quinta-feira, 20 de junho de 2013

O verdadeiro pensamento das minhas condições.


 Três dias depois o encontraram no Templo sentado no meio dos doutores, ouvindo e fazendo perguntas. Lucas 2,46

Jesus veio num período da historia da humanidade muito forte, principalmente numa terra onde os costumes e as regras eram severas e qualquer desvio nas condutas as penas eram severas. Muitos se dizendo estudados cultos abusavam destas condições para impor o medo e seus conceitos sobre a massa que eram facilmente dominadas e até os modernos tempos do presente ainda encontramos estes comportamentos, onde um grupo pequenos ditos os melhores e mais cultos desejam dominar uma grande massa, pelo medo e pela violência.

Como naquele tempo os costumes eram ditos ditatórias e qualquer conduta era levada a perversos julgamentos e condenações, dentre as mais de duzentas regras Jesus rompia com seus ensinamentos estes paradigmas, o que faziam com que o verdadeiro proposito da evolução humana ficasse em planos secundários e engaiolavam a população nos manifestos da época. Por isto em diversos momentos, conforme encontramos nas paginas do código divino, os poderosos arguiam com grande veemência o comportamento e as obras de Cristo sobre aquele povo.

Da mesma forma que o arguiam, Jesus também em diversas audiências em que era convocado pelos doutores da lei e aquele povo, ouvia-o que tinha a falar e ao mesmo tempo fazia as perguntas no sentido de fazer repensar os exageros, se realmente as condutas que eram aplicadas e cobradas estavam realmente de acordo com o poder, a lei e os desejos de Deus.

Esta situação meus irmãos não foge a nossa realidade, em que tantas perguntas se fazem e não deixamos que as verdadeiras respostas entrem em nossos corações e em nossa consciência, de muitas situações vividas pela experiência encarnada que não compreendemos o proposito divino. É de nosso conhecimento a misericórdia de Deus para cada criatura, engana-se que Deus cria e abandona seus filhos, ao contrario, seu amor e misericórdia são tão grandes que diariamente podemos sentir este amor em cada um de nós, quantos erros se cometem pela própria vontade e mesmo involuntariamente, mesmo assim nosso senhor não nos limita a comunhão de todas suas belas obra a nos inspirar ao bem supremo.

Não credita sua situação como castigo, como vingança de Deus, ao contrario, aceite com resignação e humildade e agradeça a oportunidade de poder novamente corrigir seus erros, pois no reino de nosso senhor todos têm direitos, basta evoluir através das nossas ações e pensamentos de amor, caridade e gratidão à confiança dada. Os limites da matéria física nada mais é que os limites em que o espirito deve repensar suas ações retrogradas das ações praticadas, onde lhe é permitido esta oportunidade à resignação, de certo que muitos se revoltarão com a situação onde não poderá ser modificada, mas a realidade deve sim ser compreendida, ser aceita e o trabalho de evolução redobrado, para que as novas oportunidades sejam de gosto e merecimento do desejo intimo.  E não credite sua sorte somente no passado, pois as ações e sentimentos do presente nos serão cobrados e atraídos por irmãos aquém nos faz páreos sua evolução. A qualidade das suas ações e pensamentos ditará os aliados e a sorte em que estará vivendo, por isto não reclame das experiências, simplesmente repense suas ações e busque modifica-las a todo instante.


Dr. Bezerra de Menezes.

Um comentário:

  1. Claro que sou adepto desta doutrina espirita, que ensina a acender nossa luz interna, e não propor iluminar nossos caminhos. Que noas abilita ao aperfeiçoamento para que Jesus nos aceite, e não ser preciso dizer: "eu aceitei Jesus" e já achar que esta salvo.

    ResponderExcluir