segunda-feira, 6 de maio de 2013

Pedi a Deus, ele me ofertou e ai?




            Amados irmãos,

            Viemos da graça para o planeta com o proposito da regeneração e evolução do nosso ser, a serviço do próximo e principalmente o próprio, os desafios terrenos não surgem ao acaso, são frutos da semente e os nascimentos de cada galho desta grande arvore que jamais tombará apenas as pragas e as doenças do pecado podem adoecer até o tronco mais forte.

            A cada estada no planeta os desafios serão sempre desafiadores, principalmente naquilo que o nosso resgaste mais nos aflige e desafia, não há quem consiga passar pelo planeta que não tenha que resgatar os propósitos, seja na primeira estada ao planeta, quanto a ultima vinda, sempre haveremos de enfrentar. Há situações de irmãos não conseguirem e liquidarem antes do tempo a sua estada, aumentando ainda mais seu debito e futuras limitações de locomoção e tarefa frente à vida, com o retardamento da própria evolução pela vulnerabilidade que muitos de nós deflagramos a própria vida.

            Ao longo da vida material clamamos o olhar do senhor para nossa existência, mas ele jamais abandona seu olhar sobre nós, apenas respeita nosso livre arbítrio e fica pronto a nos resgatar no momento que reconhecermos nossos erros e nossas fraquezas e voltar ao caminho dele na sua eterna misericórdia e amor, lembrando que o arrependimento apenas aliviará o nosso caminho do sofrimento maior, mas não nos furtará o divino resgate, com a medida do arrependimento natural que adquirirmos.

            Tantos pedidos se fazem, mas o principal, como paz e felicidade que são conquistas e não dadivas que caem sobre nós como a própria vida, são buscas frenéticas que buscamos para caminharmos na gloria e no entendimento das próprias limitações, bem como a alheia, quando pedimos estas conquistas, nosso pai nos abre todo o campo para adquiri-la e muitas vezes nossa preguiça e nossa comodidade não permite que a alcancemos, pois esperamos demais e muitas vezes não vamos à busca. Nosso Pai não nos dará nada por puro encanto, se não dobrarmos nosso suor, nosso trabalho e determinação bem como a disciplina, de nada adiantará pedir se a ação na corresponder às expectativas do merecimento.

            Em grande massa das frustrações emocionais e da fé está na inação própria, nada nos será dado se não pelo merecimento através do trabalho, onde a atenção ao próximo já é a primeira forma de trabalho, como o olhar misericordioso com as pequenas criaturas, com o próximo em desenvolvimento espiritual e mesmo material, um simples gesto de gentileza já nos abre as portas para conquistar o que tanto desejamos a estrada meus irmãos está pavimentada e pronta para caminharmos, mas nossa própria dificuldade imposta pela própria vontade é que faz com que nossa estrada seja árdua e repleta de obstáculos sendo que a condução plena está em nossa consciência.

            Quase sempre não conseguimos identificar os sinais por não compreender que as respostas simples de Deus esta em nossa própria vontade, a vontade que nasce na memoria, muitas vezes esvai-se pela preguiça e pelo comodismo de achar que o caminho será longo demais, sendo que a nossa vontade clama o imediatismo e o agora, sem a tolerância de compreender que cada etapa deve ser vencida e conquista com a paciência à qualidade impar de cada trabalho realizado e finalizado, jamais vamos alcançar o reino de Deus senão compreendermos as experiências de cada nascimento próprio e de cada sentido experimentado, não devemos atropelar a ordem divina e a ordem natural das coisas, seja espiritual e principalmente das conquistas materiais. Não desperdice sua encarnação pela pressa, se acha que nada acontece visualmente a você, entenda que magnitude das praticas, ações, sentimentos são pesados com maior relevância do que construir templos suntuosos em nossa vida, sendo que o mestre estará preocupado com a bagagem interna que iremos carrega-la até sua presença. Seu livre arbítrio é respeitado, mas lembre-se sempre que o comando da vida pertence a ele e nossa ação nos direcionará no caminho verdadeiro a qual merecemos esta.

            Dr. Bezerra de Menezes. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário