezes.        



quarta-feira, 25 de setembro de 2013

A FONTE DA SABEDORIA



Mas a sabedoria foi reconhecida como justa por todos os que a seguem. Lucas. 7,35.

            O evangelho de Cristo é claro e muito objetivo no proposito da salvação, bem como a pratica de nossos sentimentos, pensamentos e principalmente nossas ações frente às obras de Deus. Todos os ensinamentos do Mestre causam em muitos irmãos os desafios de enfrentar com coragem os obstáculos que a vida proporciona, lembrando que o pecado do astuto acompanham os seres desde a criação do universo, quando o fruto proibido causou o descontentamento de Deus.

            Quem é adepto das armadilhas movediças do pecado, tem na palavra a afronta a sua integridade e principalmente seus conceitos, muitos questionam as escritas e suas pretensões, com argumentos preconceituosos embutidos na alma que acompanham nos prazeres da matéria e o vazio espiritual com os excessos dos prazeres que emanam nas argumentações.

            É comum ver irmãos vestidos com as mais sofisticadas grifes e mais caras produções de injustas aparências, que não representam em nada o que se veste a alma, a embalagem pode esconder ou mesmo driblar os conceitos escondidos no espírito. Assim muitos vestem a indumentária física como forma de mascarar todas as fraquezas e os males escondidos pelos diversos poderes do pecado.

            A palavra do Senhor coberta com toda sua sabedoria e alimenta com fartura a alma e condiciona a quem faz uso da verdade a melhor saúde e fortalece o poder de auxiliar a outros irmãos com bastante sabedoria. A palavra de Deus causa muitos embaraços e até mesmo perturbação à ordem de quem se vê frente as suas diversas lições, é como a criança que recusa diversos alimentos sadios que traz uma ótima saúde e preferem se entregar aos alimentos mais nocivos ao corpo, por crer que faz bem e é mais prazeroso e é o melhor. É nesta mesma concepção que muitos têm da palavra de Deus, sabemos que ela é fonte eterna de vida e que seu uso faz com que deixemos de praticar os atos exagerados do pecado, onde compreendemos que para fazer saudáveis não é preciso muito, apenas amar e colocar em pratica as lições de Cristo.

            Muitos preferem desdenhar a palavra fonte de vida e se fazer ignorantes no que ela indica, e se entregam aos prazeres do pecado por saber que ela traz ao ego status e poder, se fazendo admirados ou mesmo temidos por outros irmãos como forma de massagear o orgulho e a vaidade impregnada na alma, como digestão alimentar nociva em que muitos preferem consumir pelo prazer momentâneo a viver pela saúde plena da alma.

            Testemunhamos na vida muitos irmãos que encontrou na sabedoria da palavra a fonte eterna saudável e evolutiva de vida e se desintegraram dos prazeres perecíveis e imediatos, para consumir e viver a plenitude da fonte divina, que renova todas as fontes de juventude, onde muitos deixam de vivê-la pela própria deterioração, mas aquele que encontra essa fonte tem a segurança e a coragem de enfrentar com força e sabedoria todo o exercito do mal que se apresentam armados com todas as armas destruidoras da esperança e da salvação, que atacam com todos os prazeres esdrúxulos do maligno que encantam os fracos da fé.

            Há muitos prazeres tão eloquentes que possamos vive-la, basta encontrar a sabedoria das palavras e colocar em pratica todo Cristo que há dentro de si e alimentado com todo o cardápio à disposição e ao encontra-la, nenhum prazer do mal fará necessidade e veremos que o maior dos prazeres é a verdadeira felicidade plena vindas da sabedoria de Deus que é fonte para a vida eterna, na ação de amor e caridade.

            Dr. Bezerra de Menezes.      


            

terça-feira, 24 de setembro de 2013

Fazendo-se instrumentos de paz.



Aconteceu que, mal Isabel ouviu a saudação de Maria, a criança saltou em seu ventre. Lucas. 1,41.

            É sem duvida motivo de grande emoção quem vive nas obras de Deus e compreende de verdade o que Jesus ensinou e viveu entre nós, seus ensinamentos, seu amor, sua caridade e acima de tudo, a humildade e o socorro que prestava aqueles que clamavam por uma sorte. E principalmente na sua superioridade no flagelo de sua via sacra que viveu por todos nós e compreendendo nossas fraquezas e ignorância que ainda assolam o planeta após sua passagem.

            O reconhecimento teve que vir pela sua morte física, onde muitos doutores da lei e os sacerdotes dos faraônicos templos que o perseguiam pôde compreender quem era aquele homem, mas quando o reconheceram de verdade já era tarde, por saber que estiveram ao lado do unigênito e não tiveram a oportunidade de viver na graça divina. Mas ele veio e cumpriu sua obra e através de seus exemplos os irmãos do presente podem aprender muito mais e se fazer melhores. A tecnologia que acompanha a evolução, não pode em nenhum momento alterar seus ensinamentos, ele permanece intacto no tempo e mais original como a época.

            Não há porque confundir avanço material com evolução espiritual é dois institutos completamente distintos, podem entre si fazer uma conexão no comportamento e amenizar as obras de amor e caridade com maior facilidade e maior aplicabilidade frente aqueles que tanto necessitam de um amigo sincero. Cristo não precisou de muito para nos salvar, apenas suas doces e sinceras palavras tocadas pelo Pai e que estão à nossa disposição no código divino e por tudo a nossa volta, onde fala para todos sem qualquer distinção. Suas palavras soam por todos os cantos em nossos corações, bastando senti-la de verdade e agindo em nossa vida.

            Olhe para o seu lado e veja o amor de Deus nos saudando, com o cântico dos pássaros, a brisa a nos suavizar a face, os contornos das belas paisagens a nos inspirar boas vibrações, a vida que desfrutamos e todas suas maravilhas a nossa volta… infinitas, a começar por nossa estrutura e nossa existência e o que mais há de querer, a não ser o trabalho com muita honestidade e fazer por merecer todas as nossas vitorias vindas pelo merecimento do melhor de nossas ações e sentimentos.

            Deus nos presenteia diariamente em suas grandiosas obras, como nos presenteou Jesus, por isso sinta a mesma emoção de João Batista no ventre sua mãe Isabel, quando na presença de Maria que trazia o salvador em seu ventre, vibre de alegria e dê graças ao fruto entre as mulheres, pois ele veio a nos salvar e esta conosco no final dos nossos tempos.

            Por isso amigos esforcem-se para fazer-se melhor dia a dia, resistam ao mal, ao pecado, aos encantamentos do maligno, veja como viver em Cristo é sublime e magico, como ele é capaz de transformar nossas estruturas em instrumentos de paz, não deixe o consumismo do pecado oriundo da vaidade, do orgulho dificultarem sua felicidade, reconheça quando errar, peça perdão quando ofender. Chore de alegria ou mesmo alguma tristeza quando precisar lavar a alma, diga a quem ama quem realmente ama de verdade, compreenda as fraquezas de seu semelhante, seja o amor no ódio, certeza na duvida, onde houver indícios de separação, faça a união, ao ter maus pensamentos, reforme, quando sentir desamparo, ore. Seja fiel e leal aos princípios do bem a quem lhe retribui o bem e sejam escudos contra as armas do mal, não o ataque com a mesma ferocidade, pois causa mais dor que solução, o maior antidoto contra o mal é o amor e a despreocupação que lida contra ele.

            A essa leitura parece fácil, a ação é difícil ou quase impossível, sinal que o orgulho e a vaidade controlam a infelicidade e dificulta o entendimento e o altruísmo de todas as ações. Não cante louvor a Deus sem louva-lo na caridade e no amor a seu semelhante e compreendendo-o nas suas inúmeras diferenças.

            Dr. Bezerra de Menezes.
  

segunda-feira, 23 de setembro de 2013

Gotas no oceano



Nenhum servo pode servir a dois senhores (...). Jesus.

            Somos únicos, único ser, unida vida, temos um único Senhor, Deus. Ele criador de tudo o que existe e o que somos. O que nos é designado vem oriundo da sua vontade a nos salvar diante do caldeirão arrebatador do mal, que ferve preste a nos consumir nos piores alimentos dos servos do mal que se esbalda com nossas fraquezas.

            Jamais devemos se fazer alimento do mal, temperados com todas as substancias que exalam o pior da vida, que são os preconceitos, o rancor, o ódio e todas as substancias que fartam o mal com as nossas ofertas malignas. O mal deseja nos consumir com toda ferocidade e designa os famintos e fracos a nos consumir o melhor da oferta. Quando abrimos nossa guarda e afastamos das bênçãos de Deus sobre nossa fronte, permitimos que os servos do maligno nos consumam com tamanha gula, quando perderemos o melhor de nossa essência e nos tornemos impuros em todas as nossas condições.

            Quando somos transportados à volta ao planeta, viemos por um pai e por uma mãe, podemos ao longo da existência adotar outros irmãos que possam igualar o carinho, o amor e a dedicação de um pai e de uma mãe que carregam em seu ventre, mas o caminho somente é feito por uma única via. Pode haver a separação por diversas consequências e situações, mas somos frutos de uma unidade.

            Temos uma única vida, um único dia para se fazer muito melhor que o anterior e temos um único objetivo, o Reino de Deus em nossa vida mesmo comungado com outros irmãos, somos individuais e carregamos dentro de nosso santuário diversas experiências que nos acompanharão para sempre. As experiências início e fim acompanham um meio de diversas situações, como no comportamento e nas ações e mesmo nos sentimentos que adquirimos e exteriorizamos frente aos nossos irmãos. O inicio a graça de Deus, o meio tudo que conquistamos as amarras vencidas, os pecados aniquilados, os preconceitos extirparmos, o final, a graça de Deus por compreender a todos que nos cercam, principalmente em suas inúmeras fraquezas e pecados. Para fazer livres de todos os pecados, iniciemos compreendo nossos irmãos mais próximos.

            Somos uma gota que desagua em meio ao oceano, a primeira vista pode-se parecer insignificante frente a nossa consciência consumidora, mas esta gota desaguada no oceano proporcionara que fazer parte desta grandeza, assim é a benção e a vida em Deus, somos a gota e ele o oceano, quando permitimos fazer parte desta vastidão, caindo sobre sua realidade, seremos a unidade nele e a importância de se fazer únicos em Deus, é a certeza que podemos contar com sua infinita proteção e amor, não sendo permitido que o mal nos encontre em meio à imensa proteção.

Quando escolhemos desaguar nas areias longe dos mares, permitimos ser consumidos pela árida paisagem seca e sem nenhuma perspectiva de vida eterna, ao qual será preciso a onda de compaixão passar e carregar-nos para a vida em Cristo, que é o grande navegador destas águas que vem até nós para resgatar e fazer parte deste infinito e único oceano, Deus.

Aproveitem sempre a oportunidade de desaguar no amor divino, não desvie seu curso, não se aventure por filetes que nos apresentam como atalhos, pois estes não conseguem desaguar em Deus, os filetes de água vêm para perder o nosso curso e secar nossa vida, ao contrario do oceano, que quando temos a graça de encontra-lo, não havemos de temer, por que o Senhor será nosso capitão, que jamais abandonará seus marujos e o mais importante, para fazer parte da embarcação divina, nada mais importará do que o melhor de você, o coração, nenhuma religião, nenhuma fortuna, nenhuma diferença importará, simplesmente aonde somos todos iguais.

Dr. Bezerra de Menezes.



           




domingo, 22 de setembro de 2013

Começo, meio e fim



Porque nada trouxemos para este mundo e nada dele poderemos levar. 1timóteo. 6,7.


            A vida e a morte são duas extremidades difundidas aos filhos do criador, para quem fica a saudade, quem parte a esperança, mas entre os dois extremos há o meio que certamente todos devemos zelar com bastante atenção e usufruindo com elegância todas as passagens do código divino com a certeza de que cumpriremos os desígnios e a encarnação que fora confiado pelo criador.

            Quando partirmos das nossas missões do plano espiritual para o material, deixamos para traz também a tristeza da separação temporária, mesmo compreendendo que é preciso para a evolução de cada ser difundir nossos corpos para de fato merecer tudo que desejamos que seja o Reino de Deus. Mas ao partir assumimos inúmeros compromissos para com o mundo material e inclusive a ciência de todas as situações que viemos vivencia-la.

            A predestinação é fato que nos acompanhará por todo tempo, inclusive os débitos que havemos de saudar de outrora vidas, viemos puros para o presente, mas em franca divida com o passado ao qual viemos para cumprir os impropérios pregressos, nada como o planeta para experimentar todas as formas de limpeza interior, é nele que as piores tentações acompanharão todos os seres até o regresso ao mundo real. Compreendido nos é que nada de rosas espera pelos espíritos em forma material, os desafios inúmeros como as tentações malignas nos espera com bastante festa e acolhida em suas mundanas ostentações, onde nestes momentos havemos de escutar a voz divina que clama em nosso santuário, mas em muitos ensurdecem e entram para a colhida do inimigo de Deus e perda das ovelhas.

            Os desafios existem realmente para crescer e merecer novas oportunidades em mundos melhores, onde a cada tempo evoluímos para atingir o ápice divino, quanta vezes serão necessárias para crescer? O tempo necessário, entre o tempo de Deus e principalmente o que produzimos e fazemos por merecer a própria sorte.

            Quando caminhamos para a encarnação terrena, logo nos é enviado somente o espirito a abrigar uma embalagem ao qual devemos zelar por todo caminho percorrido.  Crescemos com todas as funções necessárias para a manutenção da missão e sempre carregando as marcas do passado nas colheitas presentes, e quando devolvemos a matéria para mãe terra voltamos com que trouxemos o espirito, mas acumulado às ações praticadas e sentidas na passagem evolutiva. Deixamos na matéria para traz tudo o que produzimos nela, não nos sendo permitido nada levar, apenas a consciência que nos fará advogados no momento de nossa prestação de contas celestiais.

            E muito importante nossas ações e sentimentos no caminhar da vida, pois é nela que nos é a verdadeira e única missão de resgate e evolução frente aos propósitos de Deus e que nos credenciará no futuro, aonde encontraremos as portas de Deus abrindo-se para novas e felizes oportunidades evolutivas. O que acumulamos na matéria é assessório que nos acompanharão no trajeto e determinarão as facilidades para não cair nas tentações malignas, mas os riscos do acumulo material são as armadilhas que ela proporciona, como a vaidade e o orgulho. Nestes sentidos estão as grandes perdições da humanidade que atrasa a evolução e aborta o crescimento do espirito em busca da perfeição.

            Muitos irmãos se prendem as prisões sentimentais em busca de acúmulos que pelo planeta ficará muitas vezes para causar mais dor e separação entre os irmãos que muitas vezes se unem pelo universo e se afastam pelo poder inexistente temporário.

            Limpos vieram e limpos devemos retornar ao mundo de espiritual, mas limpos dos sentimentos e das ações cumpridas e o quanto facilitamos nossos semelhantes em suas inúmeras dores, os percalços do caminho deverão se inferiores as boas praticas. Evidente que ao longo da estrada nossas fraquezas alertarão nosso intimo e em muitos casos nos farão cometer injustiças, dores, impaciências para com nossos semelhantes, e neste momento de reconhecimento dos erros e o pedido do perdão será nossa superioridade na bondade e na humildade em saber que nossa colheita terá o justo acolhimento.

            Nascemos, produzimos e voltamos e nada trouxemos e nada levaremos nas mãos, mas viemos com uma missão e retornamos com ela cumpridos ou mais devedores ainda, pois é no caminhar da passagem que nos fará merecedores do futuro.
           
            Irmãos, não façam dos bens materiais o Deus mais importante de sua estrada, são importantes, são, facilitam a vida, mas não ditarão nossa sorte, ao contrario, poderá ser o algoz do retardamento vital e retrocesso da vida presente. A riqueza é para ser distribuída, a pobreza para se unirem na solidariedade e nossa missão, o equilíbrio.


            Dr. Bezerra de Menezes.                                                 

sexta-feira, 20 de setembro de 2013

Aproveite o presente.




Vivemos perplexos, mas não desesperamos, perseguidos, mas não desamparados. 2Cor. 4,8b-9 a.

            Engana-se quem credita as boas ações e intensões frente aos irmãos que estará credenciado imaculadamente ao Reino de Deus, é nosso dever praticar boas ações, assim como as boas intensões. Evidente que quem os pratica tem uma grande responsabilidade frente aos demais, e propagar as qualidades de quem faz o bem sempre.

            Os irmãos terrenos e mesmos os habitantes das inúmeras colônias espirituais espalhadas pelo universo de Deus possuem inúmeras dividas regressas e que no tempo certo serão cobrados pelo maior, de forma justa e proporcional a cada resgate, as oportunidades devem a cada momento serem aproveitadas, mesmo que os desafios materiais sejam sufocantes ou mesmo levando as misérias das oportunidades de viver num conforto aparente.

            Quando outrora nossa consciência se manifesta em injustas reivindicações que não nos são por direito possuir, levando em consideração os resgates presentes da matéria, encurte contra nosso criador inúmero revolto e colocam a oportunidade de regeneração em xeque, falta ainda aos irmãos planetários maior intimidade com as obras e os ensinamentos de Deus por seu unigênito Jesus de Nazaré. Mas para que compreenda de verdade a vida, é preciso se libertar das vaidades teológicas e as teias do orgulho dos inúmeros sacerdócios espalhados pelo mundo.

            Passaram-se milhões de anos desde a criação do homem e desde a transgressão das leis divinas pelos primeiros habitantes, onde desobedeceram as ordens de não usufruir do fruto proibido e nos foram colocadas às condições para novamente resgatar a confiança, mas ao longo da historia muitos povos ainda fracassam neste resgate, fracasso esse que persiste em nos punir até a vida hora, a punição ao contrario dos desmandos humanos, é nosso atraso em ter resgatado a confiança e nossa permissão para novamente habitar no Jardim do Éden.

            Ainda rastejamos como as serpentes que não se postam de pé na evolução existencial, alguns irmãos já conseguem compreender os ensinamentos e desejos do Criador e colocar em pratica a vontade vindas das boas e espelhadas ações e sentimentos.  Mas ainda há muito por se resgatar, o planeta ainda é o penúltimo na esfera evolutiva, por isso não podemos vislumbrar as nossas praticas e crer que cada ato é um ponto a mais, ao contrario, cada boa ação genuína tem sua proporcionalidade, mas ainda falta mais, ainda há muita omissão, erros, fraquezas que hão de se trabalhar para fazer valer o merecido descanso. E a cada passo intencional errado, é um regresso à evolução, uma perda significativa que pesará contrário ao seguimento evolutivo.

            Estamos aqui justamente para resgatar e aprender a lidar com as tentações destruidoras do mal que vem justamente para retardar nosso merecimento. Há se afirmar muitos, que a carne é fraca, como álibi para justificar os abusos e os erros conscientemente praticados. Ao contrario do erro que se comente pela inexperiência, este sim, tem o poder de equilibrar os atos e sentimentos. Quando uma criança começa a dar os primeiros passos não conseguem se equilibrar de imediato com as próprias estruturas, havendo a necessidade da persistência até atingir o equilíbrio perfeito e seguir evoluindo dia após dia com a própria busca. Nesta linha que seguimos nossos resgates inúmeros, ao aprender, havemos de encontrar algumas dificuldades, mas nos é permitido à paciência e a misericórdia em aprender com as próprias conquista o equilíbrio desejado. Mas se o erro continuado e intencional se mantiver no intimo de cada irmão, sem haver a intima reforma, não haverá de discutir o resgate, há de acolher com humildade a compaixão divina e voltar à oportunidade de melhorar cotidianamente.

            Mesmo havendo a necessidade de renascer quantas vezes mais forem necessárias e mesmo havendo um sentimento de injustiça, desamparo ilusoriamente reivindicado, acate com resignação a confiança divina e faça de cada momento um instrumento de paz e de gratidão, não reclame e não se vitimei e ainda dê infinitas graças ao Senhor por permitir inclusive que se apague de nossa mente e de nossa memoria presente o que resgatamos do passado, pois a vergonha poderia ser irreparável e nossa dor muito maior por saber que no passado possamos ter cometido algo muito grave a um irmão. Aproveite a oportunidade presente para se fazer muito melhor no futuro, aonde quer que esteja.

            Dr. Bezerra de Menezes.
           
           

            

quinta-feira, 19 de setembro de 2013

Responsabilidades assumidas




A Palavra de Cristo permaneça em vós com toda sua riqueza, de sorte que com toda sabedoria possais instruir e exorta-vos mutuamente. Colossenses. 3,16a.

            A responsabilidade que assumimos juntos as nossas inúmeras missões milenares traz serias evidencias nas diversas encarnações que percorreremos pelo mundo de Deus, cada encarnação, uma nova experiência e uma nova qualidade que possuímos para melhorar dia após dia. Os desafios adiante de nossa consciência é a nossa capacidade de absorção do que realmente desejamos para nosso dia a dia.

            O livre arbítrio tão questionável, mas aproveitado por todos, argui-se que se Nosso Senhor nos quer salvos, mas por que tamanha e pesadas cruzes carregamos em diversas situações? Veja irmãos, como haveríamos de resgatar nossos débitos sem sentir as marcas das experiências que gritam a nossa consciência e existência e com elas modificar para melhor todas as nossas condições e fazermos espelhos a demais outros.

            Há milênios no planeta passam e passaram por nós diversos irmãos que se destacaram por suas difundidas obras soberanas de bondade e o quanto nos orgulha por eles, o exemplo maior esta em Jesus, como o adoramos e também nos revoltamos com as perseguições e a injustiça que santo Deus passou na época entre nós, quantos não desejariam neste momento enfrentar toda guarda romana e retira-lo da cruz e cuidar como se zela por um filho amado e morre-se por ele?

            No entanto naquele tempo até mesmo seus apóstolos se acovardaram em resgata-lo das garras feridas do mal, que tanto perfurou seu corpo e feriram seus ensinamentos com a ferocidade dos preconceitos, do poder emanado do mal do orgulho e da vaidade, em nome de um dito poder que muitos diziam se apossar como oriundos de Criador, quando na verdade serviam os piores do maligno.

            Mas o mestre Jesus se fez grande o tempo todo, mesmo sendo ferido fisicamente, mas crescia a cada instante na gloria celestial. Cristo foi atacado por salvar vidas, por acolher os excluídos, e perdoar os nossos pecados impregnados na alma. Tudo isto incomodavam com veemência os poderosos que se sentiam inúteis em suas ditadoras regras. No entanto o Mestre mostrou o que se extrai do intimo é a nossa real missão frente aos irmãos que comungamos a vida e é através da reforma interior exteriorizando nas ações frente aos nossos semelhantes que estaremos de fato agindo conforme a vontade divina.

            Mesmo passando milênios de sua palavra muitos ainda arrastam no entendimento e na busca da reforma interior e em colocar em pratica toda real situação no altruísmo das ações. A magnitude e a quantidade não importam na pratica do bem, basta à qualidade posta a um irmão acolhido em suas inúmeras dificuldades e resgatar juntamente com ele o brilho da vida. Não precisa abraçar falsamente o mundo, basta olhar com sinceridade e amor para com um irmão que estará cumprido uma etapa. Muitas vezes um abraço sincero diz mais por centenas de palavras vazias e que ferem mais ainda o coração de um irmão.

            Aquele que compreende a vida sabe perdoar e sabe amar, não há como exigir de nossos irmãos algo que não lhe fora apresentado, basta nosso catedrático entendimento saber acolher aqueles que tanto nos é importante na engrenagem vital, mesmo que sua cultura esteja aquém da bagagem intelectual que carregam, pode aquele não ter as qualidades materiais que tanto é importante no planeta, mas nele poderá sempre haver uma fortuna escondida atrás dos panos maltrapidos e da linguagem. Riqueza essa capaz de nos salvar com qualidade pelos caminhos tortuosos da estrada, pois é nela que aprendemos o sentido e o valor de cada etapa e principalmente a cada queda que nos puséssemos a levantar, aprender e seguir, difundindo sempre a outros mais os cuidados necessários para não cair nos abismos dos desvios oferecidos pelo encantamento da falsa sereia.

            Pois até mesmo nos desvios que muitos caminham estarão também as oportunidades para crescer na autoridade em Cristo, a maior autoridade em nós esta na humildade, na simplicidade, na caridade, no amor a vida, na compreensão, no altruísmo, nas boas e sinceras ações sentidas e praticadas em nossas responsabilidades assumidas no instante da nossa criação.

            É muito importante a nossa compreensão da palavra, mas o mais importante do que conhecer suas gramaticas sintáticas é aprender, ensinar e vive-la na pratica e verdadeiramente no amor ao próximo. Comece amando seu inimigo, pois ao ama-lo estará sinalizando em seu coração a visão de tê-lo como um bom e sincero amigo, assuma de vez a responsabilidade.

            Dr. Bezerra de Menezes.

             

quarta-feira, 18 de setembro de 2013

O Bom Cristão



Quando Cristo, vossa vida, se manifestar, então também vós vos manifestareis com Ele, revestido de glória. Colossenses. 3,4.

            Conhecer todas as passagens do código divino, bem como todos os capítulos nele expresso não condicionará ninguém a ser um bom cristão, se formar no sacerdócio também não credenciará ser representante de Deus no planeta frente a grande massa, conhecer as culturas dos povos, línguas, costumes também não credencia o enviado.

            Para se considerar um bom e exemplar Cristão, basta ter a seguinte postura: amar uns aos outros, é este o único e verdadeiro mandamento que Jesus nos enviou, a chave para toda salvação e se fazer instrumento da vontade de Deus entre os povos. A qualquer instante podemos se fazer bons Cristãos, basta compreender a essência do amor, mesmo estando perdidos na estrada e contrariando as leis divinas, sempre haverá as oportunidades de redimir os nossos erros.

            Amar uns aos outros não basta simplesmente dizer que ama se não aceitar os costumes e a natureza alheia, condenar seus semelhantes com veemência seus erros, vícios, fraquezas e evolução, mesmo os erros conscientes e não se postar com altruísmos frente a esses desafios, nenhuma falácia de amor surtirá a verdadeira condição do bom Cristão. Os preconceitos frente às escolhas alheias são grande contravenção ao sentido do amor, aqueles que militam em segmentos doutrinários têm os desafios redobrados frente aos conceitos adquiridos bem como as escolhas alheias. O caminho de Deus rumo ao reino encontra diversos caminhos, sendo que a única condução é o amor e a caridade, que deve ser o combustível de todo o caminhar e condução a que posicionamos nesta longa estrada. É este combustível que fará o bom Cristão.

            De certo que há nações que não reconhecem Jesus como o filho unigênito de Deus, e que o Messias ainda esta por vir, mas tendo a postura e seguinte ao mandamento de Cristo, amando, já estará se portando do proposito de Deus para a eternidade. E no momento certo reconhecerá em Jesus como o verdadeiro Mestre. Cristo não se envaidece por querer todas as fortunas materiais o reverenciando, ao contrario, ele quer que tenhamos as melhores posturas milionárias em nosso ser, nos sentimentos nobres a distribuir aos irmãos, o sentido da salvação.

            É visto com bastante tristeza pelo Mestre Jesus e por Deus Pai quando em sua representação veem povos e grupos excluindo irmãos que não comungam com seus conceitos e conhecimentos, se um irmão é adepto de determinada doutrina religiosa, demais outras mais o sentenciam a exclusão, quando irmãos são miseráveis da matéria, logo são escarnados de boa sorte, quando irmãos são diferentes em suas escolhas, são excluídos da sociedade hipócrita. É nosso dever compreender que cada irmão traz contigo individuais resgastes e variadas formas de comportamento, somos todos iguais, porem diferentes, havemos de respeitar a todos como desejamos o mesmo respeito. Se há diferenças é porque devemos crescer com essas, respeitando e abençoando as escolhas, evidentemente, dentro das leis divinas.

            Seria bastante cômodo para a sociedade ter ao seu lado irmãos que se encontram em situações tranquilas e não trazem qualquer embaraço para seu bem estar, mas querendo ter apenas estes ao seu lado, que experiência e que merecimento terá a seu favor? Convidar para o banquete os ricos, cultos e as melhores posturas sociais é fácil, reunir os afortunados para falar de caridade sem ter ao seu lado a quem auxiliar verdadeiramente, ao contrario, falando a favor dos pobres, mas os excluindo das ventanas na primeira oportunidade, trará o vazio existencial.

            Quando se reúnem em campanhas para arrecadar fundos para associações beneficentes também é muito cômodo, mesmo sendo um ato louvável de caridade e proporcionando vantagens a quem não se encontram em situações confortáveis e, na primeira oportunidade que tens para praticar o desprendimento material e a riqueza espiritual, tratam os excluídos com desdém, preconceitos, raiva, ódio, fecham as portas as necessidades mais urgentes destes miseráveis, então que efeito surtiu a caridade reunida, discutida e ofertada? Que bom Cristão se fez?

            Devemos ficar bastante atentos aos nossos atos, como as ações e os sentimentos, pois são as posturas que sempre deve passar por reforma para atingir a verdadeira postura do bom Cristão. Quando encontrar em seu intimo as ruinas a serem recuperadas e verdadeiramente mudando a postura e reerguer novamente ou mesmo construir novas colunas estruturais em Cristo, verá como as bênçãos e as graças farão de toda base, a solidez da gloria agindo em conformidade as dadivas de Deus e verdadeiramente levantando a única igreja Cristã, o amor.

            Dr. Bezerra de Menezes.

           


terça-feira, 17 de setembro de 2013

Anjos amanhã



Ele deseja que todos sejam salvos e cheguem ao conhecimento da verdade. 1timóteo. 2,4.

            A vida é repleta de constantes mudanças no comportamento estrutural de cada ser e de cada nação, o planeta dividido entre ocidente e oriente, mostra que cada um e cada povo tem seu diferencial material e mesmo espiritual, para que seja difundida a diferença e para que possamos ter diversas fontes de aprendizado e crescimento individual.

            Somos livres para escolher nossa caminhada, todos temos uma predestinação designada pelo criador e conjuntamente com estes parâmetros o livre arbítrio como força de assegurar nossa liberdade e a real escola para merecer cada conquista e cada benção.

            O planeta forma os anjos do futuro, esses capazes de compreender cada fraqueza, cada erro, cada resgate de seus semelhantes, sempre os irmãos se depararão com irmãos aparentemente inferiores a sua posição social, desdenhará suas vestimentas e vocábulos ditos chulos por suas culturas intelectuais, mas muitos não compreendem que as ações agressivas frente aos menos favorecidos e dependendo da aplicabilidade no tratamento aos ditos inferiores, causará mais dano ao agressor do que o agredido, mesmo causando tristezas e revoltas, quando se desdenha os mais fracos e oprimidos será exteriorizado as piores mazelas e os abomináveis preconceitos, ficando a cargo de Jesus acolher estes pequenos e salva-los, mostrando a verdade que é privilegio para os injustiçados e excluídos.

            Afastar o problema alheio por meio da força física e mesmo vocabular é muito fácil, empurrar para debaixo do tapete os piores sentimentos é esconder as fraquezas que cada um carrega, os preconceitos emanados de autores que se dizem revelar uma verdade grosseira e sem qualquer sentimento aos pares, retroagem os praticantes a condições primitivas, onde os instintos eram expressos como as feras que buscam o melhor alimento por meio das forças covardes.

            A evolução traz as melhores referencias quanto à vontade divina de enxergar em seu semelhante o auxilio que as habilidades pessoais lhe são conferidas, se tens conhecimento então ensine, se tens bens materiais, alimente a caridade, se tens conhecimentos dos ensinamentos de Cristo, então ame. Estamos todos na escola em vias angelicais de formatura e é através das lições mais desafiadoras que estão as nossas missões mais importantes e a prova em poder evoluir o próprio espirito a condição de habilitar-se no exercito de Deus em seu Reino, onde a missão será de resgatar as piores vitimas das grandes guerras que imperam em muitos irmãos, que são: o ódio, o rancor, a magoa, a inveja, o egoísmo, as zombarias, as cóleras, a agressividade, a possessão, a impaciência, a intolerância, da ingratidão, da traição, estas são as armas do mal que trazem os vícios, as tristezas, as mortes, o abandono, as injustiças, que são combatida pelos anjos de Deus através do amor e da caridade, onde que a principio aos olhos e sentimentos mais fracos podem surtir como fraco combatente, mas já experimentou usa-las?

            É essa a realidade irmãos, todos são matriculados na escola angelical e habilitados no exercito de Deus, como também livres para seguir outros caminhos e tendo como consequências as colheitas e sortes, onde sempre poderemos encontrar ouro na miséria, como encontrar a morte na riqueza. Mas nem por isso nosso Pai desistira de nós e sempre permitira novas e quantas novas oportunidades necessitarem para chegarmos à formatura dos anjos.

            Dr. Bezerra de Menezes.
           

             

           

            

segunda-feira, 16 de setembro de 2013

Brilhantes da alma.



Nele tendes tudo plenamente. Ele é a cabeça de todo principado e autoridade. Colossenses. 2,10.

            O que somos e o que temos vem do principio ativo das nossas ações e sentimentos pregresso, ao que desenvolvemos em sociedade no presente de nossas praticas e atividades que exercemos frente aos conceitos que adquirimos oriundos dos ensinamentos mestre de Deus, que tanto nos inspira a confiança do progresso da salvação e a certeza de nossas ações guiadas por Jesus.

            Compreender a vontade de Deus sobre nossas ações não vem unicamente do conhecimento das palavras e dos diversos livros que abrigam as cidades e temos a nossa disposição, a verdade são conteúdos necessários para que atinjamos o ápice da vontade, no código divino encontraremos os índices necessários para alimentar a alma com magnânimas opções em seu sumario, basta indicar a vontade e praticar o que é ensinado.

            Ao nosso semelhante havemos de espelhar suas beneficências e somar aos nossos sentimentos, excluindo os excessos nocivos e peneirar a demasia, retirando a lama e colhendo os brilhantes desejados por todos, lapidando com zelo e retirando todos os excessos, aproveitando o melhor a cada valor fragmentado em nas ações e sentimentos a distribuir as fortunas da alma.

            Há diamantes que devem ser adquiridos com o garimpo de nosso trabalho interior, deslocando-se ao lago sagrado do próprio intimo e nas buscas da preciosidade interior, não há quem se furte desta riqueza, há sim aqueles que não exploram o próprio ser e não encontram essas belezas, deixando o tempo corroer o brilho diário e a oportunidade de exibir o maior dos brilhantes e poder viver a verdadeira riqueza da alma.

            A praticidade da escrita para com a execução das ações atravessa uma longa passagem, do inicio ao fim do transpor há os meios das praticas, unidas aos sentimentos e ações. Os conhecimentos adquiridos com as escritas são temperos fundamentais para a execução de todo alimento a se ofertar, mas a essência fundamental esta na qualidade que distribuímos. Não se deve apenas prender-se ao que se lê o não praticar o que se aprende, pois sufoca o conhecimento e empobrece o espírito e as ações que por dever devem ser produzidas, perde-se pela inercia e pela omissão, afinal, o conhecimento é fonte eterna que passa por diversas etapas de nosso intimo, assim como a criação de Deus disposta a todos sem distinção.

            Para Deus o melhor é se fazer analfabeto das palavras, mas ricos nas ações, pois a experiência praticada vai muito além do que se lê e do que se escreve, o que se indica nas palavras como do código divino são todas as opções e o menu que temos para explorar o maior do universo, a caridade e o amor sadios, pois a necessidade de cada um vem das ações eficientemente praticadas e os exemplos espelhados para que o renovar da vida seja praticada.

            Não guarde para si o que se aprende, distribua, mas sem se prender as vaidades e o orgulho, distribua os conhecimentos e se permita também a aprender. E também não queira fazer da sua saberia lei para seu semelhante, mas sim o pão multiplicado e que se compartilha saciando a fome de aprendiz. Ler e aprender com as palavras são fundamentais e essenciais para compreender a catedral do bem, mas apenas saber de nada adiantará se as ações não corresponderem pelo curriculum aprendido, leia com atenção e aprenda com dedicação o que está escrito, mas rompa com fé as paginas dos best-sellers e coloque em prática, a começar pela atenção aos seus semelhantes, se alguém lhe aproximar querendo capinar o mundo, entregue a enxada e deixe-o desbravar, afinal, as ações é que resultará de nossa real limpeza.


            Dr. Bezerra de Menezes.