quarta-feira, 31 de julho de 2013

Vastos campos.





O que foi semeado em terra boa é quem ouve a palavra e a entende e dá frutos: uns cem, outros sessenta, outros trinta. Mateus. 12,23.

            A família é o universo celestial no caminho dos seres, onde comunga a verdadeira vontade de nosso Pai no desejo a salvação, cada família representa um legado de oportunidades que havemos de compreender para elevar nossa condição, nossas praticas e sentimentos.

            Diferentes é a evolução de cada membro, há quem esta no estagio maior na evolução e outros caminhando a sua perfeição, a união dos seres existe para justamente dentro deste laço sagrado fazer oração em nossos sentimentos, pensamentos e ações. É dentro do seio do lar que nasce a verdadeira tarefa para nossa caminhada, começa dentro do lar a primeira beneficência, onde daremos suporte aos nossos, acompanhando a evolução, aprendendo e ensinando para que este grande ciclo se propague num reflexo aos demais irmãos que comungam nossa evolução.

            No momento em que semearmos uma boa semente e cuidarmos para fertiliza-la em terras sadias, ou seja, no ensinamento de Cristo, não haverá a preocupação do retorno negativo dos frutos, quando a atenção, o cuidado, o carinho e principalmente o amor fizer parte deste grande adubo. Mas como toda árvore, são necessários cuidados constantes, as ervas daninha do mal ronda o campo fértil de nossos jardins, a atenção, o cuidado e o zelar pela conservação são fundamentais para que as pragas do pecado não impregnem subitamente nosso lindo pomar.

            Compreendam irmãos que cada fruto dará sua contribuição conforme sua possibilidade real, a semeadura será fundamental para a qualidade que este ser poderá ofertar para aqueles que necessitam deste fruto, não podemos exigir mais do que este tronco poderá ofertar, pois assim a qualidade será comprometida, mas as funções em que ela pode exercer com qualidade deverão ser respeitadas e abençoadas, uns poderão ofertar mais outros menos, mas o seu dever independente da dimensão do atendimento prestado é o fundamental.

            Nossa semente não deve apenas se restringir aos pomares de nosso meio existencial, devemos espalha-lo por todos os cantos e principalmente em terras onde oferece pouca fertilidade ou nada, pois a nossa raiz espalhada pela vontade e pela ação, pode sim fazer entender seu proposito, evidente que os frutos poderão não ser na quantidade desejada, mas certamente fará vista e relevante atenção na sua oferta e jamais devendo ser desprezado qualquer pedaço de oportunidade nos corações fechados e pavimentados pelo orgulho, pela vaidade e pelas frias camadas de pecados que apossam deste ser, onde podemos entender que mesmo havendo um grande e extenso facho de concreto no coração dos irmãos, mas ao persistir e buscar a qualidade de vida será sempre encontrado estes sinais de terras, onde podemos sem duvidas instalar nossa semente e fazer nossa real missão, fazendo de nossos frutos alimentos de esperança, vitalidade e salvação para muitos, nossa terra deve ser sempre fértil e conservada na plenitude de Cristo a nos fazer autoridade a salvar o próximo, com respeito, abnegação, desprendimento, caridade e amor, com a misericórdia e a compaixão, acompanhada do perdão reinando sempre na sustentabilidade e na segurança daqueles vazios da oferta e da caminhada solitária.

            A contribuição que cada irmão presta na evolução existencial a serviço de seu próximo é determinada pelo merecimento e pela missão determinada, uns necessitando sempre uns dos outros para que a hegemonia da vida continue a girar em torno do bem comum e buscando sempre o auxilio ao próximo dentro do proposito da salvação coletiva. O caminho é apenas um para o entendimento da boa safra, Jesus Cristo, mas o seu livre arbítrio sempre será lei.

            Dr. Bezerra de Menezes.

            

terça-feira, 30 de julho de 2013

Clamamos a sua Misericórdia



Pai, santificado seja o teu nome, venha o teu Reino. Jesus.

            Clamado seja o nome de nosso Pai a nos proteger neste planeta de provas e expiações. Os irmãos do evangelho compreendem a caminhada neste mundo a evoluir na própria estrutura existencial e evolutiva no amor, na fraternidade e no aprendizado as obras de Nosso Senhor Jesus Cristo no seu infinito perdão.

            Clamam os desesperados do espirito um pouco de esperança na perdição do mal a nos impedir este crescimento. As ações do mal para com nossa caminhada são sem duvida os desafios a vencer nossa resistência e acomodação frente ao encantamento a que ele trabalha a se fortalecer frente as nossas fraquezas, muitas vezes voluntarias a que nos colocamos.

            Clamam os entregues as trevas um facho de luz a se nortear na esperança, perdidos na vastidão da escuridão e entregues ao pecado voluntario e a preguiça em busca da luz.

            Clamamos em nome do Senhor a salvação e a santificação das nossas ações a caminho do seu Reino, todos nós buscamos o caminho desta estrada a viver na feliz e eterna felicidade, brindando com nossos amados entes e irmãos a comunhão divina a rogar por todos os fracos e pecadores a salvação, para que também alcance a verdadeira salvação.

            O clamor é soado no coração de Deus, que busca entre nós a unidade no respeito e principalmente no amor, a pratica não nos será dada como uma magica. Existe em cada um este caminho existencial, esta realidade vinda ao fundo do ser e devendo ser exteriorizada na mesma condição e até superior a que desejamos ao nosso intimo para com nossos semelhantes. A vida existencial jamais é vivida egoisticamente, mesmo que os sentimentos de cada irmão creem em sua única realidade que és soberano frente aos demais, mesmo tendo as riquezas materiais a protegê-lo e a garantir uma falsa sensação de bem estar e satisfação, bem como a superioridade hierárquica, no mundo desde pobre irmão haverá de contar com a misericórdia no juízo final.

            Na oração ensinada pelo mestre, nos ensina que a coletividade em nossas ações deve ser comungada entre todos, não há como alcançar o reino sozinho. A evolução entre o bem e o mal é nossa credencial a realidade reinante de Deus em nossa vontade. Por isto a nossa resistência frente ao mal é nossa real força a aprender vencer as nossas próprias fraquezas, onde muitas vezes somos nossos próprios vilões e condutores para a vastidão desta escuridão.

            A dependência para nossa caminhada existe entre todos nós, não há quem seja na sua arrogância, soberano e onipotente como nosso Pai, que também depende de nós para o ápice do bem ao fortalecimento de sua vontade e nos credenciar a fazer sua vez perante nossos semelhantes, pois Ele sempre nos faz instrumentos da sua vontade a resgatar os nossos semelhantes pecadores e perdidos do ser.

            Por isso, encarnados e desencarnados clamamos a santificação de seu nome e que venha em cada um em nosso mais sagrado ser, o teu Reino de amor, tolerância, caridade e respeito, combustíveis para nossa salvação.


            Dr. Bezerra de Menezes.

segunda-feira, 29 de julho de 2013

Nada é sem o justo merecimento




Convém lembrar: quem pouco semeia, pouco também colhe. Quem semeia com abundancia também colhe com abundancia. Coríntios 9,6.

            Os discípulos do evangelho compreendem com bastante clareza o proposito do ensinamento do mestre para com as nossas ações, afinal, em nosso existir há sem duvidas nosso dever de propagar não apenas o que esta escrita em falácias soadas ao vento. Muitos compreendem nas passagens como forma de alimentar com ansiedade em que os famintos da esperança se arrastam pela vida.

            O caminho para a verdadeira salvação esta esplanada com atenção em fundamental ênfase em nossas fraquezas, na passagem e ensinamento de Jesus mostram o quanto nossa caminhada em muitos aspectos engatinha ao verdadeiro reino de Deus. Ao apontar aos nossos semelhantes suas falhas em sua vertente, podemos fazer o melhor para melhorar nossa condição mostrando a este suas falhas. Como também havemos de permitir para nós a acolhida aos nossos semelhantes de nos mostrar os nossos erros. A forma ao caminho da salvação é sem dúvida conturbada. A persistência faz parte deste combustível para poder alcançar a meta e o sonho em habitar com o pai no paraíso em seu Reino.

            Diversos são os caminhos percorridos pela alma neste universo evolutivo, cada viver deve ser correspondido com a gratidão ao pai e ação positiva ao próximo, somos habitantes deste grande ciclo vital que nos transforma na fraternidade divina a serviço da salvação.

            Como salvar seu próximo? Infinitas são as ações, cada irmão há de suplicar em suas fraquezas sua real impotência à manutenção da sua estabilidade e segurança no caminho da sua evolução. Todas as criaturas são munidas do sentimento da doação voluntaria existente no universo de seu sentimento e razão, à proporção que será prestado ao seu semelhante de certo será retribuído na sua atenção e em seu merecimento quanto o que sua voluntariedade se propõe. A dimensão que se presta a um irmão, não esta relacionado à quantidade de auxilio que se presta, mas qualidade real que é prestado.

            Muitos irmãos se preocupam com a quantidade de ações e irmãos que são auxiliados por sua vontade, de muito se esquecem da voz das pequenas criaturas que clamam num deserto sem direção, onde muitos ostentam um oásis imaginário sendo que a verdade é a perdição do próprio vazio em que muitos caminham. A qualidade do serviço é o essencial para com o próximo, a quantidade é apenas um detalhe na verdadeira caridade plena. Pode-se fazer muito pela minoridade auxiliada e absolutamente nada por uma multidão.

            O interesse em auxiliar jamais deverá ser almejado como forma de credenciar junto a Deus os interesses egoísticos do próprio deleite, pois o que lhe é de direito de direito lhe será entregue, mas quando seu dever estiver no aguço dos desejos múltiplos de seu interesse, a quem lhe foi prestado o auxilio receberá o que por direito o lhe compete e a quem doa sem a voluntariedade e munida por diversos interesses, a este lhe competirá à frustração do insucesso do direito que não lhe é propriedade.

O que é merecimento seu por direito chegará a você, sem precisar ultrapassar a vontade e o tempo certo dos acontecimentos, não há por necessidade a ansiedade fazer vez, pois este comportamento poderá inferir na qualidade do bônus por direito a resgatar e desfrutar, podendo todo merecimento se perder pelo injusto pleito de direito. E a quem se apossa de um direito injusto, a este lhe competirá à justiça divina, sendo a misericórdia um direito ao arrependimento. E a quem é injustamente compelido do seu direito, a este lhe será recompensado pelo criador, desde que a proporção do clamor à justiça não ultrapasse os limites das leis divinas e a quem ousa a interferir no direito alheio, que a misericórdia lhe faça justiça.

Por isto irmãos, façamos por verdade voluntaria as nossas praticas e sentimentos, este ultimo, o desafio ao intimo, mas que ao retirar esses sentimentos ruins e substitui-lo pela sensibilidade altruísta, as ações responderão pela qualidade certa das nossas ações. E jamais cobre de nosso Pai um direito que não se faz justiça para conquista-lo.

Dr. Bezerra de Menezes.

            

sexta-feira, 26 de julho de 2013

Salvação dos pecadores.




Porque não vim para chamar os justos, mas os pecadores. Mateus. 9,13b

            Amar a quem te ama é muito cômodo e fácil, alimentar um faminto em um momento em que ele aparece é fácil, pois este não lhe causará os desafios diários, ter ao seu lado pessoas que lhe causem bem estar e situações agradáveis é bastante eloquente e também muito fácil, pedir desculpas para se livrar da culpa é oportuno e também fácil, falar que é cristão para ganhar simpatia e passar a imagem de confiança ao próximo é muito fácil, perdoar ao próximo por se sentir caridoso também é fácil.

            Queridos, para se sentir bem e se sentir tranquilo é muito simples praticar certas condutas sociais para se livrar da verdadeira caridade e do verdadeiro proposito a que nos é dever, querer ignorar situações de seu semelhante e parecer indiferente à sorte a que ele se encontra não é comportamento do verdadeiro discípulo de Jesus. É muito fácil oferecer ajuda a quem não lhe causa o transtorno cotidiano, alimentar um faminto que esta ao releu jogado nas agressivas cidades é cômodo, pois a partir do instante em que você sair da sua companhia nada mais estes irmãos lhe serão problemas, compreender a sua agressividade pelo ensinamento apresentado também é fácil. A nossa beneficência não parte da constância do assistencialismo, onde se usa de artifícios para afastar a verdadeira salvação de seu próximo e se livrar do dito problemas para o seu dito sossego, há resgastes muito mais profundo que o alivio material, o da esperança e o da luz nas trevas frias e amedrontadoras.

            Esta foi e é a missão de Jesus para conosco, não há porque salvar os salvos, pois assim nenhum efeito teria ao resgate das ovelhas desagarradas, iluminarem onde há luz nada de especial aconteceria ofertar vida a quem tem vida a mesma propositura, sua missão é salvar os irmãos perdidos no vasto campo de maligno, que nos perde pelo pecado de todos os sentidos, na aniquilação da esperança, do amor e da compreensão. O planeta dos irmãos caminha para a regeneração, como para a evolução dos seres que são movidos pelo bem e pelo mal dentro da lei do livre arbítrio, onde poderemos escolher a porta a nos abrigar, com isto, muito viverão as prisões do próprio ser, onde muitos se entregam neste encantamento.

            Para que tenhamos um direcionamento, Deus nosso Pai nos enviou e sempre nos envia discípulos para nos salvar, como fez com diversos profetas e até chegar a Jesus que foi fruto incondicional do seu amor para conosco, onde nos deu as chaves da salvação e a salvar os perdidos. Naquele tempo, ele curou e no presente continuar a curar e a nos salvar de todos os males, Ele caminha junto conosco para podermos desfrutar da sua presença e do amor de Deus, para que também a nossa condição se transforme em resgate a demais outros, somos discípulos e temos a permissão concedida para salvar os desesperados da existência, desde que para isto tenhamos nossa beneficência atuando de forma correta aos ensinamentos, compartilhado com nosso comportamento, a começar pelo lar que lhe foi confiado, pois é dentro do lar que começa a verdadeira caridade, compreendo as fraquezas peculiares, não haverá  nenhum efeito pratico em salvar um desconhecido fora do seu convívio e não resgatar os que lhe são próximo e dependem de ti e que causam a verdadeira pratica da oração diária.

            A salvação esta no chamamento dos pecadores e dos desesperados da existência, Jesus veio para estes, para que receba a verdadeira beneficência, e a salvação de seus pecados pela própria entidade da fé.


            Dr. Bezerra de Menezes.

quinta-feira, 25 de julho de 2013

A Embarcação.



Os homens se admiraram dizendo: Quem é este a quem até os ventos e o mar obedece. Mateus. 8,27.

            Numa ocasião da historia Jesus pediu que Pedro e alguns apóstolos pusessem o barco na agua e durante o trajeto a tempestade e o vento os atingiram e o Mestre sereno repousava seu físico e elevava a sua luz, quem estava com ele ficara tensos e amedrontados com a agitação da natureza, foi então que Pedro aproximou-se dele e comentou a preocupação, então Jesus ordenou que o vento e mar se tranquilizassem e assim aconteceu. Admirados eles indagaram entre si o poder dele e o louvaram.

            A vida meus amados, é um grande oceano nesta vastidão existencial do amor divino, cada um de nós somos grãos de areia que junto com outros mais formam a base fundamental para a sustentação, a manutenção e a grandeza dos mares.

            Jesus provou que sua força é capaz de acalmar as mais ásperas tormentas de nosso existir, afinal, quem é este homem capaz de acalmar as nossas agitações? Nada mais é que Deus nos brindando o caminho da salvação. Nossa existência é como uma pequena embarcação é nela que nos sustentamos a nossa segurança e a nossa base para poder navegar por aguas calmas.

            Como as aguas apresentam constantes oscilações para a navegação das embarcações, nossa existência também há estas alternâncias no viver, haverá tempo que a agitação dos mares sobre nossa base ameaçara a nossa própria qualidade e estabilidade na segurança no remar rumo ao objetivo final.

            A existência é frágil meus amigos e a importância de clamar a serenidade ao Senhor é fato que devemos em todos os momentos nos colocar prontos a receber a ordem para nos acalmar, em muitos momentos a agitação nos desafiara e nos colocara frente com a perdição e as possibilidades de se perder e ser tomado por toda extensão das aguas turvas a nos afundar nas profundezas dos males e do pecado, com isto perder todas as condições da serenidade em converter a agitação em calmaria.

            De posse ao remo da embarcação, vamos navegando com segurança até a firme condição da segurança, os mares serão agitados, mas nossa condição real será favorável ao navegar rumo a terras firmes e a certeza da segurança  e protegidos dos nossos medos.  

            Por isto amado quando a embarcação se agitar, os ventos e a tempestade tomarem sua frente com a força a querer lhe afundar nesta profundeza, tenha sempre a segurança de que Cristo estará contigo a poder ordenar que esta realidade vire calmaria em sua embarcação. Não creia que esteja sozinho, ele estará sempre contigo, basta simplesmente dizer: Senhor ajude-me a superar esta tempestade que me amedronta e de tira a tranquilidade. De pronto vós serás atendido. E para que isto aconteça, acredite na presença dele ao seu lado, pois estando com ele, nenhuma tempestade, nenhuma tormenta será capaz de afundar sua embarcação e não será preciso medo, pois você será novamente colocado na calmaria dos mares e seguirá sempre rumo ao destino desejado.

            Não se admire com a força do Senhor, pois sim, ele é capaz de serenar a nossa agitação, é capaz de ressuscitar na nossa morte, é capaz de acender a nossa escuridão, é o nosso real Condutor para terras firmes e seguras, mesmo que a tormenta se faça presente e real, siga remando e deixando para trás todas as forças capazes de desestabilizar sua embarcação, ele estará sempre contigo e acalmando suas tempestades, pois sua ordem é nossa salvação.

Dr. Bezerra de Menezes.


quarta-feira, 24 de julho de 2013

UMA ÚNICA FAMÍLIA




Assim já não sois estrangeiros e hospedes, mas concidadãos dos santos e membros da família de Deus. Efésios 2,19.

            Ao habitarmos nosso lar de pronto nos confortamos e somos postos a vontade em nossas ações e praticas, e ao ter a liberdade de agir de pronto buscamos sempre as melhores formas para um bem estar. Ao sairmos de nossa rotina e de nosso mundo costumeiro e visitamos outros ambientes, nossos sentidos de comportamento sofrem com as alterações societárias, nos consideramos um estranho e um intruso, mesmo que a hospitalidade nos conforte.

            Outras terras e outros lares nos convidam a conhecê-los, e ao nosso interesse buscamos a retribuição da gentileza, onde então nosso real costume sofre a alteração do padrão adquirido e vivido no ser. O que será preciso alterar nossas praticas a não confundir o mundo em que aquela realidade serve para não abalroar no conflito das realidades.

            O nosso comportamento deve seguir a este padrão, não somos e jamais poderemos sentir-se como intruso e visita como irmãos em Cristo, ao contrario, devemos formar uma grande família, onde temos que sentir a vontade em nossas ações e não alterar nosso juízo como diferente fosse, há conosco uma realidade diferenciada, mas visualize seu semelhante, e veja que as mesmas formas de existência são páreos a ti, nenhuma alteração há, as necessidades são as mesmas, o sentido é o mesmo, salvar-se, os conhecimentos e os caminhos podem ser diferenciados, assim como o comportamento, este sim responsáveis pelas nossas reais condições em fazermos parte desta grande e única família de Deus.

            No ambiente a que confortamos tudo soa como melodias a encartar os nossos sentidos e inspirar sempre o melhor, o mesmo desejo o querer o bem para o sangue de seu sangue, a carne da sua carne, por ser sua família próxima e pelos designo do alto, ao seu redor também há semelhantes que é família, a única e verdadeira família do amor divino, somos todos irmãos.

            Não há como se sentir intruso em nosso lar, desde que tornamos este ambiente um lugar propicio a esta condição. Nosso ser deve ser o lar e o conforto de outros irmãos, afinal há em cada filho de Deus uma morada, somos diversas moradas que havemos de acolher todos aqueles que clamam por um repouso, uma segurança e uma proteção a todas as fraquezas e medos, no cansaço servir como travesseiros ao conforto do sonar e energização das forças, devemos abrir as portas para fazer morada aos nossos semelhantes e independentes da aproximação física, há de propagar sempre a vida neste lindo lar e se fazer morada como almejamos que Cristo seja em nós.

            Sejamos membros da família do Senhor e como santos em nosso comportamento e no seguimento as leis divinas e ser portador da vontade do criador, a santificação de nosso ser esta não apenas nos milagres visíveis e nas curas físicas, esta em resgatar a todo o momento aos dilacerados da esperança, ser salvador dos perdidos, salvando e servindo sempre de abrigo do amor e de caridade a vida que lhe cobra o dever de agir. Faça morada ao desalento, calor ao frio, luz as trevas, resignação ao malfeitor, dignidade aos humilhados, perdão aos pecadores, força aos fracos, sorriso ao choro, alegria a tristeza, esperança na morte.

            Faça parte da família do bem, não se sinta um hospede que simplesmente habita por um tempo aquele lar, ou mesmo um estrangeiro em terras distantes, onde não terá liberdade para agir pelo sopro da liberdade, pois estas condições são passageiras e após a estada e a realização a que se propôs a visitar esta família que também é sua, simplesmente voltar ao isolamento e a própria exclusão deste direito que é seu, para habitar na família perdida do pecado. A família esta pronta a recebê-lo de braços abertos, o anfitrião lhe quer ao seu lado lhe protegendo e ofertando toda sua graça e seu amor, o Pai quer esta ao seu lado, e para isto é preciso também o querer, ou até quando seu isolamento e sua instabilidade lhe proporcionará pouco instante de bem estar e a realidade fria de agitação e intrusão a terras que não lhe quer o bem e a família que não é a sua? 

            Por isto cada um deve se fazer morada ao conforto destes irmãos agitados pelo vendaval da discórdia e das trevas, para que no momento de acolhida se fazer como o filho prodigo, que saiu pelo mundo e ao desejo de voltar a morada do Pai, este o recebeu de braços abertos e acendeu a vida sobre a morte que acompanhara este filho para viver uma realidade aventureira e sem qualquer estrutura na manutenção contra qualquer mal. Pois ao sair da família de Deus a sorte lhe será precisa e que a misericórdia lhe acompanhe para que não se junte aos porcos para que as migalhas lhe sejam oferecidas como alimento. Reflitam irmãos, o planeta e a vida espiritual não oferecem em sua totalidade as rosas belas e perfumadas, há também os espinhos afiados a machucar toda esperança, mas com a fé alcançaremos em toda plenitude toda sua beleza.

            Dr. Bezerra de Menezes.
  

terça-feira, 23 de julho de 2013

AINDA SOMOS DESCRENTES


                     
Maria Madalena foi anunciar aos discípulos que tinha visto o Senhor. E contou o que Jesus tinha dito. João 20,18.

            Após a dolorosa via sacra de todo sofrimento que passara e todo tipo de agressão na carne, no terceiro dia conforme havia dito Ele ressuscitou, não mais habitava o mundo em que muitos de nós nos acostumamos por comodismo e desconfiança a palavra do Mestre, o mundo dos mortos.

            Maria Madalena é exemplo que com fé podemos ter nossos pecados perdoados, basta confessa-lo a Deus e pela fé ser liberto de todas as tentações do pecado. Mas o arrependimento genuíno e verdadeiro e não o praticado pela civilização que desdém o verdadeiro sentido do perdão e de perdoar os seus devedores, sim, conforme exemplifica o Cristo em suas palavras, o perdão é sentido de elevação e grandeza da alma, é nele que encontramos a verdadeira morada de Jesus em nosso Ser, o perdão sem dimensão é simplesmente o aplicado.

            Conforme estava escrito, Jesus ressuscitou e vive entre nós através de suas palavras que ecoam sobre nossa existência, mas naquele tempo ainda seus discípulos eram incrédulos com muitas revelações e verdades que o Mestre anunciara, entre suas incredulidades estava na revelação que o filho do altíssimo levantaria entre os mortos, e Maria Madalena cheia da luminosidade do Mestre o reconheceu e fora anunciar aos discípulos, que de imediato não acreditaram naquela mulher, desconfiados, Pedro foi até o sepulcro para comprovar e os demais ficaram escondidos onde permaneciam, foi então que mais uma vez Pedro e os outros tiveram a comprovação do que o Mestre havia dito. Tomé, o cético, somente teve a certeza quando na presença de Jesus pode ver suas chagas, mas também acreditou e deu graças e acreditou que Ele era o Messias.

            Evidente que esta passagem é de conhecimento de muitos irmãos leitores e quantos não se revoltam em saber que os apóstolos desconfiaram de sua palavra e afirmamos que eles foram fracos e desconfiavam de Jesus e foi preciso Ele fazer-se presente para novamente comprovar a que veio.

As fraquezas dos doze não afastam de nós a nossa desconfiança e também incredulidade em crer na palavra e lições do Messias, quanto tempo se passou e o pecado ainda permanece em nós, quantas vezes impedimos do Senhor se fazer obra em nós? O comportamento da humanidade permanece inerte quanto a pratica do bem e da caridade para com o próximo, a insensatez quanto da nossa indiferença aos mais fracos e pecadores não dos diferenciam daqueles sacerdotes e mesmo Judas que o julgaram e também o traiu. São muitas as nossas omissões e imutabilidade quanto a que propõe o Mestre para nosso êxito no Reino de Nosso Pai. Continuamos a praticar os mesmos erros do passado, a metamorfose começa em nós, como a lagarta que caminha para poder florir a paisagem com suas belas cores, onde nosso comportamento deve seguir o mesmo passo caminhando para a transformação e fazer florir a vida através das nossas cores alegres da caridade e do amor único.

Ainda o negamos quando não buscamos fazer de nossas vidas a negação do pecado, assim como os Apóstolos, não acreditamos na totalidade de suas palavras e contrariamos o desejo da salvação apresentada pelo Messias, fora preciso Ele aparecer aos doze para se fazer comprovar a verdade, e será preciso que ele volte diante de nossos olhos cegos da alma e do corpo para que novamente se comprove a sua verdade e possamos fazer das nossas ações o jubilo do Senhor em nosso planeta?

Não é preciso Jesus se fazer cores em nossa cegueira da fé, é preciso fazer como a brisa que toca nossa face através de suas palavras que devem ecoar no silencio da nossa alma e abrir a nossa janela da vida para que o por do sol que é sua existência se faça morada em nossa fria madrugada da alma, onde por muito o nosso lado sombrio se esconde numa falsa imagem de tranquilidade conforme expressa nosso amado irmão André Luiz.

Faça como os pecadores salvos pelo Mestre, encha todo seu vazio de esperança e acredite, no seu caminho, que traduz a nossa verdadeira salvação e jamais exalte a descrença que habita em seu ser, desprenda-o do altar da consciência apresentado pelo sombrio pecado e ludibriador da perdição do maleficio.

Acredite Cristo vive e é Ele o caminho, tanto para os irmãos encarnados, como principalmente os desencarnados que podem comprovar na experiência o sopro de Deus na sua real condição.


Dr. Bezerra de Menezes. 

segunda-feira, 22 de julho de 2013

A REGÊNCIA DO SER



Todos vos odiarão por causa de meu nome. Mas quem perseverar até o fim será salvo. Mateus. 10,22.

            Resistir todas as formas de tentação oriundo do pecado arrebatador dos cordeiros de Deus é cumprir com nosso dever e nossa real forma de alcançar a salvação, diversas serão as formas de cair nas armadilhas do pecado, eis quem afirma que as ações ditas normais no cotidiano terreno, os padrões sociais que levam a algum conforto ou bem estar estará brindando a vontade do criador, havemos de reconsiderar muitos aprendizados e poucos conhecimentos.

            O alerta soado por Jesus em verdade apossa nosso sentido no encantamento momentâneo da matéria, viver o conforto material não exclui do nosso compromisso para com os sentidos celestiais em nossas vidas. O que a matéria conforta a matéria, não credencia o aconchego da alma, de nada será útil se o coração não for aberto ao acolhimento de seu semelhante. Nenhuma doutrina será a salvação do ser se os sentidos verdadeiros do comportamento, sentimentos e pensamentos, bem com as ações praticadas traduzem a verdadeira oração, a do bem comum.
           
            No tempo de Jesus houve muitos que o perseguiam e a todos aqueles que o seguiam, e mesmo após seu arrebatamento carnal, onde fora machucado, torturado e injustamente condenado, a perseguição aos ideais de Cristo, os que buscavam para si a verdadeira colheita, aqueles que não eram limitados pelos padrões sociais que amordaçavam os povos e conduzidos por uma violência sem precedente, tanto físico como moral, perseguiam e condenavam a morte quem persistia neste sentido. E estes que perseveravam na verdade e mesmo assim eram sentenciados a libertação do corpo físico e libertavam sua alma da obsessão da carne e eram libertos dos preconceitos e fraquezas dos homens, foram salvos de todos os pecados.

            Ao longo existencial da histórica muitos já reconheciam Jesus como verdadeiro Messias e o verdadeiro filho de Deus, vindo pelo amor a salvar os pecadores das armadilhas, os fracos de espíritos, os excluídos pela arrogância e da prepotência de muitos, pelo escarno geral onde muitos eram expostos por suas escolhas, e os que partiram em nome do Mestre por estas circunstancias e encontram nele a luz, estão salvos e aqueles que permanecem no alto de suas fraquezas, mostrando através de uma força física e mesmo intelectuais indícios e praticas de injustiças, aqueles que escondem por suas posses o vazio existencial e expõe a arrogância, a prepotência e que perseguem de todas as formas aqueles que buscam o caminho das lições do Mestre, que Deus nosso Pai tenha misericórdia de suas fraquezas e que possam pelo amor e pela compaixão se verem novamente a oportunidade de corrigir suas falhas e crescer juntos com todos na escola da vida, onde terá em seu ser todas as marcas da experiências, bem como Deus amando infinitamente.

            Seja qual caminho doutrinário escolhido para seguir na salvação, siga com fé e viva realmente o evangelho ensinado e as lições dispostas a todos, jamais escarneçam das escolhas de seu irmão na religiosidade humana planetária, pois a lição é para todos, até mesmo para quem não o reconheçam como o Mestre. Somos todos aprendizes da vida e filhos de uma única verdade, do Amor de Deus, a existência é o ato único do ser e os sentidos a verdadeira sinfonia que nos rege o maestro da vida. Jamais tenha a resistência de reconhecer Jesus como salvador, mesmo que zombem e mesmo o excluem da companhia, mesmo que lhe odeiem por seguir o Cristo, mas na sua consciência e fazendo de suas ações a verdadeira face de Deus, esta é a salvação, esta é a verdade, nenhum irmão terá poder sobre outro em nome de Jesus, terá sim habilitação para salva-lo na sua plenitude. Seremos todos salvos se a resistência e a persistência fazer parte de seu coração e sentido e vencendo toda forma maligna de desviar nosso caminho e sentido da orquestra angelical que toca em nossos corações as canções de libertação.

Dr. Bezerra de Menezes pelo médium Marcelo Passos.

           


            

sexta-feira, 19 de julho de 2013

Nossa sentença.


Porque, não há nada encoberto que não venha a ser revelado, nem encoberto que não venha a ser conhecido. Mateus. 10,26.

            A vida planetária proporciona diversas situações no sentido da evolução existencial bem como somos colocados constantemente em defronte os desafios do pecado no sentido de ilusoriamente querer se colocar a frente do irmão.

            É notório que a ganancia imposta pelo mal aos nossos sentimentos, bem como as nossas ações traduz constantes feridas na alma de nossos irmãos e abre-se um abismo em nossa alma. A evolução de cada irmão não retroage no segmento de sua caminhada, apenas há os que ficam estagnado e estacionados na inercia de captar para si forças positivas, quem é adepto as pratica contrarias as leis Deus terão para si aqueles que comungam da mesma ou de piores sentimentos, onde muitos usam sua criatividade a maltratar e a ferir seus semelhantes com as astucia somada a força do mal.

            Pode os irmãos fies as leis de nosso Senhor sofrerem com a gravidade das ações destes irmãos, que são doentes e marginalizados pelo maligno que os colocam a serviço da sua vontade a querer desviar os cordeiros de Deus da verdadeira salvação. Muitos enganam e encantam diversos irmãos, onde veste as sedas brilhantes do pecado e arrastam estes que buscam a caminhada sadia. As tentações se aproximam em varias circunstancias, principalmente encobertas das verdadeiras intenções a que se propõe. Como o homem é munido de fraquezas e em sua maioria não se consagram na fé pura, caem nestas armadilhas e entregam-se a sua perdição, revelando nesta falsa imagem de tranquilidade o mal das ásperas armas a ferir toda a existência.

            Em constantes ações nos serão enviados anjos a nos resgatar destas armadilhas, e é nesse momento que haverá por parte de cada um a compreensão da misericórdia divina em fazer brilhar a luz de Deus em nosso ser, muitas serão as fraquezas que nos serão impostas a não enxergar estas gotas divinas que caem sob nossa face e a propor as nossas transformações a nos resgatar destas nocivas condições que são convidadas os filhos do Senhor.

            O direito do libre arbítrio ofertado a todos nos pelo Criador é cedido para aprender com todas as instancias e experiências o verdadeiro sentido do caminhar e dos propósitos do Senhor.  Todas nossas ações, bem como os sentimentos e desejos não são desprezados pela união divina, são acumuladas, bem como nos será cobrada ao longo da própria evolução, pode-se enganar a confiança de seu semelhante, mas a conexão que há entre nós e o altíssimo em nada serão desprezados e tudo será revelado a nosso ser, isto para que a justiça divina jamais falhe e que a injustiça não se propague na alma de cada um.

            O aprendizado é a fusão da nossa condição as nossas ações e sentimentos, o universo do coração e da consciência é um infinito que abriga no santuário da alma, nada será em vão no somar das consequências, quem busca pelo tempo modificar para melhor lhe será credenciado as novas e confortáveis oportunidades de crescimento. É consciente saber que para que nossa evolução se faça necessária à união de nossos semelhantes e a sua evolução se fazer nosso entendimento e para crescermos é necessário e nos é dado à confiança do discernimento, pode nossos condutores e responsáveis nos permitir nossa e ser portadores de sentimentos contrários às leis divinas, mas a sua inteligência, discernimento e conhecimentos do bem e do mal e sua ação poderá ditar a si o melhor e a verdadeira face da salvação.

            Nenhum irmão planetário pode-se credenciar melhor que seu semelhante e muito menos fazer disto critérios a perder, zombar e a destruir a sua evolução e caminhada evolutiva, pois ao praticar essa vertente, lhe será creditado na sua omissão ou ação o insucesso daquele irmão, se esse errar na evolução movida pela sua astucia e sentimentos negativos, a você será revelada e cobrada a sua responsabilidade.  Enfim da mesma vontade de seu semelhante a lhe permitir sua evolução, será também da nossa vontade a propagação do bem comum, e aos nossos devaneios principalmente voluntários não serão encobertos e nossa responsabilidade será cobrada em nossa ação.

            Não pense que seus pensamentos e desejos ficam somente para si, eles também fazem parte da nossa sentença existencial, por isto modifique-se a todo instante. Viva o Deus em você, o mal não faz parte do nosso existir, ao contrario, somos frutos do amor, apenas admitimos que este intruso se instale nas dependências de nosso ser.

            Dr. Bezerra de Menezes.






            

UNIVERSO DA VONTADE DIVINA



Nem todo aquele que me diz: “Senhor, Senhor” estrará no Reino dos Céus, mas quem fizer a vontade de meu Pai que estás nos céus. Mateus. 7,21.

            É cotidiano desde os tempos pregressos da historia existencial a intensão de todos os irmãos galgarem um privilegio e habitar no reino da salvação, diversas ações praticadas intencionalmente visam esta condição e a sorte para que após a obsessão da carne ver-se envolto dos anjos e arcanjos, onde creem a existência de um mundo sem as dificuldades terrenas.

            No planeta a que os amados caminham e evoluem exige disciplina, abnegação e luta constante de vencer todas as barreiras impostas pelo mal, nenhuma ação da criatura humana é esquecida ou abandonada pela historia, ao contrario, todas nossas ações e pensamentos nos mostrarão a nossa real condição. Engana-se o que guarda somente para si ficará ao breu, pode-se calar e omitir ao seu irmão de fé, mas a conexão com o altíssimo é vivido simultaneamente. Muitos podem viver a existência ludibriando seu próximo, mas diante do Senhor nada ficará impune e sem a reflexão. Não somente as ações materiais nos serão cobrado como nossos pensamentos, pois é nele que esta toda a ação e intensão do espirito refletido nas ações periódicas.

            É verdade que haverá sempre aquele que age com a intensão da salvação e faz de toda sua obra uma condição de troca com o criador, onde diante das frustrações dos desejos cobrará com veemência de Deus as recompensas muitas vezes infundadas de um merecimento imaginário.  Nem todas nossas praticas voltadas ao bem serão recompensadas com as indulgencias que desejamos, afinal é nosso dever praticar o bem sem qualquer pleito a desejos íntimos, nada nos é ofertado sem o devido merecimento, e o que será realmente credenciado a ter o merecimento não é o quanto se doa, mas quanto seu coração e suas ações estão à disposição de seu semelhante, lembrando que a verdadeira caridade é ofertada aos irmãos mais desesperados e mendigados de atenção, principalmente na miséria do espirito que se perde nos pântanos do pecado.
           
            É muito cômodo praticar a caridade com quem lhe causa sossego e não traz nenhum incomodo com as ásperas palavras que muitos perdidos da existência de encontram e desferem a quem se aproxima. Ofertar valores financeiros é louvável e atenderá momentaneamente às necessidades daquele irmão que mendiga um pouco mais de sorte na vida planetária, mas não o credenciará a barganhar a Deus sua ação imediatista e distante da caridade da real e da salvação daquele semelhante. Mas o que posso fazer nesses casos se não tem a habilidade suficiente para atendê-lo em toda sua precisão? No mínimo uma oração para este espírito perdido, onde compreendemos que o alimento do espírito assim como a água para o corpo é essencial à manutenção diária da evolução.

            Por isso Cristo nos alerta quanto a essas ações que praticamos com a intensão de algo futuro, de uma sorte desejada e pleiteada, é louvável todas as pratica de auxilio ao próximo que estão fundadas unicamente para o bem, mas o que não crê que sua ação fará da vida deste irmão a verdadeira oferenda de ajuda, como também não o credenciará a qualquer privilegio no juízo celeste, evidente que será considerado, mas o que esta verdadeiramente diante dessas ações é o que realmente responderá com maior entonação a favor da nossa passagem e habilitação às esferas superiores da evolução.

            Procure praticar as ações cotidianas voltadas ao bem pelo sentimento maior que é a satisfação do amor em prol da recuperação e salvação de um irmão perdido na vastidão do deserto, visualize em seu semelhante à mesma atenção que deseja a suas vontades, principalmente na vontade e no interesse de está salvo, por isto não grite ao Senhor e não peça para que aviste suas ações de ajuda ao próximo, pois ele lhe acompanha desde a criação e que percorre toda sua evolução e continuará a acompanhar por toda eternidade. Não precisa mostrar ao Criador suas obras, precisa colocar em pratica sua real verdadeira obra a serviço de seu semelhante da intensão maior de salvar o seu semelhante. Pois essa sim é a vontade de nosso Pai e praticando-a com obediência, humildade, caridade e principalmente amor este sim será o ingresso para sua estada no Reino desejado.

            É compreendido novamente que a vida material não é critério de liberdade e da verdadeira condição da alma, é um merecimento conquistado pelo esforço e merecimento, e assim como nosso dever fazer parte do exercito de Deus a combater todo mal.

            Dr. Bezerra de Menezes.
             

             


quinta-feira, 18 de julho de 2013

Liberdade para a vida eterna



Ele expulsou o demônio, e o mudo começou a falar. O povo, admirado, dizia: “Nunca se viu isso em Israel”. Mateus. 9,33.

            É ciente que o Filho de Deus esteve homem entre nós, com ele trouxe não apenas o caminho da nossa salvação, mas toda lição para podermos alcançar o verdadeiro proposito e objetivo da libertação que muitas vezes nos impede de seguir por esta trilha, da salvação eterna.

            Veja como ele é bom e o quanto foi perseguido, criticado e mesmo assim não deixava se abater e seguia com força e vencendo tudo e a todos que duvidavam de suas obras. Naquele tempo a população de Israel vivia atormentada com os parâmetros sociais que eram impostos, realidade essa que atravessava séculos na vida daquela gente. É compreendido que não haveria organização e disciplina sem as regras de comportamento e também com ela o limite que deva haver entre seres, mas quando ultrapassam estes limites às consequências são variadas.

            As leis de Deus são compartilhadas por toda nação, cada linha traçada e psicografada por Moises no livro de pedra representa o nosso compromisso com Deus. Ele nos fez livres, mas com a disciplina a respeitar uns aos outros, e com o avançar do tempo sempre houve por nossa parte o transgredir das leis. Como todos somos livres por ele e claro respeitando suas leis e quem faltar com o compromisso terá que colher as consequências dos atos.

            Como sabemos os males nos espreita e nos ludibria a cair na tentação de suas armadilhas, diversas as situações impostas e apresentadas por ele a nossa frente e munidos das nossas fraquezas tornamos alvo fáceis desta perdição e que trará as consequências de nossas escolhas. Em sua maioria nos veremos diante de um deserto sem esperança e sem um norte a nos guiar por um caminho certo e confortável, ficaremos sedentos e famintos da manutenção da vitalidade e quantos oásis vislumbrarão adiante, mas sem qualquer objetividade concreta da realidade.

            Estas situações nos farão muitas vezes vozes solitárias, que gritará por algo que jamais serão ouvidos, gritando a multidão que ensurdece ao nosso clamor e que se misturam com outras mais sem nenhuma atenção e esperança.  Na situação vivida neste aspecto pela humanidade eis que nosso amado pai nos envia o Mestre a ouvir as vozes caladas e esquecidas pelo pecado arrebatador e a salvar os todos que foram entregues a solidão e vazio existencial.

            Diante dele e movidos pela fé, ele curou a todos nós, e como muitas vezes amordaçados pelos preconceitos e pela ação do pecado, ficamos vulneráveis a instalação de toda astucia do mal. Mas ele veio a nos salvar, a curar nossos pecados e salvar-nos, foi crucificado pelo homem, mas nos salvou perdoando os nossos pecados. Diante dele estamos salvos, basta que ele se instale no santuário de sua alma. Simples nas escrituras e desafiador na pratica, mas a salvação está ao nosso interior, à persistência faz-se a todos, a vontade uma certeza, a ação um passo de iniciar, aos percalços a fé e na incerteza a voz de Deus clamando seu avançar e dando coragem para enfrentar e as trevas a luz de Cristo a nos iluminar por toda eternidade.

            Abra o horizonte diante das oportunidades oferecidas pelo criador, não desperdice as dadivas ofertadas e livres ao acesso e da comunhão para nosso existir com a felicidade eterna, onde também as lagrimas que possamos derramar pelo mal possa fazer gotas de esperança para toda humanidade.

Texto ditado por Dr. Bezerra de Menezes ao médium Marcelo Passos.
           
             

            

O PODER DA CURA



Jesus convocou os doze discípulos e deu-lhes poder sobre os espíritos impuros para os expulsarem e para curarem toda enfermidade e doença. Mateus. 10,1.

            Vão e façam discípulos por toda nação, em esta autoridade que Jesus convocou seus discípulos a propagar sua palavra e a boa nova para toda nação, ao longo de dois milênios a força de sua palavra e ações soam por todos os cantos, mesmo nas localidades onde ainda imperam outras culturas e a realidades que foge diretamente do proposito divino.

            Não há por parte de Jesus a fraqueza e o desrespeito quanto às crenças existentes no planeta, pois ele crê que a esperança eterna deve caminhar com a liberdade das expressões e não presa a paredes doutrinaria de religiões humanas que se reúnem para estudar sua palavra e com ela fazer-se credenciado a impor exageros e costumes contrários ao que o Mestre tanto nos proporcionou.

            Sem duvidas acreditamos e sabemos como Cristãos que Jesus realmente foi e é o filho unigênito de Deus, sua tarefa não foi se limitar a um grupo ou segmento direcionado a determinados povos, foi para todos aqueles que deixassem sua palavra e verdade fazer parte do seu cotidiano da salvação. Não estamos credenciados a escarnecer e muito menos ter a autoridade de condenar nenhum povo e nenhuma religião humana a que um grupo se reúne, principalmente se a união doutrinaria esteja reunidos em nome a praticar o estudo de suas palavras e fazer ação do proposito ensinado.

Quando apontamos os erros alheios estaremos exteriorizando nossos erros e cometendo acusações muitas vezes injustas onde irmãos cometem contra irmãos. Jesus reuniu seus doze apóstolos e deu a cada um o poder de limpar e expulsar os demônios do pecado, das impurezas que impregnam o espirito de cada um de nós e quando permitimos o poderio do mal de se apossar de nossa razão e sentimento. As impurezas estão em diversos comportamentos que praticamos em nossa vida, não apenas nas manifestações de possessão sobre a matéria, é principalmente no comportamento exagerado e injusto que praticamos dia a dia.

As armadilhas do mal nos cercam por todos os lados, principalmente quando lideres em nome da palavra do Mestre usam do poder de persuasão para arrancar o que de valor cada um tem.  O conforto material bem como a riqueza das moedas não traz a verdadeira libertação, deitar em confortáveis sedas e macios travesseiros não dará ao espírito a paz que tanto buscam, este conforto vem com as ações praticadas diariamente, bem como a limpeza das impurezas de nosso espirito, que vem munido de todas as formas contrarias a paz, traduzidas no rancor, no ódio, da ira, na acusação, na zombaria e traquinagens contra irmãos, no desrespeito a todas as crenças humanas que seguem a verdade em busca da salvação, enfim irmãos são diversas as teias que nos prendemos como alimentos das ferozes aranhas, que se arma para devorar sua preza, aonde muitas vezes pela inocência se prendem e quando despertado, estão presos, amordaçados e vulneráveis a toda perdição.

A estada de Jesus no planeta foi justamente para arrancar dos nossos corações e de nossos semelhantes todas essas armaduras e emboscadas que o imperador do pecado nos impõe. Sabendo ele que a astucia maligna é arrebatador, fez de seus discípulos autoridade para expulsar de nossas vidas todas essas impurezas que sempre dominava e ainda domina nosso ser com bastante propriedade. Quantos pecadores impuros eram libertos pelo mestre, quantos doentes e mortos de todas as formas se aproximavam do Mestre na esperança e munidos de humildade e tendo Ele a compaixão curava a todos. Está autoridade queridos irmãos, não se limita aos discípulos, se estende a todos nós, quando receberam a missão de fazer discípulos por todos os cantos, não foi apenas para ensinar, mas dar a cada um a missão de fazer autoridade contra o mal, expulsando os demônios das impurezas, bem como a autoridade para curar os enfermos do corpo e da alma. Todos nós irmãos temos este poder, infelizmente o que nos impede de fazer são as impurezas que ainda não conseguimos expulsar de dentro de nós, não nos fazemos autoridade para se curar e libertar de todas essas armadilhas preferimos entregar ao comodismo ao invés de realmente nos salvar, lembre-se irmãos que as impurezas esta relacionado à permissão que damos ao impuro para fazer morada em nossa vida. A autoridade que podemos adquirir sobre o mal deve começar pela humildade e serenidade, pelo amor e pela compreensão e sempre acompanhado pela tolerância e paciência que são ingredientes que deve sempre ser acompanhados pelo amor divino a libertar de todas as enfermidades.

Havemos todos de sermos médicos dos enfermos e como tal servir de exemplo contra as mazelas do ser e de toda humanidade, há muitos enfermos do corpo e principalmente da alma que muitas vezes se encontra na cegueira das esperanças. Somos seres totalmente habilitados a ser portador de cura e de luz nas trevas, mas para isto é preciso se curar e acender as lâmpadas da própria escuridão.


Texto ditado pelo espírito de Dr. Bezerra de Menezes ao médium Marcelo Passos.

quarta-feira, 17 de julho de 2013

Jesus, o sonho que se tornou real.



Tu és o Cristo, o Filho de Deus vivo.

            Sem duvidas a mais de dois milênios que esteve presente neste planeta o filho de Deus entre nós, Jesus, um homem de origem simples, hábitos comuns aos costumes da época, obediente às regras das sinagogas imposta a humanidade pelos anciãos e seus sacerdotes que se diziam os representantes do altíssimo, pelos conhecimentos e vasta astucia em dominar uma grande massa. Jesus foi uma criança e um jovem especial aprendeu com seu pai terreno José o oficio de carpinteiro, se destacando pelas habilidades e atenção que exercia a cada serviço acionado.

            Quando ao seu nascimento fora anunciado à vinda do Messias, uma grande euforia tomava conta daquele lugar, afinal, quem seria esse enviado? No inicio somente as pessoas realmente tocadas do sentimento divino que identificaram o verdadeiro salvador, aos grandes palácios a duvida e o receio de quem poderia tomar seus suntuosos tronos e riquezas, o rei da época, Herodes, incomodado com a notícia que se espalhava, cometera seus devaneios como mandar assassinar as crianças com menos de dois anos, quantas vidas mortas em nome da ganancia e medo da perda do poder, como junto com Pilatos que até então inimigos e que se uniram para condenar o filho de Deus.

            Com a idade se avançando e sendo fiel aos costumes da época, Jesus pregava no grande templo e ensinava com muita presteza e atraia olhares e atenção, tanto da multidão quanto dos sacerdotes que muitas vezes se incomodavam com o que era dito pelo Mestre, pois de alguma forma sua verdade incomodava esses ditos poderosos. Ao sair das paredes dos templos, ele atraia uma multidão que sedentos pela salvação, pela verdade e o tinham como o salvador, o reconheciam em suas almas este como o verdadeiro Messias. O Nazareno trouxe para seu lado homens simples e até mesmo pecadores para segui-lo fielmente, como os doze apóstolos, mas porque Ele escolhera homens com estas características? Pelo simples fato dele ter vindo a salvar os pecadores.

            Então, ele curou, ensinou e amo-nos e ainda nos ama incondicionalmente, perdoou-nos das nossas fraquezas e erros, os nossos exageros e nos ensinou também pela fé em seus ensinamentos que também podemos ser instrumentos de paz e de salvação. Toda esta movimentação causava nos poderosos à ira, a cólera, a raiva, a inveja, o rancor e principalmente o ódio, pois Jesus mostrava que os exageros ditados por eles, não passavam de costumes socais a fim de dominar em nome de interesses sórdidos e que desviavam do caminho da salvação e tornavam vazia a vida espiritual daquele povo que era em seu intimo famintos de um norte, e este alimento surgia, o Cristo estava entre eles.
           
            Para os poderosos da época Jesus afrontava seus costumes e poderio, pois se sentiam ameaçados pelos feitos daquele homem do povo, pois conversava e tinha ao seu lado os esquecidos, abandonados e humilhados, como os pecadores, as prostitutas, os doentes, os miseráveis, as mulheres abandonadas e que viviam a margem da sociedade e do padrão autoritário do tempo, como também os fieis da sinagoga que viviam sufocados pelas inúmeras regras que eram ditadas por um soberano e também pelo império romano.

A ira destes homens eram tamanhas que sempre buscavam meios para condenar Jesus, mas com sempre foi e é cheio de sabedoria e o verdadeiro enviado, respondia suas provocações com a reflexão que impunham a estes que nenhuma resposta havia de replicar.

            Até que apossado pelo tentador, o Iscariotes entregou-o aos sacerdotes e anciãos em troca de moedas de ouro, o entregou pela mentira pregada. O prenderam, machucaram sua carne, condenaram e crucificaram e como de costume os poderosos exercendo o domínio sob a grande massa intimidavam aquele povo na condenação do Messias e a liberdade do assassino, Barrabas. E ao entregar seu espírito ao pai perdoou os nossos pecados e nos libertou de toda tentação.

            Se ele fez isso tudo por nós, porque a humanidade presente ainda permanece no pecado e nos exageros? Bem irmãos, desde o tempo de Jesus, a sociedade esta integrada num contexto acomodado pelas proezas da tentação do pecado que surti em nossas vidas como algo melhor a se fazer, esta situação não veio apenas no tempo de Cristo em nosso planeta, muito antes o mal surge como força desafiadora do bem de Deus em nossas vidas, desde a revolta de Lúcifer contra Deus sobre sua criação que foi o homem, criado como imagem semelhante a Ele, e que teria os anjos de reverenciar sua criação, e tornando-se rebelde criou seu próprio universo de pecado ao contrario que Deus deseja para todos nós.

            Mesmo o mal não tendo como vencer as obras de Deus, ele é forte e astuto, e consegue atrair os filhos de Deus que somos nós para sua grande emboscada, a situação atravessa milênios, e o Senhor permanece intacto na sua condição para todos nós, respeitando em nós o livre arbítrio e de onde estaremos e para qual caminho a seguir. Seria essa situação um joguete de forças promovidas por Deus? Não. Justiça, se ele nos da o livre arbítrio, como o fez com anjo negro, deu-lhe a liberdade de seguir o seu caminho, pois Deus não é limitado páreos aos preconceitos e conceitos limitados do homem, ele não é o ditador e o carrasco que todos pensam, ele nos dá a liberdade para agirmos, e claro, seus mandamentos são para todos e as consequências de nossas escolhas serão frutos da própria vontade.

            Infelizmente a humanidade se acomoda naquilo que lhe traz conforto material e esquece-se do preenchimento espiritual, as riquezas das moedas e grandes conquistas de terras latifundiárias que exercem sob o ego sentimental que se torna alvo e moradia dos demônios da tentação, é que faz e traz desde outrora tempo este grande embate entre o bem e o mal. O mal tem a todo o momento fazer-se criativo a nos perder, ao contrario do bem, que desde a criação não se modificou, manteve a mesma linha, ou seja, praticar o bem comum e a paz para que deles desfrute também sua condição.

            Ao longo do tempo, Deus nos presentou e presenteia com a vida de irmãos e seus enviados a arrebanhar a multidão pelo o caminho da salvação, fez com diversos profetas , bem como seu filho único, Jesus de Nazaré, o verdadeiro e único Cristo, ele nos oferta a todo instante esta condição de seguir o seu caminho para a salvação. Pode parecer difícil seguir sem cair em tentação? Claro, em nenhum momento Ele nos disse que seria fácil. Os desafios existem para ser aprendidos e crescer na fé, a tentação também apareceu para Jesus, mas ele soube expulsar os demônios da tentação que queriam domina-lo por acreditar no Pai e na salvação.

            Escolham seguir com Jesus irmãos, sigam seus ensinamentos e ação, resistam ao pecado, às tentações e as armadilhas que ele oferece, nem todo conforto material poderá traduzir a verdadeira paz, a liberdade e a verdadeira salvação, ele esta prestes a nos salvar de todas nossas fraquezas e pecado.


            Dr. Bezerra de Menezes.