sexta-feira, 3 de maio de 2013

Ele tinha tudo, mas faltou o fundamental.




            Luiz Fernando nasceu numa cidade modesta do interior de São Paulo, era filho de agricultores e vivia na mais modesta, mas feliz fazenda, não faltava nada apenas os luxos. O tempo foi passando e como sempre foi bem nos estudos logo entrou para a faculdade começou a cursar Administração de Empresa, onde fez varias amizades e fora conquistando prestígios e alavancando sua carreira, na metade do seu curso começou a incrementar seu conhecimento na fazenda de seus pais.

            No aprofundar dos estudos e com a habilidade incomparável para administrar a fazenda começa a crescer, onde além da plantação começara a adquirir alguns gados, já no final do seu curso, a fazenda que era modesta já crescera, pois com os frutos da fazenda comprara outras propriedades vizinhas e seu negocio ampliara com bastante propriedade, seu jeito habilidoso era orgulhado pelos pais, principalmente seu Júlio pai do rapaz que sempre sonhara com a fazenda prospera e grande como se estava transformando.
           
            Luiz Fernando se forma e com a habilitação começa ativamente sua atividade, com passar do tempo começa a ampliar os negócios e a oferta no mercado, com a produção de laticínios e outros produtos, contrata alguns empregados e compra novos equipamentos, cresce ainda mais sua propriedade. Os lucros começam a aumentar e divide tudo com seu pai que tanto fora seu braço direito, principalmente no trabalho braçal. Numa determinada ocasião, Luiz Fernando conhece Katia, uma jovem bonita, filha de um Deputado influente na região. Ambos começam a namorar, com o tempo a bela moça começa a frequentar sua fazenda e logo se noivam e começam a morar na fazenda. Com algum tempo morre dona Eulália, mãe do rapaz.

            Seu Júlio com a idade avançada começa a colher as limitações físicas pelo tempo, e sua participação na fazenda começa a diminuir. Luiz Fernando e Katia se casam, com passar do tempo nasce Pedro, filho do casal, e como Júlio não conseguia mais participar ativamente do comando da fazenda, propõe a olhar o neto, enquanto o casal partia para o trabalho diário. O tempo passava e com isto as limitações de Júlio aumentavam, no final do dia todos jantavam a mesa e com as mãos tremulas e fraco, o senhor não conseguia manter a postura firme de antes e deixava o alimento e os talheres caírem e causavam raiva em Luiz Fernando e Katia, para o pequeno Pedro era festa ver o avô, pois na sua inocência achava que seu avô brincava. E numa única conversa e no consenso, decidem levar seu Júlio para um asilo, mas não avisam ao senhor e na manhã seguinte pede para ele se vestir, pois iria passear, chegando ao asilo informam que ficaria naquele lugar. Calado e triste Júlio adentram os aposentos e nem se despede do filho.

            O tempo passa, e o casal raramente vai ao asilo visitar Júlio que os recebem calado e diz poucas palavras. Ao perceber, o casal decide não mais visitar o senhor e o abandona por completo. Passam algum tempo Pedro descobre que o avô está abandonado e a tempo vive em cima da cama, já com a idade de 22 anos o neto se revolta com toda situação e decide dar um fim mais digno ao avô, como já tinha uma vida economicamente estável, pois com a ajuda do pai tinha uma agencia de carros na capital paulista, onde passou a morar, mas ao saber do que o Pai fez com avô toda admiração se ruiu com a decepção. Mas Pedro levou seu avô para casa e deu todo amor. Numa visita ao filho Luiz Fernando descobre que Júlio esta na casa e inicia uma discussão com Pedro, que manda seu pai embora e diz: o senhor me ensinou a dar valor a tudo, mas esqueceu de me ensinar que o amor supera todas as dificuldades e supostos trabalhos, mas graças a meu avô pude ver que a vida é muito melhor quando se tem amor, mas saiba meu pai que quando o senhor ficar velho e não aguentar mais, eu vou te amparar e não ser covarde e esconder minha vergonha atrás de uma conta bancária robusta, pois nenhum dinheiro do mundo pagará a maior riqueza a do amor puro e desinteresseiro e principalmente a consciência tranquila.

            Esta historia meus amigos mostra que a vida material oferece muitas riquezas e confortos, onde nos dará a tranquilidade de adquirir todas as maravilhas materiais, mas compreendam que uma riqueza pode trazer diversas armadilhas como se perder no deslumbramento da vaidade, do orgulho que é o principal pedestal da arrogância, das injustiças e da morte principal do amor, tenha sim riquezas e busque-as, jamais esqueça que a riqueza maior da vida nenhuma fortuna terá acesso e nem poderá ser adquirido, o amor puro e verdadeiro, está é a semente gratuita, mas de colheita farta e prospera, plante esta semente nos corações e na vida, pois jamais se arrependerá dos frutos produzidos.

            Dr. Bezerra de Menezes. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário