quarta-feira, 12 de junho de 2013

Ser Justo



Então Jesus lhes disse: dai a César o que é de César e a Deus o que é de Deus. Marcos 12,17


            Atribuímos muitas situações em nossas vidas a outras pessoas e quase sempre não reconhecemos nossas responsabilidades. O culpar o próximo as nossas frustrações é bastante cômodo no sentido de justificar muitas vezes a impotência e a incompetência. Fácil mesmo é festejar as glorias e os feitos prósperos, pois assim se enche de orgulho de fazer a coisa certa.

            Diante de muitos estudos e entendimento compreendemos que as consequências das nossas situações é fruto da lei de ação e reação, ou seja, o que plantamos, colhemos. Nosso Senhor em sua infinita misericórdia permite a cada um de nós a oportunidade da regeneração e conserto das nossas ações, principalmente se causar certo transtorno para si e seu semelhante. As encarnações trazem consigo as experiências da alma embutido em uma veste de carne ao qual permite sentir com justiça o proposito da evolução e com ele o sentido da resistência entre o bem e o mal.

            Nenhuma ação do homem é esquecida ou abandonada, tudo é devidamente credenciado a nos representar diante do senhor no sentido de prestar nosso esclarecimento das nossas ações. Entendendo sempre na misericórdia do senhor, mas responsáveis por tudo que pensamos e agimos, em especial com nosso semelhante. Ele nos dará toda a oportunidade de corrigir nossas falhas, evidentemente que seremos levados a situações que nos faça refletir e sentir tudo que fizemos. Castigo? Não. Justiça. A sociedade desde os primórdios tem a visão de um Deus autoritário e vingativo. Irmãos, nosso Senhor não se prende aos insignificantes sentidos do homem, essas atitudes se reflete as fraquezas espirituais e evolutivas de cada ser, cada um caminha para a evolução e o encalço do anjo, assim como os animais caminham para a condição do homem. Para isto diversas experiências serão dotadas o ser, mas comungada com as astucias do mal que existe justamente ao proposito do maligno que se revoltou com a criação de Deus de perder toda sua criação.

            Sim irmãos, o maligno se revoltou com criação de Deus que nos fez realidade da sua vontade e respeitado pelo criador na sua atitude, o Criador seguiu a mesma filosofia, sem alterar a verdadeira essência do bem e da evolução, assim como fez com o perverso, nos ofertando o livre arbítrio, para escolher o melhor dos caminhos e claro, responder pelas escolhas, será castigo ou justiça? Causar o mal, arrepender e ser perdoado são privilégios de cada um de nós. Perante os erros responderemos, assim como o arrependimento que nos dará a resignação e o caminho da salvação. Esqueça-se do aprendizado do Deus vingativo, se assim fosse não daria a oportunidade da vida para corrigirmos todos os nossos erros e aumentar ainda mais nosso dever de satisfação da confiança depositada e correspondida. Ele é justo e misericordioso e nos dará tudo àquilo que buscamos. Inclusive anjos para sempre nos salvar.


Dr. Bezerra de Menezes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário