segunda-feira, 22 de julho de 2013

A REGÊNCIA DO SER



Todos vos odiarão por causa de meu nome. Mas quem perseverar até o fim será salvo. Mateus. 10,22.

            Resistir todas as formas de tentação oriundo do pecado arrebatador dos cordeiros de Deus é cumprir com nosso dever e nossa real forma de alcançar a salvação, diversas serão as formas de cair nas armadilhas do pecado, eis quem afirma que as ações ditas normais no cotidiano terreno, os padrões sociais que levam a algum conforto ou bem estar estará brindando a vontade do criador, havemos de reconsiderar muitos aprendizados e poucos conhecimentos.

            O alerta soado por Jesus em verdade apossa nosso sentido no encantamento momentâneo da matéria, viver o conforto material não exclui do nosso compromisso para com os sentidos celestiais em nossas vidas. O que a matéria conforta a matéria, não credencia o aconchego da alma, de nada será útil se o coração não for aberto ao acolhimento de seu semelhante. Nenhuma doutrina será a salvação do ser se os sentidos verdadeiros do comportamento, sentimentos e pensamentos, bem com as ações praticadas traduzem a verdadeira oração, a do bem comum.
           
            No tempo de Jesus houve muitos que o perseguiam e a todos aqueles que o seguiam, e mesmo após seu arrebatamento carnal, onde fora machucado, torturado e injustamente condenado, a perseguição aos ideais de Cristo, os que buscavam para si a verdadeira colheita, aqueles que não eram limitados pelos padrões sociais que amordaçavam os povos e conduzidos por uma violência sem precedente, tanto físico como moral, perseguiam e condenavam a morte quem persistia neste sentido. E estes que perseveravam na verdade e mesmo assim eram sentenciados a libertação do corpo físico e libertavam sua alma da obsessão da carne e eram libertos dos preconceitos e fraquezas dos homens, foram salvos de todos os pecados.

            Ao longo existencial da histórica muitos já reconheciam Jesus como verdadeiro Messias e o verdadeiro filho de Deus, vindo pelo amor a salvar os pecadores das armadilhas, os fracos de espíritos, os excluídos pela arrogância e da prepotência de muitos, pelo escarno geral onde muitos eram expostos por suas escolhas, e os que partiram em nome do Mestre por estas circunstancias e encontram nele a luz, estão salvos e aqueles que permanecem no alto de suas fraquezas, mostrando através de uma força física e mesmo intelectuais indícios e praticas de injustiças, aqueles que escondem por suas posses o vazio existencial e expõe a arrogância, a prepotência e que perseguem de todas as formas aqueles que buscam o caminho das lições do Mestre, que Deus nosso Pai tenha misericórdia de suas fraquezas e que possam pelo amor e pela compaixão se verem novamente a oportunidade de corrigir suas falhas e crescer juntos com todos na escola da vida, onde terá em seu ser todas as marcas da experiências, bem como Deus amando infinitamente.

            Seja qual caminho doutrinário escolhido para seguir na salvação, siga com fé e viva realmente o evangelho ensinado e as lições dispostas a todos, jamais escarneçam das escolhas de seu irmão na religiosidade humana planetária, pois a lição é para todos, até mesmo para quem não o reconheçam como o Mestre. Somos todos aprendizes da vida e filhos de uma única verdade, do Amor de Deus, a existência é o ato único do ser e os sentidos a verdadeira sinfonia que nos rege o maestro da vida. Jamais tenha a resistência de reconhecer Jesus como salvador, mesmo que zombem e mesmo o excluem da companhia, mesmo que lhe odeiem por seguir o Cristo, mas na sua consciência e fazendo de suas ações a verdadeira face de Deus, esta é a salvação, esta é a verdade, nenhum irmão terá poder sobre outro em nome de Jesus, terá sim habilitação para salva-lo na sua plenitude. Seremos todos salvos se a resistência e a persistência fazer parte de seu coração e sentido e vencendo toda forma maligna de desviar nosso caminho e sentido da orquestra angelical que toca em nossos corações as canções de libertação.

Dr. Bezerra de Menezes pelo médium Marcelo Passos.

           


            

Um comentário: