quinta-feira, 1 de agosto de 2013

A Multiplicação da Fé.



O oficial respondeu: “Senhor, eu não sou digno de que entres sob meu teto, mas dize uma só palavra e meu criado ficará bom”. Mateus. 8,8.

            O exemplo deste oficial que desejava a cura de seu servo, onde ao ver passar Jesus diante da multidão, aproximou-se dele e pediu que o Mestre fizesse o milagre em seu lar. O Mestre então admirou a postura deste homem e exemplificou o poder da fé, mesmo este oficial reconhecendo que o Senhor não era digno de ir até sua morada, mas o fundamental ele tinha, a fé. Este exemplo deve ser seguido por todos os irmãos, quando em muitos momentos nossa casa se encontra desarrumada, mas quando o pilar fundamental da fé se mantem inabalável, a organização se torna mais fácil e nossa morada digna Dele.

            Desejamos tanto que o Senhor faça morada em nosso ser e em nosso coração, mas quantos não arrumam seu intimo e não preparam para recebe- ló, não a arrumação física, mas dos sentimentos, das ações e do comportamento para o designo de Deus em nosso ser para como os nossos irmãos.

 A desestrutura para recebê-lo é movido pelos sentimentos que se acumulam ao longo do tempo, nos acomodamos na preguiça e na comodidade onde as nossas sujeiras se impregnam e nos mostram uma falsa imagem de tranquilidade e quando avistamos o Mestre no momento em somos praticamente submerso nos detritos que vão se acumulando com tempo, a sujeira da inveja, do egoísmo, do rancor, do ódio, da intolerância, das zombarias, das fraquezas onde nos sentimos fortes na humildade de nossos semelhantes e muitas vezes zombamos e até mesmo ignoramos sua atenção e presença. Irmãos, este acumulo de sujeira somente é possível movido pela própria vontade, evidente que compartilhado com outros que também acumulam as impurezas, formam essa magnitude maligna a impregnar o intimo as profundezas mundanas do pecado e quando essas situações atingem o limite e buscamos para que o Senhor se abrigue em nós, nos envergonharemos em recebê-lo por todo esse acumulo, restando à fé para fazer nossa limpeza.

Irmãos, Cristo veio para salvar os pecadores, a limpar nossas impurezas, a dar vida aos mortos, veio para nos salvar e resgatar dos perigos, das armadilhas e das prisões que somos colocados e mesmo caminhamos para esta condição, mas devemos fazer como aquele oficial, mesmo se envergonhando da sua morada, a fé deve se manter intacta  e mover para que você mesmo faça esta limpeza e cure não apenas a ti, mas todos aqueles que são atingidos diretamente com as sujeiras do seu próprio intimo. Há de compreendermos que quando acumulado esta realidade perversa em nosso intimo, outros irmãos ao nosso redor são atingidos, se perdendo como também adoecendo com este acumulo nociva a grande morada.

Por isto irmãos, façamos em nós condições necessárias e essenciais para que Jesus se faça morada em nosso ser e seja fundamental na nossa reforma e que também tenhamos dignidade de receber também nossos irmãos para que abriguem em nós nesta infinita fraternidade e que se sintam confortáveis em viver conosco nesta felicidade que é o compartilhamento das bençãos divinas.

É real que muitos irmãos, sejam encarnados e desencarnados, não faz por merecer em primeiro momento a dignidade em receber Jesus em sua intima morada, mas com fé, com disciplina e confiança na imortalidade e no habitar no Reino de Deus desfrutando do seu infinito amor, podemos sim, trabalhar e agir para sejamos dignos de recebê-lo. Temos em nós a liberdade de ter Cristo que veio para nos salvar, sejamos humildes em reconhecer os erros e fraquezas, como sejamos grandes em reforma-lo e se fazer melhor, construindo a todo instante o império divino a ser multiplicado na fé.

Dr. Bezerra de Menezes.


            

Nenhum comentário:

Postar um comentário