sexta-feira, 17 de maio de 2013

Faça de verdade ao invés apenas de ouvir e falar.


            Jesus Cristo em uma de suas instruções nos alertou quanto ao que sai da boca do homem pode e causa sérios danos do que entra por acesso a ela. Ele fez está referencia após ser arguido pelos fariseus e saduceus, porque não ensinastes aos seus discípulos a lavar as mãos antes das refeições, então o Mestre disse-lhe que a palavra dita é muito pior do que o alimento consumido sem a devida higiene.

            Ele nos atenta pelos nossos atos irmãos, quantos em vida planetária usa o chicote do corpo para expressar a destruição de diversas formas, como a esperança, o compromisso para com o bem, com os preconceitos, com as escolhas baseado na pigmentação da pele, ou mesmo pelo sexo. Quantos usam do seu status para ludibriar as ovelhas perdidas, usa da sua posição para angariar adeptos, atrair multidões em nome de ilusões, usam da palavra do Mestre para afortunar-se na matéria e criar verdadeiros impérios para poucos à custa da inocência da grande maioria.

            Diante das varias respostas aos que lhe arguia baseados nos preconceitos, limitação de pensamento, ignorância quanto às profecias dos profetas que tanto diziam seguir as orientações e mesmo reverencia-los, não aceitavam a realidade, a verdade a sua frente, o condenavam e o julgavam como enviado do maligno. Não se admirem irmãos por existirem diversos enviados de Deus ao planeta a propagar a verdade pura, o desprendimento material e a verdadeira palavra do criador, fazer o bem único e sem se prender aos valores da matéria ser chamados enviados de Belzebu, sim, após muitos milênios ainda andam sobre vocês muitos fariseus e saduceus da época que questionava as obras de Jesus. Quantos difamam pessoas de bem? Quantos escarnecem e zombam de seus semelhantes, quantos condenam como condenarão Jesus à crucificação?

            Enfim amigos, já se passaram mais de dois milênios desde a vinda e a palavra do mestre soada em nossos corações, mas a limitação e os problemas continuam como naquela época, quantos se preocupam com o comportamento alheio baseado numa moralidade falsa e hipócrita, ditam comportamentos, mas expressam trevas, se preocupam com o que entra para boca adentro, mas desprezam pelo que sai e julgam-se sabedores da verdade quando na realidade querem perverter os mansos e humildes de coração do Senhor a atender seus caprichos e idealismos ditatoriais.

            É bastante cômodo se dizer estudado e letrado de culturas e idiomas, mas completamente vazio da verdadeira verdade do coração e do sentimento, quem usa do conhecimento para perder as ovelhas de Cristo baseado nos desmandos de seus preceitos e verdades, na verdade esta se condenando a perdição do vazio, o clamor do deserto da sua realidade. Para saber a verdade precisamos de um pouco mais de espiritualidade, seja ela qual for, para que não enveredarmos pelos caminhos obscuros do mal.

            Evite somente escutar e falar para a pratica do bem e da salvação, mova-se e faça da sua parte que o senhor sem duvidas lhe ajudará, e não encare as limitações e os problemas como forma de castigos e desculpas para o sedentarismo e a preguiça, pois o caminhar é ardiloso assim como é o mal, que está sempre pronto a nos perder no primeiro instante de fraqueza, não se amedronte com as serpentes que o mal lhe ameaça, pise-a como fez Cristo, ou a atraia a seu favor e salve-as também. Pois até mesmo a serpente criada pelo maligno a aniquilar e a perder na vida mundana do pecado, pode se arrepender e seguir no caminho da verdade em Cristo.

            Dr. Bezerra de Menezes.
            

quarta-feira, 15 de maio de 2013

Os Relacionamentos das diferenças iguais.





Queridos,

            Na concepção da vida humana nosso Senhor e Criador de tudo o que existe, assim como cada um nós, Ele traçou o ritmo da natureza e da proliferação da vida, como o nascimento e o renascimento da historia e desenvolvimento da vida.

            Deu aos iguais às diferenças para que comungasse este mistério da sua vontade e o relacionamento esta entre está face, seja os relacionamentos profissionais, amorosos, casuais, familiares, à vontade e determinação que amassemos uns aos outros esta nesta tarefa de poder misturar estas varias formas de contato.

            A renovação da vida traz esta vertente, onde o sentimento e o interesse ao próximo proporcionasse uma nova existência, uma nova vida, fruto da vontade do mistério de Deus. Temos o transporte da vida em vários caminhos, seja na concepção, seja no amparo e no adotar a vida diferente. Mas como em sua determinação e vontade, há aqueles quem vem com esta formação e vontade do Senhor, como também aqueles que vêm com simples proposito de amparar a vida de seu próximo em suas diversas dificuldades e impedimentos.

            A carga que transportamos em nossa existência, seja ela atual ou respingada nas demais existências, são as condições que nos colocamos no presente para a colheita do amanha. Dentre eles a simpatia conquistada a outros irmãos, pois ela é a peça fundamental, o ornamento principal do caminhar, onde na roda da vida de todos se mediarem à existência na importância, será determinante nesta busca da salvação divina.

            A vida material retrata o vazio da simpatia, onde o acumulo delas poderá sem duvidas resultar em prisões e antipatias e deixando a vida diante da ilha inexplorada. Por isto a importância do relacionamento em todo sentido, principalmente no respeito e na oferta do amor. Para muitos esta condição se torna platônica, amar em meio às trevas, é este o verdadeiro proposito, ser luz na escuridão. Somos está luz e as dependências da energia para que a chama se propague e continue a iluminar seu caminho, é importante conservar sem pestanejar o ressoar das luzes e determinante a continuar cumprindo sua determinação principal, a vida.

            Encontraremos nos percalços e nesta longa estrada, diversos obstáculos de relacionamento, principalmente na apatia dos iguais em suas diferenças, mas para todos os irmãos há um irmão próprio, para cada relacionamento uma vontade nova de continuar a existir e jamais se anule pelo orgulho e vaidade. As diferenças dos iguais é e sempre será a mola propulsora da renovação do existir.

            Dr. Bezerra de Menezes.

terça-feira, 14 de maio de 2013

Boa semente para uma forte raiz.





            Quando desejamos plantar uma semente para que tenha e dê ótimos frutos, logo procuramos um bom e fértil solo para que possa está semente desenvolver seus brotos. A importância da terra e o cuidado se refletirão na resposta que tanto será buscada nesta semente. De pronto a raiz crescerá forte e resiste e principalmente no combate às pragas da destruição.

            Todo cuidado é necessário para que as ervas daninhas dominem a saúde desta vida que começa. A própria resistência e a consciência destes cuidados não ficam somente em quem nos preserva, é necessário e fundamental a própria ação, pois quando a frondosa arvore se desenvolve, logo nasce à resistência em suas ações e preservações.

            A existência humana não é diferente, a semente, o desejo do amor dos progenitores que são pontes da renovação da vida, do desejo do criador, a raiz é nossa existência que será plantado no planeta para que cresça forte e saudável, o planeta é a terra fértil do desenvolvimento e da colheita dos frutos. Independente da condição e onde é plantada a semente, o desenvolvimento da raiz regado pelo amor, dedicação, respeito e adubado com a palavra de Deus através de Jesus Cristo será determinante para que os frutos sejam admirados e desejados por todos. Pode acontecer do fruto que oferecer não ser de bom grado a quem esta ao redor, pode muitos não querer provar do fruto do bem, mas não serão as prisões do mal que fará que desistas de alimentar a fome de seu semelhante na proporção que será ofertado por seu fruto. Não queira alimentar todos a todo tempo, é preciso respeitar o seu próximo e seus desejos e vontades, mas seu fruto deverá sempre permanecer pronto a alimentar o faminto da esperança.

            É muito importante o cuidado com a semente que inicia a vida aos frutos, todo cuidado é fundamental para que os galhos da vida cresçam e se desenvolvam com bastante saúde e pronto a ofertar a sombra fresca e protetora a quem clama sua proteção. Mesmo com o cuidado de quem planta esta semente e cuida da sua raiz, é preciso que nasça em nós a resistência contra o mal, que tanto deseja cortar nosso tronco e desfolhar nossa proteção e deixar nossa raiz a vulnerabilidade da instalação das pragas do pecado, que sempre se apresentará com bastante força a exterminar nossa saúde vital. Por isto, todo cuidado e proteção será sempre necessária para que possamos continuar a frutífera vida e a ofertar a quem tanto deseja saciar sua fome, muitas vezes como a única fonte de vida. Por isto, tenha sempre os antídotos contra as pragas destruidoras, que são: o amor, a dedicação, a atenção, o respeito, a tolerância, a paciência, a disciplina, o equilíbrio, e principalmente o maior dos adubos, a palavra salvadora de Jesus Cristo. Está benção é acessível a qualquer semente e a proteção maior de toda raiz, a existência.

            Dr. Bezerra de Menezes.

segunda-feira, 13 de maio de 2013

Não negues para não ser negado




            Na divisão de nosso tempo com a vinda do Messias, muitos desafios e oportunidades com a palavra de Jesus nos foram colocado à prova de nossos atos e caminhar para o futuro, o Cristo trouxe a boa nova e com ela todas as formas de salvação e condução da vida espiritual e material.

            Com suas palavras Jesus acometia muitos Fariseus e Saduceus ao pensamento e calando-se em seus argumentos e preconceitos. Como também criava nestes povos a ira, quanto ao que o Mestre rebatia em suas provocações. Mas o que deixava estes povos com mais cólera era que o Mestre se proclamava o filho enviado de Deus. Muitos afirmavam que Ele blasfemava e os demônios que Cristo expulsava e curava os enfermos era em nome de Belzebu. Então o Mestre dizia naquele tempo que como haveria de curar os demônios combatendo-os em nome do rei dos pecados e como haveria o Belzebu de dominar seu reino das trevas combatendo seus comandados.

            Com isto negavam a própria palavra do antigo testamento assim como negava as pregações dos profetas que dizia da vinda do Messias entre nós, mas a forma que imaginavam, seria de um ser extraordinário e rodeado de anjos e não como homens como eles e mais ainda, simples e com hábitos normais, que era trabalhador braçal e andava com os pecadores, prostitutas e ladrões do tempo, o que aumentava ainda mais a indagação e a revolta dos poderosos da matéria, como haveria o Messias andar entre os pecadores. Mas Jesus novamente afirmava que estas ovelhas mereciam as melhores atenções, pois eram movidos pelas fraquezas e tinham a humildade de reconhecer seus erros e crê na palavra da salvação e na remissão de seus pecados, afinal, ninguém escolhe por prazer ou por vontade sofrer a exclusão, os preconceitos e até mesmo os achincalhamentos da sociedade, as pessoas ditas diferentes da moralidade humana, que são dignas do nosso maior respeito e seres que devemos ater com maior atenção especial, pois são irmãos como nós.

            Como naquele tempo muitos negavam a vinda do Mestre, no tempo atual continuam negando suas obras e suas palavras através das praticas crescente do pecado, como diversas formas de desvio da verdadeira palavra, frente à modernidade material do pecado, os abusos em nome do pecado nada mais é que o renascer de Sodoma e Gomorra, ao contrario daquele tempo, Deus não aniquilará seu povo destruindo-as com o fogo e o enxofre, mas o próprio homem se destruirá pelas próprias ações.

            Negar Jesus não é apenas falar como ciscos levados ao vento, é o andar contrario a sua vontade e convergir da tua palavra. Muitos questionam os dizeres do Mestre para com o tempo moderno, mas as praticas de salvação da vida é única, mas o pecado, os preconceitos humanos, as limitações em nome da modernidade são os demônios que havemos de expulsar de nossas vidas, assim como curar nossas enfermidades em nome do Senhor, por isto irmãos não negue as obras e jamais negue a Jesus, pois como há de querer que ele interceda por você no juízo? Como se sentiria se ao defender um irmão este o negasse ou mesmo não acreditar em você? A mais profunda dor da ingratidão, mas Jesus é superior a estas prisões, mas respeitará a sua vontade de querer caminhar só. Mas o tempo de arrependimento de reconhecê-lo como o verdadeiro caminho, a verdadeira verdade e a verdadeira vida ainda persiste e as oportunidades estão passando, por isto, reconheçam os seus pecados e redime seus atos e pensamentos e reconheça integralmente Jesus em sal vida.

            Dr. Bezerra de Menezes. 

sexta-feira, 10 de maio de 2013

Doutrinas são importantes, mas há de se fazer muito mais.






            Ao longo dos tempos, os homens se reúnem para refletir em nome das obras do criador, diversas crenças nasceram e surgem no universo terreno, bem como suas condições e leis. As leis foram criadas para disciplinar e conter os abusos, os seres em sua maioria dependem de regras para não extrapolar o básico e essencial, o respeito.

            Quando Cristo se fez homem entre nós mostrou que, em seu nome onde houvesse apenas um cordeiro reunido em seu nome, lá estaria ele. Mas desde a passagem do Mestre em nosso tempo, houve o surgimento de vários outros segmentos humanos que reuniam em grupos para discutir e falar a palavra do Mestre e prega-las ao ar. Após sua crucificação e ressurreição o Messias determinou aos seus apóstolos que fizessem herdeiros e levasse sua palavra a todas as nações.
                       
            Como muitos povos começam a seguir suas palavras e ensinamentos, já era de se esperar, começaram a nascerem os doutores das leis de Cristo e com eles os abusos e exploração dos mais inocentes, bem como usurpar do código em beneficio próprio, bem como destruir vidas em nome de egoísticas interpretações em nome de interesses sórdidos, inúmeros inocentes foram e são explorados por estes ditos doutores da religião, que furtam com veemência a verdadeira verdade de Cristo.

            Não individualizamos nenhuma doutrina, ao contrario, todas tem sua relevante posição frente à sociedade humana material, grandes e fabulosos irmãos passaram por diversas doutrinas e realmente fez valer as palavras do código em toda sua integra e hoje no plano espiritual é capaz de interceder por muitos junto ao Cristo Jesus. O templo da vida é fundamental que tenhamos um norte, o proposito de qualquer doutrina é ajudar no caminho de todos os irmãos, mas as brigas constantes de vaidades que há no mundo onde a difamação a outras doutrinas se faz presentes em praticamente todas, afirmam que uma se diz melhor que a outra, nada disto irmãos, a verdadeira religião esta em seguir o caminho e os passos do bem, é permitir a entrada do Mestre por meio de suas palavras e ações no cotidiano da existência, afinal, no momento da nossa presença no juízo o que seguimos religiosamente na terra não será considerado, mas sim as obras que praticou para com o próximo em toda sua acústica, bem como a si próprio.

            É muito eloquente erguer suntuosos templos de pedra, de ouros, mármores e todas as riquezas materiais para agradar o Senhor, ao qual se sensibiliza, mas não serão consideradas, as paredes de pedras. O verdadeiro templo da vida do amor e do bem essa sim deverá ser erguida nos corações de todas as criaturas vitais, o templo do amor, do bem e do compartilhamento da vida em Cristo, sem distinção aos demais irmãos. Há de se ater que havemos de servir apenas um único Senhor, Deus, o que não impede, ao contrario, de admirar e se fazer espelho pelas praticas de outros irmãos, que viveram e vivem sua existência para bem e a caridade pura, pois sem ela não haverá a salvação. A Caridade é um vasto campo verdejante de oportunidades de se praticar e vive-la e não presas às paredes de concreto e as barreiras do coração. Reúnam- se em nome de Jesus Cristo a modificar para melhor, pois somente ele é o único Caminho da Verdade e da Vida.

            Em muitos momentos as riquezas materiais dos faraônicos templos escondem a miséria aguçada de seus idealizadores. Deus não é contra as doutrinas, ao contrario, é contra os abusos cometidos em nome das vaidades prisioneiras do planeta, onde muitos usam o seu santo nome em vão e de sua criação para obter vantagens e promoções pessoais do vazio espiritual.

                 Dr. Bezerra de Menezes.       

quinta-feira, 9 de maio de 2013

Evite soar a trombeta




            Aos que se pronunciam aos designos e ao proposito das obras divinas devem se ater necessariamente pelos estardalhaços evitáveis as ações obrigatórias e não exclusivas onde os irmãos creem ser algo impar, não irmãos, o que somos e praticamos de auxilio dentro da providencia divina é nosso dever enquanto criaturas e caminhada à subida na sociedade de Deus na eternidade.

            Ao esmolar o irmão devemos cumprir nosso dever e não fazer como falsos e hipócritas sacerdócios e irmãos que usam da falsa caridade para soar as trombetas e anunciar as ruas e vaidosamente buscar a admiração dos homens. Para Deus a quem realmente devemos cumprir as tarefas, saberá com proficiência ofertar o que realmente é do nosso merecimento e se em algum momento a nossa consciência pesar ao lado da promoção pessoal embasado nas prisões da vaidade e do orgulho, siga o exemplo do mestre no deserto, onde lhe foi prometido às riquezas materiais, mas resistiu e expulsou o demônio de perto dele, assim devemos fazer expulsar os demônios da vaidade, do orgulho, do poder desenfreado, este demônio que realmente perde as ovelhas do senhor, dentre demais outras prisões.

            Esmola meus irmãos não é simplesmente a vulgaridade que muitos creem e culturalmente se impregnou a sociedade, em aproveitar do bem alheio para preguiçosamente colher benefícios sem o verdadeiro merecimento necessidade, esmola é ofertar ao irmão o que lhe mais faz falta a vida, não propriamente as necessidade pecuniárias, são as diversas pobrezas que se entranham e devem buscar os irmãos de boa vontade a oferecer o que de melhor tende a oferecer, entre elas a graça de Deus em todas as formas. 

Devemos ofertar o melhor de nós aos desafortunados do espirito, que se encontra em diversas trevas da vida e agonizam no pecado pela própria colheita. Mas como o próprio Cristo nos disse, devemos dar as melhores esmolas aos irmãos necessitados, pois os pobres de espíritos estes são o reino de Deus, pois deles são esperados as melhores ofertas e tem todas as condições necessárias para receber o que de verdade é merecedor, pois muitas vezes são desprovidos das vaidades mundanas dos falsos doutores da palavra.

            Dr. Bezerra de Menezes.
           

            

quarta-feira, 8 de maio de 2013

Nem só do pão vive o homem




            Tentado no deserto pelo diabo que no momento em que foste desafiado a provar que era filho de Deus que transformasse a pedra em pão para que saciasse sua fome, o Mestre afirmou “que não só de pão que vive o homem e sim da palavra de Deus”. Por esta afirmativa que devemos nos ater para com os exageros que cometemos não somente para com o alimento físico que sustenta o corpo e sim com que alimentamos em todo sentido da vida.

            Viver a vida nada mais é que comungar e alimentar as obras do senhor a cada suspiro da vida que existimos, o planeta tão sedento da palavra, mas muito preocupado com o alimentar da matéria e gradativamente enfraquecendo o espirito, compreenda-se que espirito e corpo são apenas uma única existência, o corpo físico sendo apenas a veste da alma devendo ser respeitado como respeitamos o nosso lar que abrigamos a vida e o espirito. A nossa consciência é a nossa alma, o que praticamos se refletirá significantemente em nosso espirito que é a vida real, as vestes apenas uma passagem que logo se extinguirá como descartamos uma veste usada e o que manterá sempre é o principal ao qual devemos sempre zelar pela sua integridade.

            É bastante confortável desejar o melhor da vida, principalmente na aquisição de bens materiais, mas nada nos será dado senão pelo merecimento, os que insistirem em fazer de tudo para ter o que não lhe é de merecer, será certamente arguido pelos caminhos escolhidos, sendo que muitas vezes a aquisição pelo demérito é adquirida da forma controvertida as leis divinas. Mas sempre haverá a oportunidade de se regenerar, quando desejamos tanto algo e este não nos é dado pela condução natural da vida de certo não será o momento certo, mesmo andando com conforme a estrada de Deus. Onde devemos aceitar que está comunhão não nos será bem digerida e havemos de entender o verdadeiro proposito, lembre-se que a tentação não vem somente nas formas de nos adentrar ao abismo, vem sempre em forma de deleite e dos prazeres perecíveis da matéria.

            Somos um oceano de sentimentos, assim como os grandes mares da vida há os grandes mistérios, as zonas de convergências, há os desafios da vida que sempre nos levará a buscar as margens da terra segura, mas devemos sempre ser aquele oceano desejado por muitos, mas respeitado pela sua grandeza sutil das aguas que nos banha a vida, mas que oferta a todos o que de mais sagrado nos abriga, a obra divina da criação magistral da vontade de ser o que é sem modificar a essência semeada.

            Dr. Bezerra de Menezes.

           

            

terça-feira, 7 de maio de 2013

Santificação nossa de cada dia




            Amados irmãos de Cristo,

            Desde os primórdios da doutrina humana universal que acompanhamos a santificação de irmãos por tribunais eclesiásticos em nome de determinados sinais de intercessão de irmãos desencarnados junto ao Pai e a Jesus Cristo.

            Devemos sem duvidas reverenciar todos os intitulados santos, pois são irmãos que dedicaram sua vida ao bem único e a caridade em nome do altíssimo. Mas compreendam irmãos que todos nós podemos nos santificar pelas nossas ações diariamente. Claro que é possível mesmo diante de um contraste do bem tanto pregado por toda humanidade, onde muitos clamam a santificação dos irmãos, mas praticam o pecado desenfreado em nome de comodismo de não querer modificar para melhor seus atos, condições e até mesmo seus pensamentos.

            Não somente aos irmãos ditos santificados que podemos pedir intercessão, cada membro de nossa família que partiu para o mundo espiritual tem total condições de pedir por nós, ao que muitos não sabem que o acesso ao mestre Jesus é possível a todos nós, desde que nosso merecimento se faz jus a está qualidade e dadiva. Nosso Senhor Jesus Cristo governador do nosso universo trabalha junto com outros irmãos na vertente de poder qualificar melhor a todos nós. Engana-se que o Mestre fica somente em nuvens rodeados de anjos como muitos irmãos creem que acontece, ele e junto demais outros irmãos trabalham incessantemente e recebem sempre a inspiração e designos do Criador para agir sobre cada um de nós.

            Por isto a importância dos nossos atos do bem para poder termos merecimento e nossa audiência com o mestre para pedir a intercessão ao que amamos no planeta, bem como os que nos comungam a vida espiritual. A colônia Capela onde vive o mestre Jesus é aberta e acessível a todos nós, mas devemos novamente repetir que para ter acesso, devemos fazer por merecer e começamos neste planeta de provas e expiações nossa resistência para com o mal e que seja vitoriosa a nossa própria força de vontade. Se desejar visitar outro lugar no planeta é necessário que trabalhe honestamente para tal, para conquistar a tão sonhada visita a outras terras, assim é nas colônias espirituais irmãos, que são muitas e a permissão de visita-las dependerá somente de cada um de nós através do nosso merecimento e também do trabalho que não se limita as habilidades profissionais na matéria, é fundamentalmente o que praticamos em nossa vida em prol do bem maior.

            Por isto santifique suas praticas e ações no dia a dia, compreenda que o pecado ira ronda-lo até mesmo quando estiver inerte num espaço, pois o anjo negro estará sempre apostos a perder as criações do Onipotente, afinal ele revoltou-se contra Deus pela criação do ser humano e recusou-se a reverenciar sua criação, onde o senhor nos fez sua imagem semelhante e desde então criou sua própria condição e mundo com a raiva da criação do senhor e por isso decidiu destruir a criação, por isto ao longo dos tempos vemos varias batalhas sangrentas entre o bem e o mal, tendo o bem que lutar com as armas da destruição para conter os avanços do mal, engana-se que o anjo das trevas deseja o bem e creia que somos dignos da sua confiança, ao contrario irmãos, a todo o momento ele quer e fará de tudo para aniquilarmos e afastar da verdadeira face de Deus, onde muitas vezes se reveste em pele de cordeiro para nos abocanhar como lobos famintos em busca da sua presa fácil que muitas vezes nos fazemos.

            Por isto atente-se para não se perder no vale das sombras, pois é onde o mal deseja que todos nós estejamos, sendo seus escravos da maledicência eterna, por isto criou em nós a vaidade e orgulho, o poder e o ódio e a morte em todo sentido. Mas crendo no Senhor a morte não mais existirá, pois ele caminhará sempre ao nosso lado e estará pronto a nos resgatar de todas as formas que precisamos ser salvos.

            Dr. Bezerra de Menezes.

segunda-feira, 6 de maio de 2013

Pedi a Deus, ele me ofertou e ai?




            Amados irmãos,

            Viemos da graça para o planeta com o proposito da regeneração e evolução do nosso ser, a serviço do próximo e principalmente o próprio, os desafios terrenos não surgem ao acaso, são frutos da semente e os nascimentos de cada galho desta grande arvore que jamais tombará apenas as pragas e as doenças do pecado podem adoecer até o tronco mais forte.

            A cada estada no planeta os desafios serão sempre desafiadores, principalmente naquilo que o nosso resgaste mais nos aflige e desafia, não há quem consiga passar pelo planeta que não tenha que resgatar os propósitos, seja na primeira estada ao planeta, quanto a ultima vinda, sempre haveremos de enfrentar. Há situações de irmãos não conseguirem e liquidarem antes do tempo a sua estada, aumentando ainda mais seu debito e futuras limitações de locomoção e tarefa frente à vida, com o retardamento da própria evolução pela vulnerabilidade que muitos de nós deflagramos a própria vida.

            Ao longo da vida material clamamos o olhar do senhor para nossa existência, mas ele jamais abandona seu olhar sobre nós, apenas respeita nosso livre arbítrio e fica pronto a nos resgatar no momento que reconhecermos nossos erros e nossas fraquezas e voltar ao caminho dele na sua eterna misericórdia e amor, lembrando que o arrependimento apenas aliviará o nosso caminho do sofrimento maior, mas não nos furtará o divino resgate, com a medida do arrependimento natural que adquirirmos.

            Tantos pedidos se fazem, mas o principal, como paz e felicidade que são conquistas e não dadivas que caem sobre nós como a própria vida, são buscas frenéticas que buscamos para caminharmos na gloria e no entendimento das próprias limitações, bem como a alheia, quando pedimos estas conquistas, nosso pai nos abre todo o campo para adquiri-la e muitas vezes nossa preguiça e nossa comodidade não permite que a alcancemos, pois esperamos demais e muitas vezes não vamos à busca. Nosso Pai não nos dará nada por puro encanto, se não dobrarmos nosso suor, nosso trabalho e determinação bem como a disciplina, de nada adiantará pedir se a ação na corresponder às expectativas do merecimento.

            Em grande massa das frustrações emocionais e da fé está na inação própria, nada nos será dado se não pelo merecimento através do trabalho, onde a atenção ao próximo já é a primeira forma de trabalho, como o olhar misericordioso com as pequenas criaturas, com o próximo em desenvolvimento espiritual e mesmo material, um simples gesto de gentileza já nos abre as portas para conquistar o que tanto desejamos a estrada meus irmãos está pavimentada e pronta para caminharmos, mas nossa própria dificuldade imposta pela própria vontade é que faz com que nossa estrada seja árdua e repleta de obstáculos sendo que a condução plena está em nossa consciência.

            Quase sempre não conseguimos identificar os sinais por não compreender que as respostas simples de Deus esta em nossa própria vontade, a vontade que nasce na memoria, muitas vezes esvai-se pela preguiça e pelo comodismo de achar que o caminho será longo demais, sendo que a nossa vontade clama o imediatismo e o agora, sem a tolerância de compreender que cada etapa deve ser vencida e conquista com a paciência à qualidade impar de cada trabalho realizado e finalizado, jamais vamos alcançar o reino de Deus senão compreendermos as experiências de cada nascimento próprio e de cada sentido experimentado, não devemos atropelar a ordem divina e a ordem natural das coisas, seja espiritual e principalmente das conquistas materiais. Não desperdice sua encarnação pela pressa, se acha que nada acontece visualmente a você, entenda que magnitude das praticas, ações, sentimentos são pesados com maior relevância do que construir templos suntuosos em nossa vida, sendo que o mestre estará preocupado com a bagagem interna que iremos carrega-la até sua presença. Seu livre arbítrio é respeitado, mas lembre-se sempre que o comando da vida pertence a ele e nossa ação nos direcionará no caminho verdadeiro a qual merecemos esta.

            Dr. Bezerra de Menezes. 

sexta-feira, 3 de maio de 2013

Ele tinha tudo, mas faltou o fundamental.




            Luiz Fernando nasceu numa cidade modesta do interior de São Paulo, era filho de agricultores e vivia na mais modesta, mas feliz fazenda, não faltava nada apenas os luxos. O tempo foi passando e como sempre foi bem nos estudos logo entrou para a faculdade começou a cursar Administração de Empresa, onde fez varias amizades e fora conquistando prestígios e alavancando sua carreira, na metade do seu curso começou a incrementar seu conhecimento na fazenda de seus pais.

            No aprofundar dos estudos e com a habilidade incomparável para administrar a fazenda começa a crescer, onde além da plantação começara a adquirir alguns gados, já no final do seu curso, a fazenda que era modesta já crescera, pois com os frutos da fazenda comprara outras propriedades vizinhas e seu negocio ampliara com bastante propriedade, seu jeito habilidoso era orgulhado pelos pais, principalmente seu Júlio pai do rapaz que sempre sonhara com a fazenda prospera e grande como se estava transformando.
           
            Luiz Fernando se forma e com a habilitação começa ativamente sua atividade, com passar do tempo começa a ampliar os negócios e a oferta no mercado, com a produção de laticínios e outros produtos, contrata alguns empregados e compra novos equipamentos, cresce ainda mais sua propriedade. Os lucros começam a aumentar e divide tudo com seu pai que tanto fora seu braço direito, principalmente no trabalho braçal. Numa determinada ocasião, Luiz Fernando conhece Katia, uma jovem bonita, filha de um Deputado influente na região. Ambos começam a namorar, com o tempo a bela moça começa a frequentar sua fazenda e logo se noivam e começam a morar na fazenda. Com algum tempo morre dona Eulália, mãe do rapaz.

            Seu Júlio com a idade avançada começa a colher as limitações físicas pelo tempo, e sua participação na fazenda começa a diminuir. Luiz Fernando e Katia se casam, com passar do tempo nasce Pedro, filho do casal, e como Júlio não conseguia mais participar ativamente do comando da fazenda, propõe a olhar o neto, enquanto o casal partia para o trabalho diário. O tempo passava e com isto as limitações de Júlio aumentavam, no final do dia todos jantavam a mesa e com as mãos tremulas e fraco, o senhor não conseguia manter a postura firme de antes e deixava o alimento e os talheres caírem e causavam raiva em Luiz Fernando e Katia, para o pequeno Pedro era festa ver o avô, pois na sua inocência achava que seu avô brincava. E numa única conversa e no consenso, decidem levar seu Júlio para um asilo, mas não avisam ao senhor e na manhã seguinte pede para ele se vestir, pois iria passear, chegando ao asilo informam que ficaria naquele lugar. Calado e triste Júlio adentram os aposentos e nem se despede do filho.

            O tempo passa, e o casal raramente vai ao asilo visitar Júlio que os recebem calado e diz poucas palavras. Ao perceber, o casal decide não mais visitar o senhor e o abandona por completo. Passam algum tempo Pedro descobre que o avô está abandonado e a tempo vive em cima da cama, já com a idade de 22 anos o neto se revolta com toda situação e decide dar um fim mais digno ao avô, como já tinha uma vida economicamente estável, pois com a ajuda do pai tinha uma agencia de carros na capital paulista, onde passou a morar, mas ao saber do que o Pai fez com avô toda admiração se ruiu com a decepção. Mas Pedro levou seu avô para casa e deu todo amor. Numa visita ao filho Luiz Fernando descobre que Júlio esta na casa e inicia uma discussão com Pedro, que manda seu pai embora e diz: o senhor me ensinou a dar valor a tudo, mas esqueceu de me ensinar que o amor supera todas as dificuldades e supostos trabalhos, mas graças a meu avô pude ver que a vida é muito melhor quando se tem amor, mas saiba meu pai que quando o senhor ficar velho e não aguentar mais, eu vou te amparar e não ser covarde e esconder minha vergonha atrás de uma conta bancária robusta, pois nenhum dinheiro do mundo pagará a maior riqueza a do amor puro e desinteresseiro e principalmente a consciência tranquila.

            Esta historia meus amigos mostra que a vida material oferece muitas riquezas e confortos, onde nos dará a tranquilidade de adquirir todas as maravilhas materiais, mas compreendam que uma riqueza pode trazer diversas armadilhas como se perder no deslumbramento da vaidade, do orgulho que é o principal pedestal da arrogância, das injustiças e da morte principal do amor, tenha sim riquezas e busque-as, jamais esqueça que a riqueza maior da vida nenhuma fortuna terá acesso e nem poderá ser adquirido, o amor puro e verdadeiro, está é a semente gratuita, mas de colheita farta e prospera, plante esta semente nos corações e na vida, pois jamais se arrependerá dos frutos produzidos.

            Dr. Bezerra de Menezes. 

quinta-feira, 2 de maio de 2013

Não deixe a cruz cair




            A paz no mundo é um objetivo central e almejado por todos os seres vivos, seja orgânico, seja inorgânico buscam a vida como a verdadeira comunhão de Deus na sua busca da sobrevivência e mesmo da elevação das obras frente a todos.

            Nada será mais importante do que praticar e prevalecer o bem em nosso ser e em nossos corações para transpor em nosso Ser como entregar e preencher nossa bagagem para leva-lo quando partimos para a casa eterna do Pai.

            Quem pratica o bem em toda acústica e busca Deus e os ensinamentos do Cristo devem ater e compreender a cruz que sempre acompanhará a da desconfiança, do sacarmos, das zombarias, das difamações, das injustiças, dos atrevimentos alheios, enfim a cruz pesa no momento em que menos desejamos e que coloca nossa caminhada de frente com o pessimismo e o desanimo a seguir em frente na busca da tarefa designada.

            A tentação do maligno frente ao desanimo, a entrega e a acidez da preguiça tenta-nos a desistir de tudo e adormecer na indiferença do proposito divino, são estas tentações dos inimigos ocultos e declarados que tanto desejam a nós. Não seja a voz que clama no deserto, seja a voz que fala para o ser menos perceptível a grande massa, pois pode parecer-se capaz de falar pelo desconhecimento e não aceitar as imposições dos falsos sábios que tanto usurpam o direito do discernimento e da busca da verdadeira verdade, pelas falácias interesseiras.

            Nossa vida traduz o reflexo das nossas ações e aceitação do que nos é oferecido, seja a maçã da serpente a nos perder do paraíso, ou seja, carregar a cruz e salvar-nos no verdadeiro e está no paraíso com o Senhor, desfrutando da sua misericórdia e a certeza do amparo. O Messias sentiu fome e medo, mas sua certeza na imortalidade e na promessa do Pai da vida eterna o encheu de alegria e o encheu do Espirito Santo e nos amou como resistiu à tentação do mal. Pela sua vida material  foi destruída pelo homem, mas intocável na alma, assim como não entregou ao mal. Podemos também resistir, abrandando sempre a nossa ansiedade da injustiça imaginaria e carregando dentro de si a vitória e o exemplo do Mestre em toda sua acústica e sentido.

            Não deixe que o mal possa lhe fazer frente e eternizando--se com ele no vale das sombras do mal, não afronte o Pai com as praticas perversas do mal e muito mesmo aceite o veneno implantado nas mais doces e falsas criaturas e situações, saiba sempre o caminho a seguir, onde os espinhos e as chagas se farão presentes sempre. Perdoe quem não sabe o que diz e diga ao Mestre sempre que quer esta com Ele no paraíso e pois ele virá para nos salvar.

            Dr. Bezerra de Menezes