quinta-feira, 13 de junho de 2013

Com fé na estrada de Deus




Pois eu vos digo: se a vossa justiça não for maior do que a dos escribas e fariseus, não entrareis no Reino dos Céus.  Mateus 5,20

           
                Quando caminhamos na vida terrena buscamos incessantemente as qualidades necessárias para poder entrar no Reino de Deus na eternidade apresentada pelo Cristo, em todas as suas lições. Não há quem não conheça toda sua obra tão presente como naquele tempo.

            Na vida terrena vamos nos deparar com muitos justos, mas em sua magnitude sua justiça anda em contrario ao proposito da verdade do caminho divino. Ao longo da humanidade nos fora testemunhados diversos abusos em nome de uma suposta justiça, os injustos da lei dos homens que se diz atuar em nome das leis de Deus. A lei de Deus é imutável diferente das leis do comportamento humano, as leis do homem sempre serão compostas de muitos exageros e mesmo contrario a justiça divina.

            Na lei de Deus é compreendido a necessidade e comportamento impar de cada ser na evolução do seu tempo. A lei do livre arbítrio permite a liberdade de cada um atuar e seguir o caminho que melhor lhe é peculiar, não há retrocesso na evolução, mas sim o retrocesso dos comportamentos, constantemente verá irmãos dotados de ricas atribuições e habilidades relevantes ao bem na humanidade e tendo comportamento aquém dos praticamos dos tempos primários da evolução. Somos testemunhas o quanto é comum vermos estas praticas e muitos destes ocupam searas de liderança e impondo leis e justiças perversas contra outros ditos hierarquicamente inferiores aos seus desmandos. Estes se enchem de vaidades e orgulhos, tenho em seu ego a necessidade de serem reverenciados pelos subalternos dos poderes terrenos, mas miseráveis da espiritualidade no sentido único da misericórdia e do bem estar.

            A quem é confiado a dadiva do conhecimento e das riquezas intelectuais lhe é por dever ensinar e fazer a evolução do seu próximo como fora proporcionado a sua sorte de forma amena e paciente a cada ensinamento, pobre daquele que usa do seu conhecimento a menosprezar o menos evoluído, este ainda lhe falta à graça do amor e deverá sentir o peso do mal praticado. Então Deus é punitivo e injusto? Não. Sua justiça será para aquele que na mesma pratica injustamente fora aplicada, mas de forma única e justa a quem precisa aprender a evoluir com os próprios erros. Não será como as leis dos homens que punem inocentes pelo simples sentido do poder e do ego em face do orgulho e da vaidade, que representam nada mais que a chaga da vida evolutiva. Ao invés do irmão continuar seu crescimento espiritual existencial aos passos prósperos do reino, as injustiças atrasará este único caminho.

            Por isto seja justo de verdade, compreenda as necessidades de auxilio ao seu próximo e compreenda a distinção do saber intelectual do verdadeiro comportamento a se aplicar ao seu próximo, seja responsável por evoluir o seu próximo, em especial aqueles que por alguma inferioridade evolutiva lhe é presente na pagina de sua vida, esta é sua obrigação, auxilia-lo, da mesma sorte que periodicamente clama aos céus. Encha sua existência de paciência, amor, compreensão, tolerância e justiça, pois é a mesma essência que tiveram e ainda tem para que você continue a evoluir. Está é a verdadeira justiça divina e é nela que tens de praticar de verdade e não aquela imposta pelo orgulho e pela vaidade de falsos ditadores da verdade. Não tenha a mesma justiça que condenou Cristo à crucificação injusta, a injustiça da traição, da inveja e principalmente do egoísmo, pois estas não são o verdadeiro caminho da verdade e da vida.

            Clame pela justiça divina em seus atos para com o próximo nas ações e no sentido da consciência pura e justiça verdadeira da salvação e a que nosso Senhor deseja de cada um de nós.


Dr. Bezerra de Menezes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário