terça-feira, 25 de junho de 2013

Ele não morreu por acaso e sim pela nossa ressurreição



Ele morreu por todos, para que os que vivem já não vivam para si, mas para aquele que por eles morreu e ressuscitou. 2ª carta aos Coríntios 5,15

            O estudo do novo testamento, o de Cristo, é alvo de bastante relevância e importância para qualquer irmão que caminha para a evolução, não apenas o caminho egoístico, pois querer crescer não deverá jamais ser desejo e sentimento apenas para si, pois este não é o verdadeiro proposito do Mestre para conosco. Devemos prosperar e levar consigo todos aqueles que lhe cercam, sejam os íntimos quanto os que cotidianamente fazem parte das paginas da vida existencial.

            Quando entendemos todo proposito de Cristo, compreendemos o seu amor para conosco, bem como a faculdade de nos conhecer, estudar nossa evolução e modificar os nossos pensamentos e sentimentos para com a vida em um todo, principalmente em entender que em nosso meio haveremos de comungar a vida com irmãos em evolução páreo, tanto quanto aos que caminham abaixo da nossa condição, onde em grande segmento presos aos seus preconceitos e nos farão em sua maioria combate as nossas ideias, pensamentos e evolução, onde havemos de praticar a tolerância e a compaixão, pois já estivemos nesta mesma condição, ou pior, precisamos nos incorporar no sentimento do próximo para entender os graus de desafios.

            Ele veio com a missão de mostrar uma nova vida, o verdadeiro caminho e único para a salvação divina para todos, desafiou os costumes temporais, a ira e os mandamentos ditatoriais dos poderosos a época, bem como a mutação das praticas costumais e os parâmetros comportamentais e morais a que se propunha o povo e mostrando que os exageros classificados como pecados a época, na verdade jamais representou o verdadeiro reino de Deus, um povo amordaçado e amedrontado com as punições e encontrou em Jesus e em suas varias lições o alivio e o conforto de poder adorar de verdade o Deus amor e misericordioso e não o Deus vingativo e punitivo que eram apresentados e era usado para o domínio daquele povo, não diferente nos tempos modernos. O que o Mestre resgatou aquele povo, foi o uso fiel e verdadeiro da fé, onde trouxe para consigo o Espirito Santo de Deus em detrimento aos pecados, a salvação divina que esta em cada um de nós.

            E ao ser capturado, morto e sepultado, o Messias deu o exemplo que a fé jamais poderá ser superior às amordaças que são colocadas em nossas vidas, jamais podemos temer pelas ameaças de um grupo limitado de pessoas se dizendo doutores do evangelho para poder consumir a esperança de uma nação, lembre-se de que está situação já vivera a época e que se repete por gerações, mesmo o império romano por conveniência se aderindo aos ensinamentos de Cristo, pois o fez pelo crescimento dos adeptos e fieis de Cristo, quantos mártires foram perseguidos e mortos pelos romanos por se converterem aos ensinamentos e resolveram caminhar com Jesus para a salvação, e vendo uma grande multidão já não os temia e muito maior do que a que o próprio mestre atendia nos povoados de Israel. E para não perder o domínio se fizeram adeptos às lições. E mesmo se adaptando aos seus ensinamentos, mantiveram a politica do medo e as perseguições e exageros continuavam como o próprio Cristo foi alertado, os falsos cristos e profetas se levantarão dizendo ser o único caminho, mas não se esqueçam das artimanhas do maligno, o mesmo que tentou o Mestre no deserto.

Muitos irmãos foram santificados de verdade, mas pela vontade de Cristo e não pelos títulos humanos que são concedidos aos irmãos, pois a santidade vai muito além dos padrões humanos, todos nós podemos seguir a este caminho da santidade, não somente pelos milagres, mas sim pelos comportamentos e seguimentos ao verdadeiro Cristo e pelas obras que diariamente se propõe a humanidade e a todos os irmãos, em especial aos perdidos da esperança e da salvação. Os anticristos estão por toda parte, principalmente nos grandes templos e altares, onde desviam verdadeiramente a salvação de cada um, não credite simplesmente à riqueza das moedas de ouro a verdadeira salvação do espirito, pois o que é da matéria pertence à matéria, e ao que permanece em Deus é tido o verdadeiro caminho da salvação e rumo ao seu Reino e onde não haverá miséria nem riqueza, mas sim a salvação rica do espirito único em Cristo. Ele não morreu simplesmente para servir de exemplo, mas sim que façamos de verdade a ressurreição dele em nosso ser, nos exemplos a espelhar outros mais no caminho da verdade e da vida.

Dr. Bezerra de Menezes.


            

Um comentário:

  1. GILSON - GNA - PORTAL - GNA

    Quando uma LUZ BRILHA - ilumina a escuridão ... Sejamos essa Luz, assim como foi Jesus. Luz que se apaga, não entra no céu, pois como quer entrar se o caminho que te leva até lá vai estar escuro, ou não sabes que você é este caminho.

    ResponderExcluir