domingo, 21 de abril de 2013

Para as Multidões



            A importância de um líder nas suas atribuições atraem grandes responsabilidades em nome de sua capacidade de se fazer muito melhor a cada sentido da confiança depositada de nosso Pai a determinadas ações, como a multidão sedenta a esperança.

            Sim, somos todos frutos divinos, mas haverá irmãos escolhidos para se fazer espelho e comungar a boa nova como  um todo. O que vemos no planeta são crimes cometidos por lideres à frente de suas ovelhas, não o crime comum, mas o crime de trair a confiança de Deus. Sim, muitos desvirtuam e mesmo fogem a missão, outros desvirtuam sua caminhada em nome de pecados impregnados na alma.

            Não será incomum encontrar estas situações, na politica, vemos aqueles que devem fazer por onde ser o pilar da esperança de povos, desviando suas condutas em nome de poderes imaginários e que não lhe são adquiridos por méritos ao contrario, é chefes de nações derramando rios de sangue em nome de idealismos retrogrado e fúteis, em nome de uma soberania poderosa que visa à aniquilação de irmãos ao invés de trabalhar o molde. No sacerdócio vemos irmãos responsáveis por esclarecer a verdadeira missão, mas desvirtuam em nome de poderes eclesiásticos, doutrinários e mesmo evangélico para omitir, esconder e mentir, usurpar a consciência alheia em nome de poderes que lhe são conferidos, mas criminalmente abusado e turbado sua verdadeira regra, que são responsáveis por transpor e falar as palavras, mas usam em nome de interesses sórdidos e malignos, não todos, mas boa e grande leva de traidores de Deus que muitos usam seu nome para perder a multidão, que somos todos nós.

            Jesus Cristo multiplicou o alimento da vida, multiplicou para a multidão a boa nova, o reconhecimento do pecado e a remissão pelo próprio perdão, pode os irmãos do evangelho, espalhados por diversas nações sofrerem com o escarno e a intolerância de pessoas responsáveis por comandar e falar às multidões, mas de certo que todos têm o Amigo Divino, e este jamais há de desamparar suas ovelhas, desqualificando o próximo pela sua posição social, pois nos ama pelo o aconchego do nosso coração que permite ele nos acolher.

            Nada que nos é tomado injustamente será deixando ao esquecimento, o que nos é de direito usurpado e furtado por tamanha crueldade nos será pelo Pai entregue de forma justa, lembre amados irmãos, nosso Pai nos ama e é justo, por isto tenha sempre nele a certeza que nunca estará desamparado, mesmo que suas ações andem na contramão da sua verdade, havemos de colher os frutos do que plantamos, como sempre haverá o antidoto contra as mentiras, o pecado destruidor que muitas vezes é causado pelo nossa própria vontade.

            Dr. Bezerra de Menezes

           

Nenhum comentário:

Postar um comentário